PIG: SERÁ QUE EXISTE CONEXÃO ENTRE HELICOCA E AÉCIOPORTO?

Helicóptero do Pó x Aeroporto de Cláudio: algo a ver?

Situação da fazenda de Aécio em relação ao Aeroporto de Cláudio
Quando a Folha no domingo passado denunciou que o então governador de Minas Gerais e atual candidato à presidência pelo PSDB Aécio Neves teria usado dinheiro público para fazer um aeroporto em terras do tio todo mundo ficou mais surpreso com a fonte da informação que com a própria. Por que a Folha teria despertado um assunto que poderia trazer prejuízos políticos ao candidato que aparentemente apóia?

NAZISMO ISRAELENSE CONTINUA ASSASSINANDO INOCENTES

Agressão israelita à Palestina
Sionistas intensificam ofensiva
Israel vai continuar a agressão criminosa contra a Faixa de Gaza, onde o número de assassinados não pára de crescer e a sobrevivência é cada vez mais dura.



Ao final de 21 dias de ofensiva do nazismo israelense, o número de palestinianos mortos ou feridos ultrapassava os oito mil. Mortos contavam-se, anteontem, 1113, e os feridos ascendiam a cerca de sete mil, informavam as autoridades de saúde da Faixa de Gaza. Metade das vítimas são mulheres e crianças e a maioria dos mortos, civis, contabilizam-se a partir do início da segunda fase da campanha militar lançada por Israel.
A invasão terrestre avançou até deixar sitiadas as mais importantes cidades e boa parte do território ocupado, acompanhada, quase ininterruptamente por bombardeamentos da aviação, da marinha e do exército israelitas.
Numa rara suspensão da vaga militar, domingo, órgãos de comunicação social registaram o grau de destruição. Bairros, localidades inteiras foram reduzidos a escombros. As Nações Unidas estimam que mais de três mil habitações tenham sido destruídas e alertam que as escolas que gere estão sobrelotadas com a chegada de 200 mil deslocados de guerra.
A ONU precisou ainda que 1,2 milhões de pessoas, dois terços da população, carecem ou não tem acesso a água potável ou saneamento básico. A escassez de combustível e a destruição de pelo menos metade das linhas eléctricas oriundos de Israel agravam os problemas de fornecimento de energia eléctrica, crónicos desde que Israel impôs um bloqueio à Faixa de Gaza, em 2007.
Para piorar o cenário, na madrugada de terça-feira, 29, a única central elétrica de Gaza, responsável por 30 por cento do total de energia, foi bombardeada e deixou de funcionar, informou a autoridade palestiniana de energia, para quem a situação eleva substancialmente as dificuldades nos hospitais e infraestruturas de tratamento de água.
Sobreviver na Faixa de Gaza antes da actual investida sionista era já extremamente duro. Neste momento tornou-se uma façanha escapar às bombas, às execuções a tiro, às carências múltiplas. A organização Mundial de Saúde e o Comité Internacional da Cruz Vermelha protestam contra o quotidiano ataque israelense a centros médicos, veículos e pessoal de emergência.
Propostas de cessar-fogo ou não são implementadas ou terminam com acusações mútuas de violação da trégua. Israel não vai parar o castigo colectivo que está a impor aos palestinianos. Isso mesmo confirmou, segunda-feira, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que em discurso transmitido pela televisão avisou que Israel deve preparar-se para «uma longa campanha».
Netanyahu sente que tem terreno livre para prosseguir o massacre. Horas antes, os principais chefes de governo «ocidentais» reafirmaram, após comunicação por videoconferência, a posição de princípio de que «a deterioração da situação está nas mãos dos extremistas».
Barack Obama, Angela Merkel, François Holland ou David Cameron, entre outros, referem-se ao Hamas e a outros grupos da resistência palestiniana quando falam de «extremistas». 
Como qualificam, então, um governo que, como o de Israel, bombardeia o maior hospital de Gaza (segunda-feira, 28), ou uma escola das Nações Unidas (quinta-feira, 24) que os palestinianos viam como o derradeiro refúgio?
Os túneis usados pelo Hamas para introduzir comandos nos territórios ocupados por Israel, a capacidade do movimento para lançar rockets contra colonatos e a alegada insistência no não reconhecimento do Estado de Israel, são permanentemente invocados por Telavive. Não obstante, ainda no domingo, em entrevista concedida à rádio norte-americana PBS, o líder do Hamas, Khaled Meshaal, exilado em Doha, no Catar, garantiu que «nós não somos fanáticos, nós não somos fundamentalistas. 
Nós, de fato, não estamos em luta contra os israelenses porque eles são judeus. Nós lutamos contra o ocupante opressor».

«Eu estou preparado para viver com os judeus, com os cristãos, com os árabes e com aqueles que não são árabes», afirmou Meshaal, citado pela Lusa, antes de esclarecer que, quanto ao reconhecimento do Estado de Israel, o assunto só pode ser tratado «quando tivermos um Estado palestiniano».






DILMA SORRIDENTE DESMONTA AS "PROFECIAS PESSIMISTAS" DIFUNDIDAS PELO PIG

Confederação Nacional da Indústria promoveu o encontro com os principais candidatos à Presidência da República.

Dilma Rousseff apresentou as ações tomadas pelo governo que objetivaram impulsionar efetivamente o setor industrial brasileiro.

Dilma afirmou que seu governo não desorganizou a economia, "como foi feito no passado". "É bom lembrar que não só nos protegemos da crise como também preparamos a base para a retomada do crescimento". 

E AGORA PIG? FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS DIVULGOU A TERCEIRA DEFLAÇÃO SEGUIDA

PREÇOS EM QUEDA 
O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), teve variação de -0,61% em julho/2014. Foi a terceira deflação seguida. Com o resultado divulgado hoje (30), o indicador está acumulado em 1,83% no ano e chega a 5,32% em 12 meses, menor taxa em 2014. Três meses atrás, o IGP-M estava próximo dos 8%.










1

O MINISTRO MANTEGA CRITICA RELATÓRIO DO FMI E SALIENTA: "ESTAMOS SÓLIDOS"

PESADELO EUROPEU - O CONFRONTO RÚSSIA X USA

Os EUA e a Rússia encaram uma dura e longa luta pela influência política e econômica internacional, o que complica substancialmente a vida da Europa, escreve a revista The National Interest.

FUNDOS ABUTRES ESPREITAM A ARGENTINA

O exemplo argentino evidencia o imenso poder do setor financeiro privado no mundo atual; mostra como a corte suprema do país mais rico do mundo pende em defesa de um questionável fundo abrigado em paraíso fiscal, em detrimento de um país.

46ª CÚPULA DOS PRESIDENTES DO MERCOSUL - AMPLIAÇÃO DAS TROCAS ECONÔMICAS E COMERCIAIS COM TARIFA ZERO PARA O COMÉRCIO DA REGIÃO



46ª Cúpula dos Presidentes do Mercosul


A 46ª Cúpula de Presidentes do Mercosul, a primeira que acontece em Caracas, começou nesta terça-feira com a presença de todos os chefes de Estado dos países-membros, a presidente Dilma Rousseff, a argentina Cristina Kirchner, o paraguaio Horacio Cartes, o uruguaio José Mujica e o venezuelano Nicolás Maduro participam da reunião, junto ao presidente boliviano, Evo Morales, cujo país se encontra em trâmite de adesão ao Mercosul como membro pleno.

DILMA ROUSSEFF X "JORNALISTAS" DO PIG - MELHOR QUE A ALEMANHA NA COPA DAS COPAS

GOLEADA DE DILMA SOBRE OS JORNALISTAS DO PIG FOI MAIOR DO QUE A GOLEADA DA ALEMANHA. RESTOU AO PIG SOMENTE AS  COSTUMEIRAS MANIPULAÇÕES E MENTIRAS NO DIA SEGUINTE!

AUMENTA O DESEMPREGO NA FINLANDIA

Finlândia «enganada» por Microsoft

A ministra das Finanças da Finlândia, Jutta Urpilainen, considerou que o país foi «enganado» pela Microsoft, 
ao anunciar a supressão de 1100 postos de trabalho na Nokia, no âmbito de uma redução global de 18 mil efetivos.
Quando adquiriu o fabricante finlandês no ano passado, a multinacional norte-americana comprometeu-se a manter os postos de trabalho e o essencial das atividades dentro do país.
Vários membros do governo finlandês mostraram-se surpreendidos com a decisão de encerrar o centro de engenharia de Oulu, que em 2011 empregava duas mil pessoas e onde ainda restam perto de 500 engenheiros especializados em comunicações móveis.

O declínio da electrónica contribuiu para a crise económica no país, que teve dois anos de recessão em 2012 (-1%) e 2013 (-1,4%). Enquanto que no Basil, de acordo com dados divulgados pelo IBGE em 27 de fevereiro de 2014, o PIB do Brasil apresentou crescimento de 2,3% em 2013.

HADDAD - VISÃO DE FUTURO E VALIOSA CAPACIDADE PARA A FORMULAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS

Haddad e a autofagia brasileira com seus talentos

A campanha encetada contra o prefeito de São Paulo Fernando Haddad é a prova incontestável de como o país gosta de devorar seus principais ativos intelectuais.
Haddad não é apenas prefeito de São Paulo, eleito pelo PT. Provavelmente é o melhor quadro público que o país produziu nas últimas décadas. Seu trabalho técnico e político à frente do MEC (Ministério da Educação) mostra uma visão de futuro e uma capacidade de formulação inédita na administração pública brasileira - federal ou de qualquer estado.

CHINA ACELERA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS ANTISSATÉLITES

China se prepara para desafiar EUA no espaço

China, espaço, armas

A China desenvolve tecnologias de mísseis para desafiar os Estados Unidos no espaço.

No dia 23 de julho a China realizou novo teste de um míssil destinado a destruir satélites na órbita terrestre.

ONU SALIENTA QUE A DERRUBADA DO AVIÃO NA UCRÂNIA FOI UM CRIME DE GUERRA

A derrubada do avião Malaysian Airlines em 17 de julho/2014 foi uma violação do direito internacional e, de acordo com as circunstâncias, "pode ser um crime de guerra", disse Navy Pillay, que é uma alto comissariada da ONU para os Direitos Humanos.

41 MILITARES UCRANIANOS ABANDONAM UNIDADES E ENTRAM NA RÚSSIA

Mais de 40 militares ucranianos abandonaram suas unidades e pediram aos milicianos autorização para se deslocarem para a Rússia para não combaterem contra seu próprio povo, informou o porta-voz da direção de fronteiras do FSB da Rússia no distrito de Rostov, Vassili Malaev.

A arrogância de Washington irá destruir seu império

Washington reeks of evil
Washington’s Arrogance Will Destroy Its Empire
Washington é o único entre os governos do mundo a exigir que países soberanos sigam as leis de Washington, mesmo quando essas contradigam as leis dos países soberanos.
Os exemplos são intermináveis. Por exemplo, Washington forçou a Suiça a violar, e abolir as históricas leis dos segredos bancários do seu país. Washington executa cidadãos de outros países, assim como os seus próprios, sem o devido processo de lei. Washington viola a soberanidade de outros países e assassina cidadãos desses países através de drones, bombas e times de forças especiais. Washington sequestra no estrangeiro cidadãos de outros países e os leva para os Estados Unidos para que sejam processados abaixo das leis dos Estados Unidos, ou os manda para um outro país para que sejam secretamente torturados em centros secretos de tortura.
Washington diz para bancos em outros países com quem eles podem, ou não podem fazer negócios, e se esses vierem a desobedecer, Washington os chantagia até a submissão, ou impõe a eles multas as quais ameaçariam a existência dos mesmos. Na semana passada Washington forçou um banco francês a pagar  $9 bilhões de dólares, ou de ter suas operações banidas nos Estados Unidos, isso sendo porque o banco tinha financiado transações comerciais com países não aprovados por Washington.
Washington distribui ultimatuns para nações soberanas para que façam como lhes é mandado, ou “sejam bombardeadas de volta a idade da pedra”.
Washington viola a imunidade diplomática ordenando aterrissagens forçadas de aeronaves presidenciais de países soberanos para que essas sejam ilegalmente escrutinadas.
Washington ordenou ao seu vassalo Reino Unido, UK, que violasse leis e convenções governando as condições para asilo político, e que se recusasse a dar livre passagem a Julian Assange para o Equador.
Washington ordenou a Rússia que violasse as suas próprias leis e entregasse Edward Snowden.
A Rússia é suficientemente forte para poder deixar de obedecer as ordens de Washington.

O que é que Washington faz então?

A cidade no alto da colina, a luz do mundo, o “indispensável” e “excepcional governo” sequestrou Roman Seleznyov, o filho de um Membro do Parlamento Russo, num país estrangeiro, a República das Maldivas, uma ilha-nação no Oceano Índico. Seleznyov foi sequestrado por Washington quando ia embarcar num voo para Moscou e desapareceu, sem que ninguém o notasse, numa aeronave particular a caminho de um território controlado pelos Estados Unidos, onde ele foi então preso abaixo de uma falsa acusação.
O Ministério do Exterior da Rússia acusou Washington de ter sequestrado um cidadão russo num “novo ato hostil de Washington”, contra o povo russo.
Não há a menor dúvida quanto ao sequestro de Seleznyov ser ilegal, assim como tudo o mais que Washington vem fazendo desde o regime de Clinton. O pai de Seleznyov, um membro do corpo legislativo russo, disse que acreditava que Washington tinha sequestrado seu filho para que esse fosse trocado por Edward Snowden. Seleznyov foi imediatamente, sem nenhuma evidência, acusado por ofensas imaginárias, as quais poderiam levar até 30 anos de prisão. O fascista responsável pela Homeland Security, a agência de segurança nacional, declarou que essa, completamente ilegal ação da Gestapo de Washington, era uma “detenção importante” e que ela “mandava uma mensagem inequívoca” de que “o longo braço da justiça–e desse Departamento–iria continuar a desfazer, e desmontar organizações criminosas sofisticadas”.
O serviço secreto dos Estados Unidos declarou então que o filho do MP russo era “um dos mais prolíficos traficantes de roubadas informações”.
Que extrema inconsequência! – What utter bullshit!
Como o mundo todo já sabe, o maior ladrão de informações financeiras é a National Stasi Agency de Washington. Essa agência de Washington tem roubado, para o benefício das corporações dos Estados Unidos, que fazem generosas contribuições políticas, informações sobre empresas, companhias e corporações no Brasil, Alemanha, França, China e Japão. Na realidade, de todo o mundo. A Stasi de Washington até roubou as conversas particulares do celular da Chanceler da Alemanha.
Foi uma idiotice do mundo o confiar no sistema americano de informações, o qual serve como um instrumento de espionagem. Qualquer um que compre um computador de uma marca americana, ou que se fie nos serviços americanos da internet, pode saber de certeza que a National Stasi Agency de Washington tem completa informação sobre si. Os outros governos pensaram que iriam ter uma carona no investimento do capital US, mas o que essa carona significava era que nenhum governo, ou nenhuma população, teria mais direitos proprietários sobre seus segredos, e suas informações.
A US National Stasi Agency pode agora chantagiar a inteira população mundial.
De acordo com os neoconservativos o direito de espionar o mundo é o direito do povo “indispensável”, como representado pelo “seu” “excepcional” governo.
O mundo tem também agido como um idiota em muitos outros sentidos em sua mal colocada confiança. Organizações Não Governamentais, ONGs financiadas por Washington, operam em muitos países servindo como quinta-colunas para Washington, o qual pode chamar qualquer uma delas para ir as ruas a desafiar e a derrubar governos não-cooperativos, assim como também para criar propaganda para si, contra governos em sua mira. Isso da mesma maneira como Washington o fez de quando convocou as suas ONGs na Rússia para protestar e gritar que Putin tinha roubado as eleições. Essas ONGs tem orgulho do sangue que tem, ou virão a ter, em suas mãos. Isso mostra que elas são importantes agentes do Império.
Com a mídia ocidental capturada, assim como os governos europeus, e mais o Japão, a Austrália, a Nova Zelândia, a Coréia do Sul, e as Filipinas, Washington pode descaradamente distribuir suas mentiras e falsas acusações. “Saddam Hussein tem armas de destruição em massa”. Ninguém foi punido por causa dessa custosa mentira. “Assad da Síria usou armas químicas contra seu próprio povo”. Ninguém foi punido por causa dessa custosa mentira. “Rússia invadiu a Ucrânia”. Ninguém foi punido por essa custosa mentira.
“Edward Snowden é um espião chinês/russo/de alguém, assim como um traidor que deve ser humilhado e castigado por ter desvendado aos americanos as ações ilegais do seu governo”. Ninguém foi punido por essa mentira. “Julian Assange é um espião por ter posto na internet documentos, que tinham já sido vazados, a respeito dos crimes de Washington”. Ninguém foi punido por essa mentira.
Todo americano em oposição a hegemonia da Wall Street e Washington foi já declarado como pessoa não-grata. Esses americanos estão sendo denominados como “extremistas do país” o que então os põe abaixo do foco da Segurança Nacional – Homeland Security –. Essa é uma bem armada força militar, em contravenção a lei denominada “Posse Comitatus Act”. Homeland Security, a Gestapo de Washington [aqui traduzida como Segurança Nacional] é uma ilegal e inconstitucional força dirigida contra o povo americano. Acanhado e passivo o povo americano é ainda por cima obrigado a pagar por isso, enquanto as suas casas são tomadas por posse judicial, como bens hipotecados, sendo que outras moradias que não foram assim tomadas, estão podendo ser submetidas a invasão por times de capangas da SWAT.
Os ambientalistas estão atrapalhando o caminho dos lucros capitalistas, e são os capitalistas que governam, não os ambientalistas. Sendo assim, ambientalistas são então “extremistas do país”.
Os que protestam contra as guerras são investigados como “agentes de poderes estrangeiros”.
As pessoas que se preocupam com o destino dos animais, e o declínio das espécies devido a destruição do habitat dos mesmos pela ganância das corporações motivadas por benefícios a curto-prazo, estão na lista do que se denomina como “extremistas do país” – “domestic extremists”.
O Supremo Tribunal é propriedade de grupos e de interesses particulares, os quais compraram o nosso governo. US Supremo Tribunal é o maior inimigo da Constituição dos Estados Unidos.
A lei está sendo abusada para que se mande milhões de inocentes, especialmente os jovens e americanos cujas violações seriam de menores consequências, para a prisão a fim de assegurar lucros e dividendos para o sistema de penitenciárias particulares.
É difícil de se imaginar um país tão errado quanto os Estados Unidos. Esse é um governo que serve não o povo, mas uma extremamente pequena parte da população, os incluídos no um por cento da população total. Esse é um governo incapaz de prover todo e qualquer tipo de justiça, um governo que se fosse pronunciar a verdade viria a destruir a si próprio.
Washington reeks of evil, ou seja, fede de maldade. E o mundo está começando a entender isso.

O telefonema de Johnny Saad para Fernando Haddad

Postado em 19 dez 2013, por : Paulo Nogueira

Herdeiro de uma concessão pública e multimilionário
Herdeiro de uma concessão pública e multimilionário

“Recebi um telefonema de um dono de muitos meios de comunicação dizendo que não daria trégua à prefeitura e que colocaria todos seus veículos contra o IPTU progressivo. Isso não me foi contado. Isso foi dito.”
Bem-vindo ao mundo como ele é, Haddad.

HOLOCAUSTO 2014 - GENOCIDIO ISRAELENSE NA FAIXA DE GAZA

Agressão israelita à Palestina
Parar o genocídio
Mais de 530 mortos e de três mil feridos, na sua maioria civis, era o balanço de 14 dias de agressão contra a Faixa de Gaza, que Israel promete e garante prosseguir, com o apoio dos EUA, apesar das acusações de genocídio.
Duas semanas e meia após o início da guerra contra os 1,8 milhões de habitantes da Faixa de Gaza, é cada vez mais evidente que as forças sionistas promovem um genocídio. O território de cerca de 350 km2 é um cemitério de onde os vivos não podem escapar; onde, na realidade, a fuga parece inútil face ao extermínio organizado e metódico que tem como alvos todo um povo e todos os edifícios, bens, infraestruturas e lugares, conforme relatou Christopher Wadi, a partir de Gaza, para o Jornalistas sem Fronteiras.
A ofensiva iniciada a 8 de Julho foi agravada na quinta-feira, 17, com a entrada de tropas israelitas na Faixa. Desde então, o número de vítimas, na sua maioria civis e entre as quais estarão mais de cem crianças, não parou de aumentar, cifrando-se, anteontem, em mais de 530 mortos e de três mil feridos. 
Entre os invasores, regista-se 25 cadáveres, resultado dos combates com os palestinianos, que resistem como podem.
53 mil soldados israelitas e poderosos meios foram mobilizados para a operação terrestre, suportados pelo fogo constante dos bombardeamentos realizados pela aviação, a marinha e a artilharia sionistas, que usam a mais moderna tecnologia militar e armas não-convencionais, caso das bombas de fragmentação, noticiou a Russia Today.
Energia elétrica e géneros alimentares escasseiam e o Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) alerta que, dentro de dias, «toda a população estará desesperada sem água». A contaminação e o colapso do sistema de saneamento fazem prever a proliferação de epidemias, adverte ainda o CICV.
Já esta semana, a Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinianos atualizou para cem mil o total de palestinianos que procuraram abrigo junto da organização. 
Os feridos não podem ser evacuados e nos hospitais, também alvos dos bombardeamentos – como aconteceu segunda-feira, 21, em Dir el Balah –, luta-se desesperadamente para salvar vidas que se teme que voltem com novos e mais graves ferimentos. A ONG Médicos Sem Fronteiras denunciou, no domingo, 20, à AFP, que a maioria dos feridos que chegam à unidade de al Shifa são mulheres e crianças, que metade dos enviados para reanimação acaba por morrer e que os demais carecem de cirurgias urgentes.


Massacre consentido

O massacre ocorrido na madrugada de sábado, 19, em Chajaya, nos arredores de Gaza, no qual morreram mais de 60 pessoas, exemplifica o que a Autoridade Nacional Palestiniana (ANP) classifica de «crimes contra a humanidade» perpetrados pelas «forças ocupantes». 

O presidente da ANP, Mahmoud Abbas, renova o apelo de uma «imediata intervenção internacional para proteger os civis da Faixa de Gaza».
Abbas encontrou-se, já esta segunda-feira, com o líder do Hamas, Khaled Meshaal, em Doha, no Catar. Conjuntamente, exigiram o fim da agressão israelita e o levantamento do bloqueio à Faixa de Gaza, reiteraram a irreversibilidade do governo de unidade nacional e, nesse sentido, «concordaram que todas as facções palestinianas deverão trabalhar como um equipe em direção ao cessar-fogo».
Entretanto, para o Cairo, capital do Egito, deslocou-se o chefe da diplomacia norte-americana. O propósito de John Kerry é assegurar a capitulação dos palestinianos, obrigar o Hamas a «aceitar um cessar-fogo multilateral sem condições», disse em entrevista à ABC.
Na linha das declarações de Barack Obama, o secretário de Estado norte-americano insistiu na responsabilização do Hamas, acusando o movimento de «provocar outras acções» por parte de Telavive, defendeu o direito de Israel a «defender-se» e qualificou de «coisas desagradáveis» os acontecimentos na Faixa de Gaza. Antes, já a sua porta-voz, Jen Psaki, questionada sobre o número de mortos que os EUA considerariam para falar em genocídio, havia respondido que «há uma ampla gama de definições».

Não admira pois que o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu tenha vindo, domingo, 20, garantir que «estamos a promover uma operação complexa, intensa e em profundidade no interior da Faixa de Gaza que é apoiada pelo mundo», deixando evidente que a mais poderosa máquina de guerra da região não tenciona parar de liquidar palestinianos e subtrair-lhes mais parcelas de terra. A menos que seja travada.

Marco Aurélio Garcia: O que está em jogo na Faixa de Gaza

Por Marco Aurélio Garcia

Esta nota estará seguramente desatualizada quando for publicada. Mais de setecentos palestinos – grande parte dos quais mulheres, crianças e anciãos – foram mortos nos bombardeios das Forças Armadas israelenses na Faixa de Gaza desde que, há duas semanas, iniciou-se uma nova etapa deste absurdo conflito que se arrasta há décadas. A invasão do território palestino provocou também mais de 30 mortos entre os soldados de Israel.

MUDANÇA DE PARADIGMA NO SISTEMA MONETÁRIO MUNDIAL - FIM DA ERA DO DOLAR AMERICANO

Pois é... Se o mundo ocidental queria resposta russa ao crescente número de sanções contra o país, está na iminência de vê-la.

IMPRENSA CÍNICA E GOLPISTA DISTORCE MAIS UMA DECLARAÇÃO DE LULA PARA CRIAR POLÊMICA NACIONAL


A trajetória de uma declaração distorcida



O Instituto Lula divulgou, no dia 21 de julho, um dos oito vídeos da série em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dialoga com a juventude. Na mensagem, ele fala sobre a importância de o jovem ter esperança e ajudar a construir o país que deseja.
Duas horas após a divulgação, o portal Estadão trazia a manchete "Em vídeo, Lula sugere que jovens parem de reclamar".

RÚSSIA NÃO DEIXARÁ SANÇÕES DA UNIÃO EUROPEIA SEM RESPOSTA

Os pretextos para sanções são inventados: Washington e seus aliados afirmam sem ter provas que a Rússia está armando os rebeldes ucranianos e que está envolvida na perda do Boeing malaio.

PRESENÇA DO CORONEL PERDIGÃO NA FOTO DE 1976, NO SUPOSTO ACIDENTE DE ZUZU ANGEL, PODE BALIZAR QUE ELA FOI ASSASSINADA

Ex-agente do DOPS (Departamento de Ordem Política e Social), Guerra acusou Perdigão de participar do assassinato de Zuzu Angel e até apontou a presença do coronel na cena do crime a partir de uma foto do carro da estilista tirada por um perito pouco depois do acidente. Pela versão oficial, Zuzu Angel morreu num acidente de carro na saída do túnel Dois Irmãos, no Rio de Janeiro, em 14 de abril de 1976. Zuzu morreu quando ainda estava em campanha pelo paradeiro do corpo do filho Stuart Angel, que teria sido torturado até à morte na Base Aérea do Galeão em 1971. Guerra mostrou uma foto à comissão e disse que o homem de camisa branca que aparece perto do carro de Zuzu era o coronel.

Brasil mantém condenação "a uso desproporcional da força" por Israel em Gaza

Chanceler reage a críticas israelenses e diz que Brasil não é anão diplomático 

O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, defendeu a posição do governo brasileiro que, em nota divulgada, condenou “energicamente o uso desproporcional da força” por Israel em conflito na Faixa de Gaza.

PRIMEIRO MINISTRO UCRANIANO RENUNCIA APÓS REJEIÇÃO DE SUA PROPOSTA DE VENDA DE METADE DOS GASODUTOS DO PAÍS PARA FINANCIAR EXÉRCITO

Em meio a tensão com queda de aeronave, o primeiro-ministro ucraniano Arseniy Yatsenyuk, que assumiu a liderança do país em fevereiro/2014 após golpe de estado que depôs o presidente Viktor Yanukovich, anunciou sua renúncia. 

Arseni Yatseniuk rompeu com governo após propor leis polêmicas, que incluíam aumento de financiamento ao Exército e venda da metade de todos os gasodutos ucranianos a investidores estrangeiros.