JUSTIÇA ORDENA QUE A TV TUCANALHA GLOBO DIVULGUE TAMBÉM A AGENDA DE PADILHA

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) acolheu o pedido do candidato ao Governo do Estado, Alexandre Padilha (PT) para que a Rede Globo, quando divulgar as agendas dos candidatos em sua cobertura jornalística, inclua a agenda do petista.

Elaboração do orçamento da cidade para 2015 será debatido em 32 audiências públicas


Nos dias 30 de agosto e 6 de setembro serão realizadas nas 32 subprefeituras da capital audiências públicas para discutir a elaboração do projeto da Lei Orçamentária Anual para 2015.

POLITICA ADMINISTRATIVA DE ALCKMIN VIRA MANCHETE INTERNACIONAL

A incapacidade tucana

O Daily Telegraph de londres publicou: "São Paulo and Rio authorities battle over scarce water resources as reservoirs run dry."

Telegraph diz que a prevista seca que atinge a maior cidade do Brasil levou a uma "guerra da água", que poderia fazer com que o abastecimento de água a entrar em colapso em partes de São Paulo e Rio de Janeiro.
As autoridades de São Paulo finalmente começaram a batalhar a crise de água que vem por meses enquanto os reservatórios secam por falta de planejamento do governo, e de chuva.
No início deste mês, a empresa estatal de energia em São Paulo (Cesp) solicitou ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para reduzir o fluxo de água na represa Jaguari hidrelétrica no Rio Paraíba do Sul a partir de 40 mil litros por segundo para 10 mil litros por segundo
A medida foi destinada a priorizar o abastecimento de água aos residentes no estado de São Paulo em relação à geração de energia.

Mas de acordo com o ONS, que reduziu o fluxo ao longo de vários dias para apenas 30 mil litros por segundo, uma redução unilateral esvaziaria reservas e deixaria milhões em 41 municípios sem água até o final de outubro.



Em um comunicado, o operador disse: "O ONS informou a Agência Nacional de Águas e Cesp que não foi considerado viável  atender a solicitação da agência.

Ministério Público do Rio requisitou informações sobre como aumentar o fluxo de água do rio Paraíba do Sul, que atravessa o Estado do Rio e em São Paulo.

A disputa de recursos tem causado conflito entre os governos estaduais de São Paulo e Rio de Janeiro. Os relatórios sugeriram a batata quente pode acabar nas mãos da presidente, Dilma Rousseff.


"Tenho certeza que o governo federal, através da Agência Nacional de Águasirá determinar o que deve ser feito com o rio Paraíba do Sul. São Paulo, que não conseguiu se planejar para a seca, não pode tomar uma decisão unilateral", Luiz Fernando Pezão, governador do Rio, disse ao jornal Estadão.


Moradores do Estado do Rio supostamente já foram afetadas com a escassez que coincidiram com a redução temporária do fluxo de água na barragem

As autoridades locais disseram que muitas famílias em Barra do Piraí foram afetadas pela desorganização do Estado de São Paulo e encontraram suas torneiras secas durante 12 horas por dia. O prefeito Maércio de Almeida acusa o pedido de Cesp pela redução no fluxo de água.  "Esta decisão foi absurdo, tomada sem consultar ninguém", disse ele. "Espero que a Agência Nacional de Águas vai tomar algumas medidas."



A seca na região abastecida pelo rio Paraíba do Sul foi dito ser pior do que a que afeta o sistema Cantareira, que abastece 8.450.000 pessoas em São Paulo e arredores.

No final do mês passado, uma vez que o governador de São Paulo não estava agindo, o Ministério Público Federal recomendou água imediato racionamento em São Paulo depois de um estudo científico sugeriu que o sistema poderia secar dentro de 100 dias, trazendo conseqüências catastróficas para o Estado.


NORTEAMERICANOS INVADIRIAM OS AÇOURES SOMENTE DEPOIS DO ASSASSINATO DE MÁRIO SOARES

             Kissinger PENSOU que OS              comunistas iRIam matar
                   Mário Soares


Henry Kissinger, ex-secretário de Estado norte-americano, previu e errou que "os comunistas" iam matar, em 1975, Mário Soares, líder histórico do PS e ministro dos Negócios Estrangeiros.

"Os comunistas vão arrastar Soares para a esquerda até ele perder apoio e depois vão matá-lo. As forças armadas vão fazer um golpe de estado sob liderança dos comunistas", afirmou Kissinger numa reunião, a 04 de fevereiro de 1975, do Comité dos 40, organismo para supervisionar operações clandestinas e que incluía os serviços secretos, a CIA.

Henry Kissinger era um crítico de Mário Soares, considerando-o fraco e, em outubro de 1974, chegou a dizer-lhe que seria o "Kerensky português"[1] o dirigente socialista russo derrotado por Lenine na revolução russa de 1917. 

Anos mais tarde, já depois do fim do período revolucionário, em finais de 1975, também numa reunião em Washington, admitiu o erro quanto a Mário Soares, que, na democracia portuguesa, foi primeiro-ministro de vários governos e Presidente da República (1986-1996). 

Esta revelação é feita, 40 anos após o 25 de Abril de 1974, em documentos do Departamento de Estado até agora considerados "secretos" e publicados no volume do departamento histórico do Departamento de Estado sobre a política externa norte-americana, referente aos anos de 1969-1977 (Foreign Relations of the United States -- Volume E-15, part II).

Pentágono tinha Plano de Contingência para "invadir" dos Açores em 1975.


Um elemento da situação que foi especialmente preocupante para os formuladores de políticas dos EUA era o controle dos Açores. Durante anos, o governo português tinha fornecido o acesso ao campo de pouso de Lajes , que se mostrou vital durante a outubro 1973 Guerra Árabe-Israelense, pois facilitou o trânsito de aviões dos EUA transportando suprimentos militares para Israel (outros aliados da NATO não colaboraram). 



O acordo básico com Portugal terminou em 1974, enquanto que as negociações tinham parado, no entanto, de Lisboa continuou a fornecer acesso a Lajes. Enquanto isso, alguns açorianos estavam interessados ​​em uma maior autonomia política, possivelmente, até mesmo tomando o caminho da independência, assim como outros territórios ultramarinos portugueses, tais como Angola, Moçambique e Guiné-Bissau. Enquanto alguns ricos americanos de ascendência portuguesa  (muitos dos Açores) apoiavam a independência, segundo Kissinger, posição dos Estados Unidos foi uma de "estrita neutralidade." A implementação do plano de contingência do Pentágono pelos EUA poderia ser feita e acabar rapidamente sua "estrita neutralidade", se escolhessem faze-lo.


Os detalhes do plano de contingência não são disponíveis, mas são presumivelmente em arquivos mantidos pelo Pentágono. De qualquer maneira, as preocupações que informaram o planejamento dos Açores mostrou-se exagerada, porque Mario Soares e os socialistas tinham mais poder e muito mais competência política do que Kissinger havia imaginado. Eleições nacionais na primavera de 1976 faria Soares primeiro-ministro. Poucos meses antes das eleições, Kissinger disse a Soares que "o que você fez me surpreendeu. Devo admitir isso. Eu freqüentemente não cometo erros de julgamento ".




FONTES
[1] Memorandum of conversation, “Secretary Kissinger and President Coast Gomes of Portugal,” 18 October 1974, Digital National Security Archive (DNSA). For Kissinger’s reaction to the Portuguese situation, see, for example, the interviews with Warren Zimmerman, 10 December 196l and Wesley Egan, 28 October 2003, in the Foreign Affairs Oral History Collection of the Association for Diplomatic Studies and Training http://memory.loc.gov/ammem/collections/diplomacy/index.html.

[2] Memorandum of conversation, “The Secretary’s Meeting with Mario Soares,” 26 January 1976. DNSA.

AECIO NEVES PERDE VOTOS POR USUAR DROGAS, MAS CULPA A INTERNET

Aécio Neves, o principal adversário
na próxima eleição presidencial no Brasil,
INTERNET DERAIL BRAZILIAN POLL’S RUN FOR PRESIDENT - The YouTube clip shows a man chatting with reporters on a sidewalk at dusk
está tentando inutilmente querendo afastar os rumores online de sua toxicodependência, em uma tentativa desesperada de salvar sua campanha.

O clipe YouTube mostra um homem conversando com repórteres em uma calçada ao anoitecer. 

Há um jeitinho de bêbado em seu discurso e uma guinada clara para o pé da frente, que pode ser um sinal de que ele está "cansado", ou simplesmente tinha mais doses do que deveria. Mas o caption- "Aécio Neves concede entrevista embriagado".

Faça uma pesquisa rápida no Google de Aécio Neves e você vai saber que ele é um atual senador e ex-governador de Minas Gerais, um dos maiores e mais desenvolvidos estados do Brasil. Os maiores jornais do país estão cheios de relatos elogiosos sobre sua capacidade de equilibrar o crescimento econômico com avanços na saúde e educação. Quase um Deus. Você também vai saber que ele é o desafiante da presidente Dilma Rousseff na próxima eleição presidencial do país. 


No entanto, na categoria "pesquisas relacionadas" do Google, "presidente Aécio Neves 2014" é apenas o terceiro resultado. Os dois  resultado topo "Aécio Neves Aerado cherador de cocaína" e "Aécio Neves bêbado", sugerem uma pessoa muito diferente daquela que os jornais brasileiros vendem: um usuário de drogas com um passado muito duvidoso.
Então, quem está por trás das mensagens conflitantes? A diretoria da campanha Neves diz que é de esquerda do Partido dos Trabalhadores de Dilma, que nega as acusações. Mas, com a eleição de outubro se aproximando rapidamente e as pesquisas fiaveis mostrando Neves para baixo por mai 20 pontos percentuais, o ex-governador está envolvido numa batalha aquecida por sua reputação online.


Sua campanha contratou um escritório de advocacia de São Paulo no ano passado para cortar perfis falsos no Facebook e perseguir trolls que foram supostamente produzindo rumores sobre Neves. Nesse meio tempo, os críticos dizem que ele está executando uma campanha excessivamente agressivo e tentando inutilmente silenciar a dissidência on-line, algo completamente anátema para a abertura e liberdade da Internet.


Nós, americanos, sabemos tudo sobre os boatos e campanhas negativas (lembre-se os birthers?). Mas o sistema jurídico do Brasil tem acompanhado o que os candidatos e partidos podem ou não podem fazer on-line, tornando o campo de batalha digital para presidente neste web nação esclarecido particularmente cruel.

Poucos esperavam que a eleição ia jogar fora dessa maneira por Neves, um homem que tem sido preparado para o poder. Seu avô, Tancredo Neves, foi um estadista reverenciado cuja a última eleição indireta em 1985 marcou o retorno do Brasil à democracia. (Ele morreu de uma doença no estômago antes que ele pudesse assumir o cargo.) 

O mais novo Neves nasceu em Minas Gerais. No entanto, como um homem jovem, ele passou um tempo considerável pendurado em torno das praias, bordéis e bares do Rio de Janeiro, que são conhecidos por uma cultura da vida fácil, sexo, drogas e surf. Neves admite que experimentou maconha durante alguns anos. Mas, como sua carreira política começou a decolar, histórias sobre suas festas de arromba apareceram nas colunas de fofocas dos principais jornais do país, muitras alimentadas pelo Sr. José Serra, um economista e politico brasileiro. Ainda assim, poucos esperavam que estes fatos sobre sua vida iria afetar sua carreira política.


Naquela época, em meados de 1990, o Partido Social Democrata de centro-direita reinou supremo no Brasil. Mas em 2002, o Partido dos Trabalhadores iniciou um impulso de uma década, graças à multidão agradecida do talento e da erradicação da pobreza políticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.



De repente, os social-democratas eram vistos como os tecnocratas de cabelos grisalhos, e bases do partido foram forçados a suportar três derrotas e dois de Lula e um para o seu mentor, Dilma Rousseff, antes da experiência do PT, havia alguma esperança de conseguir votos, mas agora .. agora, pode-se dizer que o senador Neves finalmente teve sua chance.




BRASIL AVANÇA PARA O PLENO EMPREGO, COM ELEVAÇÃO DO SALÁRIO REAL PARA O TRABALHADOR


Taxa de desemprego em julho é a menor para o mês desde 2003

Estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) feito em quatro regiões metropolitanas mostra que taxa de desemprego ficou estável de junho para julho de 2014. Em Belo Horizonte, a variação foi de 3,9% para 4,1%, enquanto no Rio de Janeiro, de 3,2% para 3,6%. Em Recife, a taxa passou de 6,2% para 6,6% e, em São Paulo, houve queda de 5,1% para 4,9%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Emprego (PME).

DILMA SE COMOVE COM O SOFRIMENTO PAULISTANO

Governo lança Plano Nacional

de Segurança Hídrica

A Agência Nacional de Águas (ANA) apresentou nesta quarta-feira (20), em Brasília (DF), o Plano Nacional de Segurança Hídrica (PNSH). O objetivo  é definir as principais intervenções estruturantes e estratégicas de recursos hídricos para todo o País, tais como barragens, sistemas adutores, canais e eixos de integração, que são necessárias para garantir a oferta de água para o abastecimento humano e para o uso em atividades produtivas. Outro foco do será reduzir os riscos associados a eventos críticos (secas e cheias).
O PNSH tem dois horizontes de trabalho. O primeiro, até 2020, é para identificação das demandas efetivas do setor de recursos hídricos, o que inclui um estudo integrado dos problemas de oferta de água e de controle de cheias em áreas vulneráveis, além da análise de estudos, planos, projetos e obras. No segundo, o Plano considera 2035 como prazo para o alcance das intervenções propostas pelo estudo, que visa a integrar as políticas públicas do setor de recursos hídricos.
"Estamos hoje, com este Plano, falando de uma identidade política para o tema da água", afirmou a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira."Brasileiro tem pouquíssima consciência sustentável sobre as águas, pela falsa ideia de abundância, que existe mas não é justa [...]. Existe o desafio de traduzir essa abundância em qualidade de vida."
Uma das diretrizes do Plano é que as obras tenham natureza estruturante e abrangência interestadual ou relevância regional e garantam resultados duradouros em termos de segurança hídrica. As intervenções também deverão ter sustentabilidade hídrica e operacional. O PNSH vai analisar os usos setoriais da água sob a ótica dos conflitos pelo recurso – existentes e potenciais – e dos impactos na utilização da água em termos de quantidade e qualidade.
"Antes, achávamos que apenas a gestão era suficiente em infraestrutura hídrica. Hoje, com as grandes secas no Nordeste brasileiro, percebemos a necessidade de termos um trabalho eficiente na gestão, mas também termos um bom planejamento da segurança hídrica", afirmou o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira.
De acordo subsecretário-geral do Meio Ambiente, Energia, Ciência e Tecnologia do Ministério das Relações Exteriores, o embaixador José Antônio Marcondes de Carvalho, é importante destacar os objetivos do plano estão em linha com o debate internacional. "[O Plano] se antecipa, prevendo medidas sobre o tema e uso sustentável da água."
O PNSH será realizado por meio de parceria entre a ANA, o Ministério da Integração Nacional e o Banco Mundial, no âmbito do Programa de Desenvolvimento do Setor Água (Interáguas).
"É uma data histórica. O Brasil é o País das águas, mas precisamos ter um uso planejado dessas águas", lembrou o chefe de gabinete do Ministério das Cidades, Gustavo Frayha.
Desenvolvimento do setor água

A segurança hídrica considera a garantia da oferta de água para o abastecimento humano e para as atividades produtivas em situações de seca, estiagem ou desequilíbrio entre a oferta e a demanda do recurso. Além disso, o conceito abrange as medidas relacionadas ao enfrentamento de cheias e da gestão necessária para a redução dos riscos associados a eventos críticos (secas e cheias).
O Plano Nacional de Segurança Hídrica é uma das ações do Programa de Desenvolvimento do Setor Água (Interáguas), uma iniciativa do Brasil para aperfeiçoar a articulação e a coordenação de ações no setor de recursos hídricos.
O plano também busca criar um ambiente em que os setores envolvidos com a utilização da água possam se articular e planejar suas ações de maneira racional e integrada.
"Interáguas tem uma agenda do diálogo setorial, é mais que um contrato de uma determinada atividade. É a possibilidade de gerar ações que vão além, deixando um legado para o País. Projetos complexos como este exigem paciência, persistência e flexibilidade", disse Marcos Thadeu Abicalil, especialista sênior em água do Banco Mundial (Bird), no Brasil.
Fonte:

Portal Brasil com informações da Agência Nacional de Águas 



PADILHA: O GUERREIRO QUE VIROU MÉDICO DE CORPO E ALMA


Minha história e depoimentos emocionantes no nosso primeiro programa de tv. Assistam!

ENTREVISTA DA DILMA PARA "TALK TO AL JAZEERA"

  Dilma Rousseff: Transformando o Brasil
Dilma Rousseff: Transforming Brazil The Brazilian president examines issues surrounding the World Cup and economic challenges facing her country.
A presidenta brasileira examina as questões e os desafios econômicos do Brasil

Ela tem sido chamada de "A Mãe da Nação" por muitos e por alguns "Lady de Ferro". No ano passado, a Revista Forbes a nomeou a Segunda Mulher Mais Poderosa do Mundo.

A presidente Dilma Rousseff, eleita em 2010, e a primeira chefe de Estado do sexo feminine no Brasil, este ano, estara buscando uma reeleição e vem sendo a grande favorita pará vencer as eleições.
"Eu acredito que o Povo brasileiro deveria me dar uma oportunidade de um novo mandato, devido ao de que sou parte do projeto que transformou o Brasil " diz Dilma. 54% da população do Brasil viviam na pobreza em 2002. Hoje em dia, 75% por cento da população brasileira compõem uma classe MÉDIA, ou seja, pessoas de classe C e acima.
Em sua juventude, abraçou o socialismo progressista e foi presa pelo seu envolvimento na luta democratica em grupos de guerrilha contra a ditadura military brasileira, mas ao longo dos ultimos 40 anos, ela faz uma viagem do estabelecimento do marxismo imediato para um moderado caminho construindo o socialismo.
Dilma Rousseff, falou ao Al Jazeera sobre a os problemas de fazer a Copa do Mundo, a Cúpula BRICS, Desafios Económicos e Sociais, e o papel brasileiro na região latina.
"Temos uma visão multipolar do mundo. Tendo em conta que temos uma grande ênfase em nossos vizinhos. Todo o mundo está cheio de culturas diferentes e devemos conviver com todas as nações", diz ela. "Nós éramos uma colônia, temos vivido no âmbito do Fundo Monetário Internacional para que repudiar o conceito dos dando ordens superiores para seus subordinados. Isto não é o que o Brasil pretende fazer na região ou com os países africanos ou do BRICS. Queremos igualdade. Ninguém pode acusar o Brasil de ter uma atitude de tentar fazer valer os seus interesses contra os interesses de outras pessoas. Este é um valor que nós construímos em cima. Queremos continuar a fazer contribuições para a criação de um mundo mais pacífico ".



DILMA! CORAÇÃO VALENTE! Asisista ao primeiro video da Campanha. EMOCIONANTE!


PROBLEMAS MEDICOS LEVAM ASSANGE A PLANEJAR SAIDA DA INGLATERRA

Assange afirma que vai, em breve, sair
da Embaixada do Equador em Londres.


Julian Assange, que está há mais de dois anos refugiado na Embaixada do Equador em Londres para evitar sua extradição para a Suécia, afirmou, na manhã desta segunda-feira, que sairá “em breve” do local. 
Ele, no entanto, não esclareceu o prazo a que se referiu com a expressão “em breve” nem em que condições sairia: se vai se entregar às autoridades britânicas, se fugirá às escondidas ou se sua saída será resultado de algum acordo com as autoridades britânicas para poder abandonar o país sem ser extraditado.
O fundador do Wikileaks pareceu dar a entender que não pensa em se entregar quando explicou que espera sair logo, mas “talvez não pelos motivos que estão dizendo os jornais de Murdoch e a Sky neste momento”. A rede de TV Sky afirmou, nesta segunda, que Assange sairia da embaixada por motivos de saúde, um anúncio que pareceu ser uma conclusão de um de seus analistas, após uma entrevista muito pessimista de Assange publicada no fim de semana.
Pouco depois, Assange deu uma entrevista coletiva na Embaixada, ao lado do ministro das Relações Exteriores do Equador, Ricardo Patiño. Em suas declarações, o fundador do Wikileaks enfatizou principalmente os problemas de saúde que o afetam por causa de sua reclusão, particularmente aqueles causados pela falta de exposição direta ao sol. Na entrevista publicada no domingo pelo The Mail on Sunday, Assange disse que os mais de dois anos que passou fechado no interior da Embaixada provocaram nele arritmia cardíaca, hipertensão e problemas pulmonares.
Na entrevista coletiva, Assange mencionou esses problemas e voltou a reclamar que já soma quatro anos sem liberdade, sendo mais de dois deles na Embaixada, apesar de nunca ter sido acusado de nada. 
As autoridades judiciais da Suécia querem que Assange seja enviado ao país para interrogá-lo e decidir se o acusam formalmente ou não por vários crimes de abuso sexual supostamente cometidos em agosto de 2010, dos quais é acusado por duas mulheres, entre eles um possível estupro.
Assange fugiu da Suécia para Londres no mesmo dia em que seria interrogado pela promotoria sueca.
Ele está refugiado na Embaixada do Equador em Londres desde 19 de junho de 2012 para evitar ser extraditado para a Suécia, alegando que as autoridades daquele país poderiam, posteriormente, extraditá-lo para os Estados Unidos.
Nesta manhã, o ministro Patiño acusou o Governo britânico de não querer encontrar uma solução diplomática para a situação de Assange.

IÊMEN - CAMINHADA DE UM POVO QUE APOIA GAZA


Milhares de pessoas marcharam em apoio a Gaza solicitando "Acabar com embargo em gaza" Mensagem de solidariedade, denuncia e luta contra o bloqueio genocida de Israel.

BRASIL CONTINUA A CRESCER ENQUANTO A EUROPA AFUNDA

Itália volta a recessão

A economia de Itália voltou a entrar em recessão no segundo trimestre do ano, com o Produto Interno Bruto a contrair 0,2 por cento, face aos três primeiros meses do ano, período em que a economia transalpina caiu 0,1 por cento.
Os dados divulgados, dia 6 de agosto, estão muito abaixo das previsões da Comissão Europeia, que apontavam para um crescimento de 0,6 por cento este ano.


TRIBUNAL EUROPEU CONDENOU PAU-MANDADO DE OBAMA

TEDH confirma prisão secreta da CIA na PolÔnia
Cumplicidade na tortura

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos (TEDH) condenou a Polónia, dia 24, por cumplicidade na organização das prisões secretas da CIA, confirmando a existência de instalações no Norte do país.
A Polónia cooperou na preparação e organização das operações de entrega e detenção secreta,  interrogatórios e tortura realizadas pela CIA no seu território, e deveria saber que, ao permitir que a CIA detivesse tais pessoas no seu território, as fazia correr um sério risco de sofrer tratamentos contrários à Convenção Europeia de Direitos Humanos».

Tal foi a decisão tomada unanimemente pelos juízes do tribunal de Estrasburgo, que se pronunciaram sobre os processos de Abu Zubaydah, um palestiniano de 43 anos, e de Abd al-Rahim al-Nashiri, um saudita de 49 anos, que foram detidos e torturados na Polonia, durante vários meses em 2002 e 2003, antes de serem transferidos para a base de Guantánamo.
O tribunal condenou as autoridades polacas a pagar uma indemnização de 100 mil euros a cada um dos queixosos.
O tribunal apurou a existência de uma instalação situada numa floresta no Norte da Polónia, com o nome código de «Quartz», perto da localidade de Stare Kiejkuty, que funcionou como centro da CIA para detenção e interrogatório de indivíduos suspeitos de pertencerem à Al Qaeda, após os acontecimentos em Nova Iorque de 11 de setembro de 2001.
A Polónia é ainda acusada de cumplicidade na camuflagem do trânsito de aviões utilizados para a transferência de prisioneiros.
O governo polaco, que até agora sempre negou a existência de prisões secretas no seu território, tem agora três meses para recorrer da sentença.



Casos pendentes

Já em Dezembro de 2012, o TEDH havia condenado a Macedónia pela prisão ilegal de Khaled el-Masri, um alemão de origem libanesa, detido em finais de 2003 e entregue a agentes norte-americanos, que o torturaram durante cinco meses no Afeganistão.
A presente sentença tem implicações para outros estados europeus, já que evoca investigações independentes do Conselho da Europa, testemunho de peritos e diversos documentos que tornam «suficientemente convincentes» as denúncias dos queixosos.
Em 2006, um relatório do Conselho da Europa, do qual dependente o TEDH, concluiu que a agência norte-americana realizou numerosas detenções ilegais em território europeu.
O TEDH tem pendentes outros processo similares, nomeadamente relacionados com prisões da CIA na Roménia e na Lituânia.
Segundo a organização não-governamental «Open Society Justice Initiative», mais de 50 estados foram cúmplices dos EUA no programa das prisões secretas, destinado a investigar suspeitos de terrorismo à margem dos procedimentos legais.

GOVERNADOR ALCKIMIN DEIXA DE REPASSAR R$ 2 BILHÕES PARA AS UNIVERSIDADES PAULISTAS

Sonegação de recursos às universidades - O governo estadual lesou a USP, Unesp e Unicamp.

BRASIL NEGOCIA O PRIMEIRO SISTEMA DE ARTILHARIA ANTIAÉREA DA AMÉRICA LATINA

Rússia pode firmar contrato para o fornecimento de sistemas Pantsir ao Brasil até o fim deste ano.

EXEMPLO PALESTINO DE LUTA CONTRA O NAZISMO ISRAELENSE

Palestina vencerá!

Os palestinianos travam batalhas importantes para o seu futuro e o de toda a Humanidade: 
a verdade contra a mentira, os fatos contra a manipulação, a resistência dos oprimidos contra a generalização e a banalização da guerra e o domínio dos poderosos, a luta pelo direito de autodeterminação, pela paz e a soberania e contra a hegemonia do imperialismo.
Os grandes meios de comunicação nacional e internacional dizem-nos mais uma vez que recrudesceu o «conflito Israelo-palestiniano», que há ataques e contra-ataques de ambas partes, sempre com o vergonhoso propósito de comparar o exterminador e o exterminado, o ocupante e o ocupado. 
Apesar disso, vão chegando os ecos da brutal agressão israelita aos palestinianos na forma de notícias sobre o número de mortos e feridos que não pára de aumentar, crianças, mulheres ou homens, ninguém escapa ao salto qualitativo na determinação genocida de Nazi-Israel – desde 1948, 1,9 milhões de palestinianos terão sido vítimas da ação de Israel. Dizem-nos e mostram-nos que muitas casas foram totalmente destruídas, que escolas, hospitais e centros de saúde foram bombardeados, que alguns encerraram e outros ficaram total ou parcialmente destruídos, que importantes infra-estruturas de abastecimento de eletricidade e de abastecimento de água foram destruídas em Gaza – onde as alternativas são inexistentes.    A suposta neutralidade da informação esconde uma versão da propaganda de guerra, uma inegável cumplicidade, porque bastaria o estudo de meia-dúzia de elementos que facilmente se encontram na internet, incluindo das próprias Nações Unidas, para se ficar com uma ideia clara do que está em curso. 
Numa vergonhosa tentativa de esconder a verdade, todos os meios são poucos para procurar camuflar a agressão à população de Gaza com a legitimidade da autodefesa, escondendo ou minimizando a ação criminosa de Israel, quando um dos exércitos mais poderosos do mundo continua a atacar indiscriminadamente e por todos os meios uma das áreas com maior densidade populacional do planeta, utilizando nestas condições armamento e munições de uma capacidade de destruição que não deixa margem para dúvida sobre o objetivo de matar tantos quantos for possível e destruir toda a infra-estrutura essencial à vida deste povo mártir, como tem sido denunciado por ex-soldados de Israel.

Pouco ou nada é dito, escrito ou mostrado sobre a manutenção por Israel do bloqueio total de Gaza desde 2005, mantendo dependentes da esmola e da arbitrariedade dos militares quase dois milhões de pessoas, sujeitas a permanentes humilhações, perseguições, impedimento da liberdade de expressão e reunião, assassinatos constantes, gritantes violações dos seus direitos fundamentais, nomeadamente na alimentação – mantida abaixo do mínimo para uma dieta saudável –, saúde, educação. Nem uma referência à colonização e aos sucessivos ataques e ações criminosas de Israel sobre os palestinianos ao longo da longa história da ocupação, ao sistema de apartheid em que são mantidos os palestinianos, à prisão indiscriminada de todos quantos se oponham ao contínuo avanço dos colonatos e ao muro que procura impor definitivamente a ocupação. 

Primeiro utilizaram a desculpa do desaparecimento dos três jovens israelitas para punir coletivamente todo um povo, depois a destruição dos túneis do Hamas, agora trata-se alegadamente de terminar a neutralização da sua capacidade militar, depois será mais qualquer coisa até ao último palestiniano. O sionismo – a ideologia da estrutura dirigente do Estado de Israel – alimenta o seu poder e a sua dominação na radicalização desta ideologia racista que constitui cada vez mais uma ameaça para o povo palestiniano mas igualmente para o próprio povo de Israel e de todo o mundo.
O terrorismo de Estado de Israel na Palestina não seria possível sem o apoio e o estímulo da sua ação por parte dos EUA e da União Europeia. 
Numa das primeiras resoluções aprovadas pelo recentemente empossado Parlamento Europeu, a maioria de direita e da social-democracia que o domina defendeu no seu primeiro ponto que fosse colocado um ponto final aos «ataques com rocketscontra Israel a partir de Gaza» – posição rejeitada pelos deputados do PCP e do seu Grupo, mas apoiada pelos deputados de PSD, PS e CDS/PP e por esse «anti-sistema» que diz ser Marinho e Pinto. Durão Barroso (presidente da Comissão Europeia) e Herman Van Rompuy (presidente do Conselho Europeu), alinharam no mesmo registo hipócrita numa declaração conjunta emitida recentemente. Para aqueles que procuram apresentar contradições onde existe conciliação, a posição de diferentes instituições da UE nesta questão fundamental não deixa de ser um elucidativo exemplo do uníssono das suas posições que decorre do seu domínio pelas forças da direita e da social-democracia.