SOMÁLIA - O RETRATO DESUMANO DE UM POVO OPRIMIDO POR INTERESSES ECONÔMICOS



Um relatório divulgado pela ONU revela que perto de 258 mil somalis, metade deles crianças, morreram de fome entre 2010 e 2012. 



O documento revela um número muito maior do que as previsões apontavam. A Somália foi a zona mais atingida pela seca extrema em 2011, que afetou mais de 13 milhões de pessoas no “Corno de África”. “Sofremos com a falta de comida, de medicamentos e de água potável. 
Apelamos às organizações de ajuda humanitária que cheguem atempadamente até nós. 
A última vez que houve distribuição de alimentos foi há um ano.”; disse um refugiado. 
Contudo, as ações de assistência às populações são na maior parte dos casos impedidas pela inexistência de condições de segurança no terreno, devido aos conflitos locais.
 “A raiz de todos estes problemas está no conflito que atualmente assola a Somália e não só piora a crise alimentar, mas também impede ou torna difícil a ajuda humanitária a tempo e horas”, afirmou um responsável da organização Food Security and Nutrition Analysis Unit. 
O mesmo documento revela também que cerca de 4,6% da população total, e 10% das crianças com menos de cinco anos, morreram nas regiões sul e centro da Somália, ou seja, o dobro da média da África subsaariana.

Guerra Civil da Somália

A Guerra Civil da Somália é uma guerra civil em andamento na República da Somália. 
O conflito, começou em 1991.  O governo da Somália COM CONSPIRAÇÕES MADE IN USA, declarou  estado de exceção em junho de 2009, solicitando SUPOSTO apoio internacional imediato, e a intervenção militar dos países vizinhos do Leste Africano.
Postar um comentário