O CONSELHO POLITICO POPULAR PELO DESENVOLVIMENTO DA ZONA NORTE É A CARA DO POVO! O POVO CHEGOU E DEU O SEU RECADO!


CHICÃO E O AGRADECIMENTO ESPECIAL AO SUBPREFEITO E AO CHEFE DE GABINETE DE SANTANA/TUCURUVI POR ABRIR AS PORTAS DA SUBPREFEITURA PARA O POVO DEPOIS DE TANTOS ANOS FECHADAS PARA A COMUNIDADE

Foi realizada a primeira reunião com mais de duzentos e cinquenta moradores da Zona Norte de São Paulo no Auditório da Subprefeitura de Santana/Tucuruvi para discutir problemas da região e acima de tudo realizar o primeiro ato de criação do Conselho Político Popular para o Desenvolvimento da Zona Norte.
o povo trabalhador da zn

Depois de muitos anos, a população voltou a ocupar a Subprefeitura de Santana/Tucuruvi. O Conselho criou também o seu manifesto que era composto acima de tudo pela premissa de que é necessário ouvir a população não organizada em sindicatos, por exemplo. A atividade ressaltou a importância do exercício da democracia direta.

A atividade contou com a presença de moradores desde a região do Tietê até os fundões do Tremembé e de Casa Verde, Cachoeirinha até Vila Maria. Com demandas desde as mais essenciais como um relato de uma mãe que aguarda há um ano um médico dermatologista na rede de saúde, até moradia, reivindicação muito recorrente.
A atividade de início teve indagação de ambulantes, como Mane que questionou o fato de não poderem trabalhar na região e teve como resposta, uma proposta de que o fórum fosse permanente e que houvesse a criação de uma comissão para dar continuidade ao diálogo e buscar soluções para que pudessem trabalhar nas ruas da Zona Norte de forma organizada e de gestão da subprefeitura.

Ressaltando a região da Casa Verde/Cachoeirinha, Otacílio apresentou duas principais reivindicações de sua comunidade: “Parque Peruche Público”, transformação do Campo de Marte em Parque Público como forma de valorização da região.


Entre as manifestações do público Nilcéa Fleury, eleita no Conselho Participativo e moradora da região falou sobre candidatos a eleição do Conselho do Imigrante, Programa Minha Casa Minha Vida para a região, com desapropriação de terrenos se for o caso e revitalização da Praça Margarida, com Campo de Bótia e Pista de Skate.

No encontro teve a presença de moradores da Zaki Narchi, entre eles Bento, João e Flávio, que apresentaram problemas desde a desregularização dos prédios, ausência de políticas públicas de todas as áreas, drogas e outras situações em que se encontram os moradores do Conjunto, a mercê de gás metano e do abandono das gestões anteriores. “Temos 1.200 crianças nos conjuntos habitacionais, não temos espaço de lazer... gostaríamos de ter aparelhos de ginástica, que limpassem o córrego, que diminua a repressão aos vendedores de pipoca, que só quer trabalhar vender sua mercadoria”, afirma Bento.

As aflições de ambulantes foram muito discutidas, principalmente aqueles que reivindicavam seus carrinhos pegos pela fiscalização e nunca devolvidos. Demandas como espaço para a prática skate e grafite também foram muitas, os
jovens reivindicavam espaços de lazer, incentivo à cultura e revitalização de espaços públicos.

Entre os presentes, Priscila (representante da Comunidade/favela Mimosa) reivindica melhoria para a comunidade e a não desocupação da área, relatando que habita a 30 anos na região, enfatiza que “se algum dia for desocupar, que seja para uma moradia digna.”

Além disso, tivemos a presença de moradores do Jaçanã, Tremembá, Vila Gustavo, Vila Medeiros, Mandaqui, Lauzane, Cachoeirinha e Limão.

Essa reunião é só um começo de um fórum permanente com objetivos claros de resolução e encaminhamento para diversos setores, desde educação até transporte. Com proposta radical e numa vertente de transformar a sociedade, de forma organizada, articulada, a criação do Conselho Político Popular espera acima de tudo, contemplar aqueles que mais sofreram durante antigas gestões e que ficaram a mercê de grupos como sindicatos e associações que não representavam seus interesses e convergiam com a pauta diária, colada na realidade e de acordo com seus reais interesses.

MANIFESTO DE CRIAÇÃO DO CONSELHO POLITICO POPULAR PELO DESENVOLVIMENTO DA ZONA NORTE


"A massa não é apenas objeto da ação revolucionária;
é sobretudo sujeito"


Rosa Luxemburgo


RECONHECENDO A DINAMICA DO MOMENTO ATUAL, ONDE ESTÁ POSTO EM CHEQUE O ANTIGO MODELO DA DEMOCRACIA REPRESENTATIVA BURGUESA;


RECONHECENDO QUE O PODER ECONOMICO SUBVERTE A VONTADE POPULAR, ATRAVÉS DA COOPTAÇÃO DAS ESTRUTURAS DE PODER E DE INSTITUIÇÕES PUBLICAS E, PRINCIPALMENTE,  MANIPULANDO CORAÇÕES E MENTES ATRAVÉS DA MIDIA GOLPISTA;


RECONHECENDO QUE O DIREITO DO CIDADÃO SER SUJEITO DA HISTORIA, SE CONSEGRA NA REUNIÃO DAS VONTADES OBJETIVAS E SUBJETIVAS QUANDO EXPRESSADAS NA AÇÃO POLITICA DE CONSTRUIR O SEU PROPRIO CAMINHO;


RECONHECENDO QUE O GOVERNO DE FERNANDO HADDAD DO PT, NO POUCO TEMPO DE EXISTENCIA, ABRIU CANAIS ALTERNATIVOS DE DIALOGO COM A POPULAÇÃO, INCENTIVANDO A PARTICIPAÇÃO DIRETA DO CIDADÃO NAS DECISÕES SOBRE O DESTINO DA CIDADE;


E RECONHECENDO QUE ESTA NOVA CONFIGURAÇÃO DA GOVERNANÇA TEM A LEGITIMIDADE DO VOTO E OPERA EM FAVOR DOS ANSEIOS DA POPULAÇÃO OPRIMIDA DE SÃO PAULO;


CONSTITITUIMOS HOJE O CONSELHO POLITICIO POPULAR PELO DESENVOLVIMENTO DA ZONA NORTE.


O CONSELHO POLITICIO POPULAR PELO DESENVOLVIMENTO DA ZONA NORTE É UM ORGÃO APARTIDÁRIO QUE REUNE A POPULAÇÃO DA ZONA NORTE E REPRESENTAÇÕES DESTA, COM O OBJETIVO DE AMEALHAR E ORGANIZAR AS REIVIDICAÇÕES E PROJETOS VOLTADOS PARA PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO, DIALOGANDO EM TODAS AS ESFERAS DO PODER MUNICIPAL, ESTADUAL E FEDERAL PARA CONCRETIZÁ-LOS COM O QUE DE MELHOR EXISTIR PARA O ATENDIMENTO DE SUAS DEMANDAS.


ESTE MOVIMENTO NÃO SE PRETENDE UM CONSELHO PARTICIPATIVO PARALELO, POIS, RECONHECE O MESMO COMO INSTANCIA INSTITUCIONAL LEGITIMA PELO QUAL TAMBÉM PODE ENCAMINHAR SUAS REIVINDICAÇÕES.


O CONSELHO POLITICIO POPULAR PELO DESENVOLVIMENTO DA ZONA NORTE NÃO SE ESTRUTURA EM HIERARQUIA DE COMANDO VERTICAL, MAS SE COMPREENDE NA IGUALDADE HORIZONTAL QUE DEFINE ADEQUADAMENTE SEU CARATER SOLIDÁRIO, UNIVERSAL E DIVERSO.


O CONSELHO POLITICIO POPULAR PELO DESENVOLVIMENTO DA ZONA NORTE É PAUTADO ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE PELA VONTADE SOBERANA DO POVO QUE VIVE NESSA REGIÃO E, PORTANTO, NÃO SE FURTARÁ DE DEFENDÊ-LA EM QUALQUER TEMPO E ESPAÇO DA CIDADE SÃO PAULO.














 

O BRASIL SENDO USADO COMO EXEMPLO A SER SEGUIDO PELOS EUROPEUS

Violência contra mulheres

Duas em cada três mulheres vítimas de violência física, sexual ou psicológica em países da Europa não apresentam queixa à polícia nem recorrem a serviços de assistência, indica um relatório da União Europeia (UE).
O estudo, realizado pela Agência de Direitos Fundamentais da UE, alerta que a verdadeira dimensão da violência contra as mulheres «permanece invisível nos dados oficiais, o que justifica dedicar uma maior atenção ao assunto».
Em comunicado divulgado dia 14, o diretor da agência, Morten Kjaerum, salienta que o inquérito revelou elevados níveis deste tipo de violência em toda a UE.
Elaborado com base nos resultados de entrevistas presenciais com 42 mil mulheres nos 28 estados-membros, o relatório constitui o mais amplo estudo realizado sobre esta temática, contendo testemunhos sobre situações ocorridas no trabalho, em ambiente doméstico, em espaços públicos e inclusivamente na Internet.

A Agência de Direitos Fundamentais sugere em seu relatoria a necessidade de criacao de um dispositivo legal que vise a aumentar o rigor das punições das agressões contra as mulheres dando como exemplo a lei brasileira de 2006 (lei Maria da Penha) que resultou em 2010 em aumento de 112% em queixas de violência contra a mulher. 

A apresentação oficial do documento está marcada para dia 5 de Março, no decorrer de uma conferência de alto nível sobre a violência contra as mulheres.


CHINA SE PREPARA PARA PROTEGER SEU TERRITORIO CONTRA ATAQUES AMERICANOS

Pequim prepara a extensão 

Tensions escalate over Chinese air defence zone

da sua zona de defesa aérea


Estados Unidos multiplicaram as mensagens de aviso a Pequim, quando esta se prepara para estender a sua zona de defesa aérea, no Sul do mar da China, arriscando entrar em conflito com o Vietname, as Filipinas e a Malásia.

Em 23 de novembro de 2013, Pequim tinha já estendido a sua zona de defesa aérea ao Leste do mar da China, e inclusive às ilhas Senkaku que são reivindicadas pelo Japão. Os Estados Unidos, a Coreia do Sul e o Japão declararam ignorar a posição chinesa, que quase provocava a destruição do destroyer porta-misseis USS Cowpens, a 5 de dezembro.

Todas as aeronaves entrando nestas zonas deverão identificar-se, fornecer o seu plano de vôo, e permanecer sempre contactáveis. Deste modo, Pequim bloqueou já os sobrevôos de drones espiões norte-americanos sobre o seu flanco oriental.

No geral, a posição chinesa está conforme ao direito internacional, salvo para as zonas em disputa, onde a prudência é de ter em conta.

TOMA CUIDADO, GRINGO! OS JOGOS DE SOCHI ACABAM ESSE FIM DE SEMANA.

Poderia Obama derrubar três governos

ao mesmo tempo?

O poder de um Estado mede-se, ao mesmo tempo, tanto pela sua capacidade para se defender, como pela de atacar, numa ou em várias frentes.
Nesta perspectiva, Washington tenta mostrar, pela primeira vez, que pode derrubar três governos simultaneamente, na Síria, na Ucrânia e na Venezuela. Se conseguir alcançar isso, nenhum governo estará em condições de ser capaz de lhe resistir.
Washington que, em 2011, falhou em conseguir bombardear, simultaneamente, a Líbia e a Síria, está em vias de
tentar uma nova demonstração da sua força: organizar mudanças de regime, em três Estados de uma vez, em regiões diferentes do mundo: a Síria (CentCom), a Ucrânia (EuCom) e a Venezuela (SouthCom).
O poder de um Estado mede-se, ao mesmo tempo, tanto pela sua capacidade para se defender, como pela de atacar, numa ou em várias frentes. Nesta perspectiva, Washington tenta mostrar, pela primeira vez, que pode derrubar três governos simultaneamente, na Síria, na Ucrânia e na Venezuela. Se conseguir alcançar isso, nenhum governo estará em condições de ser capaz de lhe resistir .
Para o conseguir, o presidente Obama mobilizou quase toda a equipe do seu Conselho de segurança nacional.
Primeiro, a conselheira Susan Rice e a embaixatriz na ONU, Samantha Power. Estas duas mulheres são as campeãs do discurso «democrático». Elas fizeram disso uma das suas especialidades, desde há muitos anos, ao preconizar a ingerência nos assuntos internos dos outros Estados sob pretexto de prevenir genocídios. Mas, por trás desse discurso generoso, elas estão-se nas tintas para as vidas dos não-americanos, como o demonstrou a Sra Power aquando da crise das armas químicas de Ghoutta. A embaixatriz, que estava perfeitamente ciente da inocência das autoridades sírias, saiu de viagem, com o seu marido, para assistir na Europa a um festival de cinema consagrado a Charlie Chaplin, enquanto o seu governo denunciava um crime contra humanidade do qual tornava responsável o presidente el-Assad
.


Depois, os três responsáveis regionais: Philip Gordon (Próximo-Oriente e África do Norte), Karen Donfried (Europa e Euroásia) e Ricardo Zuñiga (América latina).

Phil Gordon (amigo pessoal e tradutor de Nicolas Sarkozy) organizou a sabotagem da Conferência de paz de Genebra 2, enquanto o dossiê palestiniano não seja regulado à maneira dos EU. Durante a segunda sessão da conferência, enquanto John Kerry falava de paz, ele reunia, em Washington, os chefes dos serviços secretos jordanos, cataris, sauditas e turcos para preparar um enésimo ataque.
Os conspiradores reuniram um exército de 13.000 homens, dos quais apenas 1.000 receberam uma breve formação militar, para conduzir blindados e tomar Damasco. O problema está em que a coluna arrisca ser destruída pelo exército sírio antes de chegar à capital. Mas, eles não conseguiram chegar a entendimento sobre o modo de a defender, sem distribuir armas anti-aéreas que pudessem, ulteriormente, ser usadas contra Israel.
Karen Donfried é uma ex-oficial do serviço nacional de inteligência para a Europa. Ela dirigiu durante muito tempo o German Marshall Fund (Fundo Marshall Alemão) em Berlim.
Atualmente ela manipula a União europeia para mascarar o intervencionismo de Washington na Ucrânia. Apesar da fuga de uma conversa telefónica da embaixatriz Victoria Nuland, ela conseguiu fazer crer aos Europeus que a oposição em Kiev queria juntar-se a eles, e bater-se pela democracia. Ora, mais da metade dos revoltosos da praça Maidan são membros de partidos nazis, e arvoram os retratos do Colaboracionista Stepan Bandera.

• Por fim Ricardo Zuñiga é o neto do presidente homónimo do Partido nacional das Honduras, que organizou os golpes-de-estado de 1963 e de 1972 a favor do general López Arellano.
Ele dirigiu a agência da CIA em Havana, onde recrutava agentes e os financiava para formar a oposição a Fidel Castro. Ele mobilizou a extrema-esquerda trotskista venezuelana para derrubar o presidente Nicolas Maduro, rotulado de ser estalinista.


O conjunto das operações é mediatizado sob a batuta de Dan Rhodes. Este especialista da propaganda já escrevera a versão oficial do 11 de Setembro de 2001, redigindo o relatório da comissão de inquérito presidencial.
Fê-lo de modo a fazer desaparecer qualquer traço do golpe de Estado militar, (o poder foi retirado das mãos de George W. Bush cerca das 10h da manhã e só lhe foi restituído à noite; todos os membros do seu gabinete e os do Congresso foram metidos nos bunkers de segurança para «garantir a sua vida»), de maneira a que só ressalte a versão de atentado.


Nos três casos, o discurso Americano repousa sobre os mesmos princípios: acusar os governos de ter morto os seus próprios cidadãos, qualificar os opositores de «democráticos», lançar sanções contra os «matadores», e em definitivo realizar golpes de Estado.
A jogada começa, sempre, por uma manifestação no decurso da qual os oponentes pacíficos são mortos, e onde os dois campos se acusam das violências. Na realidade, as forças especiais dos E.U.A. ou da Otan colocadas sobre os telhados, atiram ao mesmo tempo sobre a multidão e sobre a polícia. Como foi o caso em Deraa (Síria) em 2011, em Kiev (Ucrânia), e em Caracas (Venezuela) esta semana. Por azar, as autópsias realizadas na Venezuela mostram que duas das vítimas, um opositor e um pró-governamental, foram mortos pela mesma arma.


Qualificar os opositores de democratas é um simples jogo de retórica. Na Síria, estes são takfiristas apoiados pela pior ditadura do planeta, a Arábia Saudita; na Ucrânia alguns pró-europeístas sinceros estão rodeados de inúmeros nazis; na Venezuela jovens trotskistas de boas famílias rodeados por milícias patronais. Por todo o lado aparece o falso oposicionista EUA, John McCain, trazendo seu amor pela democracia e o seu apoio aos reais e falsos opositores locais.


O apoio aos opositores incumbe à National Endowment for Democracy (Promoção Nacional para a Democracia)(NED).
Esta agência do governo americano apresenta-se, mentirosamente, como uma ONG financiada pelo Congresso. Mas, ela foi criada pelo presidente Ronald Reagan, em associação com o Canada, o Reino Unido e a Austrália. É dirigida pelo neo-conservador Carl Gershman e pela filha do general Alexander Haig (antigo comandante-supremo da Otan, depois secretário de Estado), Barbara Haig. É a NED, (na realidade o departamento de Estado), quem emprega o senador da «oposição» John McCain.


A este dispositivo é preciso juntar o Albert Einstein Institute (Instituto Albert Einstein-ndT), uma «ONG» financiada pela Otan.
Criada por Gene Sharp, formou agitadores profissionais a partir de duas bases, na Sérvia (Canvas) e no Catar (Academy of change-Academia da mudança). Em todos os casos Susan Rice e Samantha Power assumem ares ultrajados antes de parar as sanções —logo aliviadas pela União europeia—, quando são elas as comanditárias das desordens.


Resta conseguir finalizar os golpes de Estado.
E, isto, ainda não está feito. Washington tenta, assim, mostrar ao mundo que é o mestre de sempre. Para estar ainda mais seguro de si, lançou as operações ucraniana e venezuelana durante os Jogos Olímpicos de Sochi. É certo que a Rússia não se mexerá, com medo de ver a sua festa estragada por atentados islamistas. Mas Sochi acaba este fim-de-semana. Será, agora, a vez de Moscou de jogar.
 

RADIOATIVIDADE EM PORTUGAL CAUSOU A MORTE DE MINEIROS



Antigos mineiros
rumam a Bruxelas
Uma delegação de 25 antigos mineiros da Empresa Nacional de Urânio (ENU), partiu de Nelas, rumo a Bruxelas, segunda-feira, 17, para apresentar no Parlamento Europeu a sua justa reclamação de atribuição de indemnizações aos familiares de falecidos com neoplasias.
O Estado português, proprietário das minas de Urânio até o seu encerramento, foi responsável pela exposição dos trabalhadores à radioatividade, sem qualquer controle ou proteção, causando a morte prematura de mais de centena e meia de mineiros.
Procurando dar maior visibilidade a esta justa luta, a deputada do PCP no Parlamento Europeu, Inês Zuber, decidiu convidar a Associação dos ex-Trabalhadores Mineiros (ATMU) a deslocar-se a Bruxelas.

Nesta visita de trabalho e sensibilização estão previstos contactos com o Grupo Parlamentar do PCP no PE e uma reunião com a Comissão Parlamentar do Emprego e Assuntos Sociais, para a qual foram convidados todos os deputados portugueses e de outros países.
Os antigos mineiros iniciaram a ação com uma marcha simbólica, entre a Urgeiriça e Nelas, onde tomaram o onibus para Bruxelas.
A deslocação foi acompanhada por João Abreu, responsável da DORV e membro do Partido Comunista Português.

MANIFESTO DE CRIAÇÃO DO CONSELHO POLITICO POPULAR PELO DESENVOLVIMENTO DA ZONA NORTE


"A massa não é apenas objeto da ação revolucionária; é sobretudo sujeito"

Rosa Luxemburgo

RECONHECENDO A DINAMICA DO MOMENTO ATUAL, ONDE ESTÁ POSTO EM CHEQUE O ANTIGO MODELO DA DEMOCRACIA REPRESENTATIVA BURGUESA;

RECONHECENDO QUE O PODER ECONOMICO SUBVERTE A VONTADE POPULAR, ATRAVÉS DA COOPTAÇÃO DAS ESTRUTURAS DE PODER E DE INSTITUIÇÕES PUBLICAS E, PRINCIPALMENTE,  MANIPULANDO CORAÇÕES E MENTES ATRAVÉS DA MIDIA GOLPISTA;

RECONHECENDO QUE O DIREITO DO CIDADÃO SER SUJEITO DA HISTORIA, SE CONSAGRA NA REUNIÃO DAS VONTADES OBJETIVAS E SUBJETIVAS QUANDO EXPRESSADAS NA AÇÃO POLITICA DE CONSTRUIR O SEU PROPRIO CAMINHO;

RECONHECENDO QUE O GOVERNO DE FERNANDO HADDAD DO PT, NO POUCO TEMPO DE EXISTENCIA, ABRIU CANAIS ALTERNATIVOS DE DIALOGO COM A POPULAÇÃO, INCENTIVANDO A PARTICIPAÇÃO DIRETA DO CIDADÃO NAS DECISÕES SOBRE O DESTINO DA CIDADE;

E RECONHECENDO QUE ESTA NOVA CONFIGURAÇÃO DA GOVERNANÇA TEM A LEGITIMIDADE DO VOTO E OPERA EM FAVOR DOS ANSEIOS DA POPULAÇÃO OPRIMIDA DE SÃO PAULO;

CONSTITITUIMOS HOJE O CONSELHO POLITICIO POPULAR PELO DESENVOLVIMENTO DA ZONA NORTE.

O CONSELHO POLITICIO POPULAR PELO DESENVOLVIMENTO DA ZONA NORTE É UM ORGÃO APARTIDÁRIO QUE REUNE A POPULAÇÃO DA ZONA NORTE E REPRESENTAÇÕES DESTA, COM O OBJETIVO DE AMEALHAR E ORGANIZAR AS REIVIDICAÇÕES E PROJETOS VOLTADOS PARA PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO, DIALOGANDO EM TODAS AS ESFERAS DO PODER MUNICIPAL, ESTADUAL E FEDERAL PARA CONCRETIZÁ-LOS COM O QUE DE MELHOR EXISTIR PARA O ATENDIMENTO DE SUAS DEMANDAS.

ESTE MOVIMENTO NÃO SE PRETENDE UM CONSELHO PARTICIPATIVO PARALELO, POIS, RECONHECE O MESMO COMO INSTANCIA INSTITUCIONAL LEGITIMA PELO QUAL TAMBÉM PODE ENCAMINHAR SUAS REIVINDICAÇÕES.

O CONSELHO POLITICIO POPULAR PELO DESENVOLVIMENTO DA ZONA NORTE NÃO SE ESTRUTURA EM HIERARQUIA DE COMANDO VERTICAL, MAS SE COMPREENDE NA IGUALDADE HORIZONTAL QUE DEFINE ADEQUADAMENTE SEU CARATER SOLIDÁRIO, UNIVERSAL E DIVERSO.

O CONSELHO POLITICIO POPULAR PELO DESENVOLVIMENTO DA ZONA NORTE É PAUTADO ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE PELA VONTADE SOBERANA DO POVO QUE VIVE NESSA REGIÃO E, PORTANTO, NÃO SE FURTARÁ FAZER SUA DEFESA EM QUALQUER TEMPO E ESPAÇO DA CIDADE SÃO PAULO.

PORCENTAGEM DE DESEMPREGADOS BATE RECORDE NA GRECIA E NO BRASIL

Desemprego aumenta na Grécia
Janeiro brasileiro: desemprego de 4,8%


A taxa de desemprego na Grécia atingiu um novo máximo histórico de 28%, segundo indicou, dia 13, o Instituto de Estatística grego (Elstat).
Oficialmente existiam, em Novembro, 1,38 milhões de pessoas à procura de emprego, contudo, os cidadãos considerados «inativos» são já 3,38 milhões, ou seja, quase tantos como os 3,55 milhões que ainda têm trabalho.
Em 2013, a economia grega continuou em recessão (-3,7%), pelo sexto ano consecutivo, provocando, pela primeira vez em 45 anos, uma queda média dos preços dos bens de consumo de 1,5 por cento em relação a Janeiro de 2012 e uma inflação negativa de -0,9 por cento.

Brasil

"O mês de janeiro deste ano registrou uma taxa de desemprego de 4,8%. O dado da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) foi divulgado hoje (20) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Esta é a menor taxa para um mês de janeiro da série histórica da PME, iniciada em março de 2002. Em janeiro de 2013, o desemprego havia ficado em 5,4%. Já em dezembro de 2013, a taxa havia sido de 4,3%.
O número de desocupados (1,2 milhão de pessoas) é 9,6% maior do que dezembro, mas 12,6% menor do que o observado em janeiro do ano passado.

Já a população ocupada (23,1 milhões) caiu 0,9% em relação a dezembro e manteve-se estável na comparação com janeiro de 2013.
O número de trabalhadores com carteira assinada ficou em 11,8 milhões, ou seja, estável em relação a dezembro e janeiro de 2013. A PME é realizada em seis regiões metropolitanas: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre."