O BRASILEIRO ROBERTO AZEVÊDO FOI ELEITO DIRETOR GERAL DA OMC - ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO COMÉRCIO



O governo brasileiro recebe com satisfação a escolha do Embaixador Roberto Azevêdo para Diretor-Geral da Organização Mundial do Comércio. 


Ainda sofrendo os efeitos da crise mundial iniciada em 2008, caberá à OMC nos próximos anos dar um novo, equilibrado e vigoroso impulso ao comércio mundial, fundamental para que a economia global entre em novo período de crescimento e justiça social. 
Ao apresentar o nome do Embaixador Azevêdo para esta alta função, o Brasil tinha claro que, por sua experiência e compromisso, ele poderia conduzir a Organização na direção de um ordenamento econômico mundial mais dinâmico e justo. 
Essa mensagem foi entendida por expressiva maioria e, por esta razão, agradeço o apoio que nosso candidato recebeu de governos de todo o mundo nas três rodadas de votação. Essa não é uma vitória do Brasil, nem de um grupo de países, mas da Organização Mundial do Comércio.


Na eleição da OMC, cada um dos 159 países que integram o órgão vota no nome de sua preferência. A escolha é feita em três etapas. Inicialmente, havia nove nomes e todos os candidatos concorreram. Na segunda etapa, encerrada no dia 25, ficaram cinco candidatos. 
Nesta última fase, Azevêdo concorreu com o economista mexicano Herminio Blanco. 

A Organização Mundial do Comércio elege o primeiro latino-americano cargo.



O embaixador brasileiro Roberto Carvalho Azevêdo, eleito como diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), vai substituir o francês Pascal Lamy, no cargo desde 2005, que deixa o posto em agosto/2013.
Com 55 anos, o diplomata brasileiro ocupa, desde 2008, o cargo de representante permanente do Brasil na Organização Mundial do Comércio (OMC). Ele é apontado como um dos mais preparados especialistas em política comercial do governo. 

Diplomata de carreira, Azevêdo também é representante permanente do Brasil na Organização Mundial da Propriedade Intelectual (Ompi), no Conselho das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad) e na União Internacional de Telecomunicações (UIT). 

Postar um comentário