AS MAIORES MENTIRAS DOS POLÍTICOS NORTE-AMERICANOS


O novo livro do repórter investigativo Chuck Lewis reúneu informações importantes de pessoas que testemunharam efetivamente os acontecimentos históricos polêmicos. Nós apresentamos os melhores golpes de USA.

ALIADOS NORTEAMERICANOS USARAM ARMAS QUIMICAS

ONU CONFIRMA QUE A "LINHA VERMELHA"
 FOI QUEBRADA PELOS ALIADOS AMERICANOS NA SIRIA
Os grupos armados usaram armas químicas a noroeste de Aleppo
, afirmou, dia 7, o ex-enviado especial da ONU e da Liga Árabe à Síria. Em entrevista ao semanário alemão Der Spiegel, Lakhdar Brahimi confirmou como verdadeira a versão do governo sírio, segundo o qual foram os terroristas aliandos e aopiados pelos EUA quem usaram agentes tóxicos contra civis a 19 de Março de 2013.
Recorde-se que as potências imperialistas acusaram o regime de Damasco de ser responsável pelos ataques com armas químicas na Síria. Com esse pretexto, os EUA tentaram impor uma intervenção militar directa no território.
A campanha imperialista acabou por não se concretizar em resultado de um acordo entre norte-americanos e russos, que previa a eliminação do arsenal e de todos os competentes passíveis de produzir aquele armamento não-convencional, bem como o desmantelamento dos laboratórios.
A Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) e a ONU, em cooperação com as autoridades sírias, ficaram encarregadas de fazer cumprir o programa de transbordo e destruição do material, sublinhando, ao longo do processo (praticamente concluído), o empenho notável da Síria.
Pelo contrário, os grupos terroristas colocaram permanentes obstáculos perpetrando ataques e atentados visando os monitores da OPAQ e das Nações Unidas, e fechando áreas onde se encontravam armazéns militares.
Ainda no passado dia 27 de Maio, um grupo de seis inspectores internacionais e cinco colaboradores sírios foram sequestrados, isto apesar do cessar-fogo acordado entre o governo e os mercenários na região para onde se dirigiam. A equipe acabou por ser libertada.

PAC 2 CONLUI 95,5% DAS OBRAS PREVISTAS PARA O PERÍODO 2011-2014

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) atingiu execução de R$ 871,4 bilhões em abril de 2014, o que representa 84,6% do orçamento previsto para o período 2011-2014. Os dados são apresentados pelo Ministério do Planejamento, em Brasília, e fazem parte do 10º Balanço do programa.

DILMA ANUNCIA FINANCIAMENTO FEDERAL PARA A LINHA DO METRO VILA BRASILÂNDIA


Dilma  anunciou financiamento de R$ 2,6 bi para obras de mobilidade urbana e obras de drenagem e saneamento para a região metropolitana, na sede da Prefeitura de São Paulo.

A UNIÃO EUROPÉIA NECESSITA OUVIR O POVO E ACABAR COM O NEOLIBERALISMO

A Esquerda Unitária no Parlamento Europeu considera que a Presidência Italiana da União Europeia, que se inicia a 1 de Julho e irá até final do ano, “deve ouvir os cidadãos” e “cortar com a política neoliberal”.

CRUZAR FRONTEIRA CAUSA GRUPO "REBELDE" LUTANDO PELA DEMOCRACIA NA SIRIA, PASSAR A SER TERRORISTA NO IRAQUE!


Consequência das agressões imperialistas

Os combates entre o Exército Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) e o governo estão provocando um banho de sangue e nova catástrofe humanitária no Iraque, ocupado pelo imperialismo em 2003.
Na agressão promovida pelos EUA e nas suas consequências, bem como na campanha apoiada pelos norte-americanos para derrubar Bachar al-Assad na vizinha Síria, assentam as raízes do regresso da guerra ao território iraquiano, que Washington pondera voltar a bombardear ao mesmo tempo que tenta expulsar responsabilidades na proliferação do terrorismo.
Depois do avanço vertiginoso dos milicianos do Exército Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), o governo iraquiano garante que está rechaçando o assalto dos mujahidine a algumas das principais cidades do país. A ofensiva da organização que pretende instituir um califado entre o Iraque e a Síria, iniciada segunda-feira, 9, parecia imparável.
Em cerca de 48 horas, as forças jihadistas conquistaram Mossul, na província de Niniveh, e avançaram pelo centro do país até Kirkuk e Tikrit, nas regiões de Kirkuk e Salahedin (de onde era natural Saddam Hussein). Ameaçaram fazer cair a capital, Bagdad, e as as cidades santas xiitas de Kerbala e Najaf. O cenário foi de salve-se-quem-puder entre as forças armadas do Iraque, que na debandada deixavam para trás o material de guerra comprado aos EUA, fazendo proveito aos extremistas.
Na quarta-feira, 11, o exército iraquiano conseguiu travar a investida às portas de Samarra. A cidade, situada a pouco mais de 100 quilómetros de Bagdad, foi ponto de apoio para evitar a tomada de Baqubah, a 50 quilómetros de Bagdad e capital da região de Diyala, na fronteira com o Irão. Samarra serviu, igualmente, de trampolim para a reconquista de importantes posições em Salahedin. Sábado, 14, uma fonte oficial citada pela EFE assegurava que nesta última província, os insurgentes já só controlavam a capital, Tikrit.
Sexta-feira 13, justamente em Samarra, o primeiro-ministro do Iraque afirmava que os terroristas já estavam a ser expulsos e anunciou que o governo lhe atribuíra «poderes ilimitados» para combater os jiahdistas. Na cidade sagrada para os xiitas – por acolher um importante mausoléu de imãs cuja destruição parcial desencadeou, em 2006, uma guerra entre xiitas e sunitas que se prolongou por dois anos, provocando a morte a dezenas de milhares de civis –, Nuri al-Maliki chamou ainda todos os iraquianos a participem «nesta guerra contra os inimigos (…) da fé», noticiou a Lusa.
Al Maliki repetiu, assim, o apelo feito terça-feira, 10, quando tomado pelo desespero face à deserção massiva das tropas que lhe eram fiéis, declarou, em discurso transmitido pela televisão, que entregaria armas a todos os voluntários dispostos a defenderem o poder do Estado que dirige com mão-de-ferro, acusam os seus opositores.

Alianças complexas

Moqtada al-Sadr, que qualifica al-Maliki de ditador, foi dos primeiros a ordenar a formação de brigadas. O líder xiita – que em tempos se disse ter ao seu serviço o maior exército privado do país; que combateu os invasores norte-americanos e esgrimiu com outros senhores da guerra a posse de um quinhão dos despojos da agressão imperialista, foi seguido pelo ayatollah Ali al-Sistani, a maior autoridade religiosa xiita do Iraque.
O jogo de alianças a que al-Maliki se vê forçado para evitar trocar o seu reino por um cavalo, é, porém, mais complexo. Há anos que mantém com o autónomo Curdistão Iraquiano uma disputa pelo controlo da importante região petrolífera de Kirkuk, mas foram milhares de peshmergas curdos que retomaram a cidade ao EIIL. As forças curdas chegaram mesmo a entrar em combate mais a Sul, em Khanaquine, na fronteira com o Irã, província de Diyala, mas um bombardeo da aviação iraquiana estancou o avanço curdo.
Não é claro se a operação aérea das autoridades de Bagdad foi um acidente ou uma acção deliberada para conter a campanha militar proveniente do Curdistão Iraquiano. Especula-se que a segunda versão conjugue melhor com a importância que os curdos estão a assumir no conflito iraquiano. Curdos que, no início de Maio, noticiava a Prensa Latina, mantiveram conversações com vários blocos políticos com o objectivo de impedir um terceiro mandato de al-Maliki.
Nas eleições de 30 de Abril, o primeiro-ministro viu o parlamento fragmentar-se ainda mais dificultando-lhe a constituição de uma maioria. Aos curdos está reservada por lei a presidência do Iraque, o que pode funcionar como trunfo na formação de uma eventual coligação governamental que lhes seja favorável.

Já esta segunda-feira, 16, e enquanto o país está em guerra e se procede à rearrumação de forças político-militares, o Supremo Tribunal iraquiano veio a público confirmar a vitória de al-Maliki no sufrágio, com 95 deputados num total de 328. O Bloco Curdo, com 62 assentos, e a formação de Moqtada al-Sadr, com 34, são a segunda e terceira forças, diz a entidade.
Posteriormente, a Arábia Saudita, férreo aliado do imperialismo norte-americano, fornecedor e financiador de primeira linha das milícias que levam o terrorismo à Síria há mais de três anos, veio culpando al-Maliki pelo avanço do EIIL no Iraque e apresentou como solução um governo de unidade nacional... sem al-Maliki. No mesmo sentido, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, apelou à formação de um executivo que não imponha uma política sectária.

Banho de sangue

Cerca de uma semana após o reinício da guerra no Iraque, o cenário é de carnificina. Falta ainda apurar o desfecho da batalha de Tal Afar, mas os últimos relatos davam como seguro que o EIIL tinha vencido, logrando reestabelecer a plataforma giratória na fronteira com a Síria, de onde, aliás, vieram os mujahedine depois de meses de combates contra o governo de Bachar al-Assad e a Frente al-Nousra, apoiados pelos EUA e pelas petro-monarquias vassalas do Golfo.
O massacre de 1700 militares iraquianos foi reivindicado sexta-feira, 13, pelo EIIL, mas as informações alegadamente difundidas pela organização através das redes sociais não puderam ser confirmadas. Aos islamitas são atribuídas outras atrocidades, como a execução de doze imãs, sábado, 14, em Mossul, supostamente por estes terem recusado lealdade ao califado, relatou fonte oficial de Bagdad à EFE. O assassinato de outros tantos polícias numa cidade a Norte de Bagdad, de civis e de populares em Mossul e nas localidades próximas durante a ofensiva a Norte, também lhes é assacado, assim como um número difícil de contabilizar de atentados e emboscadas em espaços públicos contra polícias, centros de recrutamento, ou contra membros da entorage governamental de Bagdad e do Curdistão. Tudo tácticas que o EIIL vem usando na Síria
As autoridades iraquianas, à sua conta, atualizam o total de terroristas caídos em combate. 270 extremistas islâmicos mortos num bombardeo da aviação militar iraquiana na província de Al-Anbar, perto de Fallujah (cidade que se encontraria tomada pelo EIIL desde meados de Janeiro), divulgou, segunda-feira, 16, o comando militar iraquiano, o mesmo que, antes, tinha dado como certa a morte de pelo menos 56 extremistas na província de Bagdad desde domingo, 15, e de outros 279 jihadistas na campanha em curso em Salahedin, Diyala e Niniveh.
Notícias não desmentidas responsabilizam o governo de Bagdad pela morte de 33 pessoas, sábado, 14, a maioria membros do exército, na sequência de bombardeamentos indiscriminados contra duas mesquitas na província de Salahedin. 
As vítimas estariam sequestradas pelo EIIL, mas o que o episódio mostra é que Nuri al-Maliki enfrenta com dureza a insurreição.
Este fato foi confirmado, sexta-feira, 13, pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, que estimava em centenas de mortos e um milhar de feridos as vítimas dos combates, e acusava «as forças do governo iraquiano [de] também cometerem excessos, particularmente o bombardeamento de áreas civis durante os combates em Mossul», de onde as tropas de Bagdad não terão deixado sair a população, suspeita-se. 





Drama humanitário

A ação militar do EIIL para o estabelecimento de um Estado que junte parte do Iraque aos territórios que controla na Síria, agrava a situação humanitária no país agredido e ocupado pelos EUA em 2003. 
A guerra do Iraque promovida pela então administração norte-americana e a proliferação de facções que se lhe seguiu durante a ocupação e por causa dela, calcula-se que tenha vitimado cerca de um milhão de civis, resultado dos combates e do uso de armamento não-convencional, da violência sectária e dos esquadrões da morte, do colapso dos serviços públicos e do empobrecimento.
Cidades inteiras foram reduzidas a escombros e cerca de quatro milhões de iraquianos foram forçados a refugiar-se dentro ou fora do país desde 2003, calamidade que prosseguiu, com menor intensidade, às mãos do executivo liderado por Nuri al-Maliki, o qual, desde 2012, não hesita em usar a força para abafar os que o contestam, caso das vagas punitivas recentes em Ramadi e em Fallujah.

Dados oficiais iraquianos indicam que, desde o início deste ano, a violência já matou mais de 4600 pessoas no país. A ONU afirma que só em Maio foram 900 as vítimas, e em Abril a repressão pré-eleitoral e contra o EIIL na província de Al- Anbar deixou, de acordo com as Nações Unidas, cerca de 2500 mortos, entre jihadistas, civis e membros das forças de segurança.
A Organização Internacional para as Migrações e estruturas da ONU afirmam que pelo menos meio milhão de pessoas fugiram aos combates durante a semana passada, cifra que deve pecar por defeito visto que parece referir-se apenas ao êxodo de Mossul.
Responsáveis, de fato

Face à evolução dos acontecimentos no Iraque, onde as informações prévias ao fecho da nossa edição davam nota de que várias missões diplomáticas e parte da missão da ONU abandonam Bagdad, assim como do reforço do número de militares dos EUA na representação diplomática na capital iraquiana, persistia o impasse sobre qual o próximo passo do imperialismo.
Sabe-se que o presidente Barack Obama afastava a possibilidade do envio de tropas para o terreno, mas entretanto Washington fez chegar ao Golfo Pérsico um navio com 500 fuzileiros, vaso de guerra que se junta a um porta-aviões, um cruzador e um contra-torpedeiro, fornecendo à Casa Branca o tal leque de opções que pretende e do qual tem vindo a falar diariamente. Entre as hipóteses estão bombardeamentos com aviões não-tripulados, admite o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, para quem a cooperação com o Irã também não é de descartar.
O inimigo com quem os norte-americanos não têm relações diplomáticas há 34 anos, por seu lado, não enjeita a cooperação para combater o terrorismo no Iraque, desde que, frisaram altos responsáveis de Teerã, tal não implique uma intervenção estrangeira. Cenário pouco provável este de uma não-ingerência imperialista, tanto mais que um dos envolvidos no conflito é a Turquia, e os EUA e a NATO manifestaram, por estes dias, solidariedade total para com o país que viu 80 dos seus cidadãos serem raptados em Mossul, entre funcionários consulares e motoristas de camiões.
É evidente, sobretudo, a tentativa do imperialismo em demarcar-se de responsabilidades sobre os acontecimentos no Iraque. Tony Blair veio afirmar que o que está a acontecer nada tem a ver com a (segunda) guerra do Iraque. Obama e Kerry repetem-se insistindo que anos de «sacrifícios dos EUA» (sic) no país foram desperdiçados pela liderança iraquiana, acusando-a de incapacidade para «ultrapassar as suas desconfianças e diferenças» e vulnerabilizar a segurança do território.
A Rússia, através do seu ministro dos Negócios Estrangeiros, considera que «o que se passa no Iraque é a ilustração do fracasso total da aventura dos Estados Unidos e do Reino Unido e da qual perderam definitivamente o controlo». A síntese de Sergei Lavrov pode ser interpetrada quer como uma referência à de ocupação e saque do Iraque em 2003, quer como aludindo ao apoio prestado por Londres e Washington aos grupos armados sírios, entre os quais o EIIL.

De um momento para o outro, ao passar a fronteira da Síria para o Iraque, o EIIL passou de «rebelde» a terrorista no léxico de Washington e Londres. Kerry sustenta que os EUA se devem envolver no Iraque porque o EIIL conta com mercenários oriundos dos EUA, Austrália, Grã-Bretanha, Canadá, França, Alemanha ou Holanda, e que tal representa uma ameaça potencial para a Europa e a América do Norte. O governo britânico decretou, segunda-feira, 16, a ilegalidade do EIIL e de outros quatro grupos sírios, e sublinhou que o seu financiamento é um crime, enfatizando que a canalização de fundos e dos meios letais e não letais que têm fluído para derrubar Bachar al-Assad é para interromper.

DILMA CORAÇÃO VALENTE


UM NOVO CICLO DE MUDANÇAS 
DILMA ROUSSEFF PRESIDENTE 2015/2018



Um novo ciclo de mudanças

As eleições de 2014 estão marcadas pelo apoio popular às mudanças realizadas pelos governos Lula e Dilma e, de outro lado, por um desejo cada vez mais generalizado em favor de um novo ciclo de mudanças.
Este novo ciclo de mudanças se tornou viável e necessário a partir da grande transformação em curso durante os governos Lula e Dilma. Logo, a defesa das conquistas efetuadas desde 2003 deve ser feita e tratada como plataforma para um novo ciclo de mudanças.
Para tal, o PT propõe um programa de reformas estruturais, ampliando a democracia e os direitos públicos, promovendo um novo período de desenvolvimento sustentável e crescimento econômico, distribuição de renda e luta contra as desigualdades sociais e regionais.

HORA CERTA DA SUBPREFEITURA DE SANTANA/TUCURUVI - SUCESSO DA SAÚDE NA ZONA NORTE DE SÃO PAULO




O Subprefeito de Santana/Tucuruvi e o Coordenador Regional de Saúde Norte, reuniram a imprensa da região para mostrar os resultados da parceria realizada na implantação da Rede Hora Certa Móvel Tucuruvi. Em dois meses, foram realizados mais de 10 mil exames, o atendimento foi elogiado pela rapidez, e a fila de espera para exames e procedimentos diminuiu significativamente após a implantação do programa.

BRASIL E INDONÉSIA SÃO IGUALMENTE VÍTIMAS DO IMPERIALISMO AMERICANO

Golpe na Indonésia: 1 milhão de mortos CIA preparou “listas de execução” para Suharto
Se há algum crime que as agências de terrorismo dos EUA, em especial a que centraliza as outras, a CIA, fazem, há anos, tudo o que podem para ocultar as provas documentais (que não faltam), é o golpe contra o presidente Sukarno e o massacre na Indonésia, que se sucedeu a ele, em 1965 e 1966. Foram massacradas pelos esbirros da CIA – Suharto e quadrilha, ou diretamente – um milhão de pessoas.

SOMOS TODOS CONTRA QUALQUER RESTAURAÇÃO GOLPISTA CONSERVADORA NOS PAÍSES DA AMÉRICA LATINA

Presidentes latino-americanos Denunciam "cerco" da Venezuela na Cúpula do G77

Chegou a hora de mostrar ao mundo o nosso ritmo, nossa ginga, o nosso futebol!



Ministro do Turismo, Vinícius Lages – Os relatos têm sido os melhores possíveis, do ponto de vista da interação com a hospitalidade brasileira, que era aquilo que a gente apostava muito que seria uma experiência de celebração.

Evolução do Salário Mínimo no Brasil

Palavras de Renato Simões: 

  • Desopilar o fígado é sempre bom, estamos também às ordens para tucanos e outros anti-petistas participarem. Mas o fato é que a valorização real do salário-mínimo durante as gestões do PT foram um diferencial importante do arrocho do passado e do futuro anunciado pelos que a eles querem retornar.

Nos países onde há inflação considerável, o salário mínimo é reajustado mais frequentemente; uma crítica comum dos trabalhadores é que os aumentos do salário mínimo não acompanham a inflação.Pra quem não se lembra ou não viveu naquela época, luta do Movimento Sindical no final do Governo FHC - anos de intenso desemprego, diga-se de passagem - era por um salário-mínimo de 100 dólares. 

Pra frente é que se anda, e o que se pretende é sempre consolidar avanços rumo a novas conquistas. Arrocho nunca mais, queremos é mais e melhores empregos e salários.

ASTRONAUTAS TAMBEM DESFRUTAM DA COPA DO MUNDO DO BRASIL

Os astronautas Reid Wiseman e Steve Swanson, dos Estados Unidos; e Alexander Gerst, da Alemanha, acompanham a Copa do Mundo de dentro da Estação Espacial Internacional (ISS, sigla em Inglês), e desejam boa sorte às seleções participantes. 

DILMA ROUSSEFF E ANGELA MERKEL - AGENDA BILATERAL ENTRE BRASIL E A ALEMANHA

No domingo, a presidenta Dilma recebeu a chanceler alemã Angela Merkel no Palácio da Alvorada. As chefes de Estado conversaram sobre a determinação do Brasil e do Mercosul em avançar nas negociações do Acordo de Associação Comercial com a União Europeia, segurança na internet, inovação, educação e energia. 

ALGUMAS PALAVRAS EXTRAORDINÁRIAS DE LULA

“Hoje anda em moda o discurso de que todo esse avanço foi apenas por ‘esforço próprio’, que o governo não teve papel algum. Mas se fosse apenas isso, porque o povo não se esforçou no governo do PSDB? Claro que o povo se esforçou”, avalia Lula.

OBRAS DA SUBPREFEITURA SANTANA/TUCURUVI




Em pouco tempo, a administração atual da Subprefeitura de Santana/Tucuruvi melhorou substancialmente a mobilidade, a acessibilidade e as condições de lazer e atividades físicas dos moradores da região. Observamos investimentos em obras de todos os portes. 

PT LANÇA CANDIDATURA DO DR ALEXANDRE PADILHA AO GOVERNO DE SÃO PAULO


O 18º Encontro Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) de São Paulo foi realizado no Ginásio do Canindé, em São Paulo. 

O Dr.Padilha foi aplaudido por todos os companheiros como o ex-presidente Lula, a ministra da Cultura Marta Suplicy, o presidente nacional do Pt Rui Falcão, entre outros 5 mil companheiros do partido.

DEMOCRACIA BULGARA

Bulgária antecipa legislativas

O líder do partido socialista búlgaro, Serguei Stanichev, que apoia o governo do atual primeiro-ministro, Plamen Oresharski, admitiu, dia 6, a necessidade de antecipar eleições legislativas, reconhecendo a «ausência de legitimidade e apoio» à política do governo.
A cedência de Stanichev surge após o partido de minoria turca (MDL) ter retirado o seu apoio parlamentar ao executivo de Orecharski e exigido eleições, tal como já tinham feito os conservadores do GERB (Cidadãos pelo Desenvolvimento Europeu da Bulgária).
Demais, face ao enfraquecimento dos socialistas nas eleições para o parlamento europeu, o presidente do MDL, Lutvi Mestan, já declarou que não exclui a possibilidade voltar costas aos socialistas e apoiar um governo formado pelo GERB.

Dilma: Brasil venceu obstáculos e está preparado para a Copa, dentro e fora do campo

Em pronunciamento à nação a presidenta Dilma Rousseff afirmou que o Brasil venceu os principais obstáculos rumo à Copa do Mundo 2014 e está preparado para a competição, a partir desta quinta-feira (12). Ela comparou a organização do Mundial com uma partida de futebol, na qual resultado e celebração final valem o esforço, além de esclarecer detalhes sobre período de preparação do país para o evento, enfatizando objetivos alcançados.

SUBPREFEITURA SANTANA/TUCURUVI ESTÁ MODIFICANDO EFICIENTEMENTE A PAISAGEM DA REGIÃO

Subprefeitura realiza a manutenção e conservação de áreas verdes. Dentre os serviços estão corte de mato, remoção de detritos e a limpeza de canteiros, praças e áreas ajardinadas.

O objetivo da ação é manter esses espaços limpos e organizados para evitar a propagação de insetos, a proliferação de doenças e o acúmulo de lixo nas praças aptas para o uso da população e as demais áreas verdes.

CRISE UCRANIANA É PRETEXTO PARA EXPANSÃO DA OTAN

Tudo indica que Washington pretende estrangular a Rússia com o nó da OTAN. A sua doutrina russófoba foi aceita por muitos dos que antes estiveram ligados ao povo russo por laços de amizade. Chegou a vez da Ucrânia.

PAÍSES DO SUDESTE EUROPEU SE AJOELHAM PERANTE INTERESSES DE WASHINGTON

Europa continua a chantagear Rússia com política de gás

O Ocidente continua a “cruzar os braços” aos parceiros da Rússia na construção do gasoduto South Sream. A seguir a Bulgária, a Sérvia também apressou-se a anunciar a suspensão dos serviços.
Ambos os países alegaram a posição da Comissão Europeia.

JUSTIÇA VENEZUELANA RATIFICA CRIMES DE LEOPOLDO LÓPEZ - O TRAIDOR DA VENEZUELA

Venezuela - O Ministério Público de Caracas decidiu admitir as acusações dos crimes de Leopoldo López: Ofensas e incitação pública, incêndio, danos e formação de quadrilha - Conspiração contra o governo.

PAPEL DA IMPRENSA BRASILEIRA É PRESTAR DESSERVIÇO PARA O BRASIL


Lula está impressionado com a falta de conhecimento da juventude sobre os avanços ocorridos no Brasil nos ultimos 11 anos. Lula promete chamar a atenção das pessoas para analisar o papel da nossa Imprensa, que verdadeiramente não informa o povo brasileiro. 
Lula salietou que a maioria da população não sabe nem o que o governo da presidenta Dilma esta fazendo.

Lula desabafa: Não é acaso. "Eu sei o que está verdadeiramente acontecendo. É um processo de desinformação premeditada".

BRASIL COPA 2014 - CRÉDITOS DE CARBONO ULTRAPASSA A META ESTABELECIDA PELO MDL ANTES DO EVENTO COMEÇAR!

Copa no Brasil terá compensação de 100% nas emissões de gases poluentes

As emissões diretas, de 60 mil toneladas, já foram compensadas. A Copa está 100% mitigada das emissões diretas, que são aquelas estabelecidas sob o domínio do governo, como hospedagem, construção e mobilidade. 

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) entregou o selo de Baixo Carbono para 11 empresas que doaram crédito de carbono para compensar emissões ocasionadas pela Copa do Mundo de 2014.Com a iniciativa, o Brasil passar a ser o único país que assumiu uma meta de compensação de gases do efeito estufa para um grande evento, mesmo antes dele se iniciar.

FRENTE À INTENSIFICAÇÃO DA VIOLÊNCIA FACISTA NA UCRANIA, O FORUM ZN EXPRESSA SOLIDARIEDADE AO POVO UCRANIANO






A Ucrânia vive uma situação de instabilidade e uma escalada de conflitos internos provocados pela intervenção externa, que agravou-se desde o golpe de Estado de 22 de fevereiro, promovido pela direita e pela ultra-direita do pais e apoiado pelos Estados Unidos.

ASSISTA O VIDEO E LEIA ESPECIAL ANALISE UCRÂNIA: A autópsia de um golpe de estado

CAMPANHA EUXASTANTE DA IMPRENSA GOLPISTA TENTA CRIAR CLIMA CONTRA COPA

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse que o clima que surgiu contra a Copa do Mundo está relacionado ao que a imprensa vem abordando sobre o evento. 
“Acho que o clima que se estabeleceu em grande parte contra a Copa resulta de uma excessiva editorialização da opinião e da falta da informação real. Há coisas que foram ditas que absolutamente não correspondem à realidade. Houve um processo de envenenamento mais ou menos generalizado.

Plano Habitacional da cidade de São Paulo amplia as Zonas Especiais de Interesse Social

Governo federal cede terreno à Prefeitura para construção de moradia popular  -Programa "Minha Casa, Minha Vida"

Fernando Haddad disse que a aprovação do Plano Diretor Estratégico (PDE), que hoje tramita na Câmara de São Paulo, é importante para a construção de um Plano Habitacional para a cidade. O documento amplia em 40% as Zonas Especiais de Interesse Social na cidade e garante que grande parte das novas áreas que passarão a ser destinadas à moradia atenderão à faixa 1 do programa do governo federal, contemplando famílias com renda de até R$ 1.600. "São essas as famílias que representam hoje o maior déficit habitacional".