CONSPIRAÇÃO MERCENÁRIA E O TERROR CONTRA SÍRIA

A PLANO GEOPOLÍTICO É O QUE CONTA!
A conspiração made in USA é tão grande que há poucas fontes confiáveis ​​de informação e agências de notícias jornalísticas que esclarecem os fatos e os interesses que estão verdadeiramente em jogo. 



Israelenses  efetivam atentados terroristas em áreas povoadas, principalmente em Damasco, com o objetivo de causar o maior número de vítimas possível, como represália aos frequentes avanços do exército sírio em terrenos seus, que anteriormente foram ocupados pelos invasores mercenários de Israel
Israelenses fazem todos esses ataques de forma anárquica. Como são incapazes de fazer o Bashar Al-Assad renunciar, tentam assassinar o Premier e seus aliados políticos que poderiam substitui-lo no governo. Al Assad, aceitou apoio do movimento libanês Hezbollah. 


O Al-Qaida, «aliado» inesperado dos E.U. contra Al Assad, ameaça o Hezbollah:

O comandante do ramo sírio da Al-Qaida ameaça atacar o movimento islamista libanês Hezbollah pelo seu apoio ao regime de Bashar Al Assad.
Os muçulmanos xiitas do Líbano devem deixar o movimento libanês Hezbollah «se não querem ser os alvos dos ataques da Al Qaida», assegurou o recentemente nomeado líder da brigada Abdullah Azzam (ramo da Al Qaida na Síria), Majd al-Majd, segundo publicam os sites web da organização. Al-Majd, que supostamente dirige uns 6.000 combatentes da organização sunita que se infiltraram na Síria a partir do Iraque e da Turquia.
Em primeiro lugar assegura que a responsabilidade pelo assassinato do primeiro- ministro libanês, Rafik Al-Hariri, que morreu em 2005 em Beirute num atentado com carro bomba, não recai sobre Israel e os E.U., como afirmou o Hezbollah, mas sim sobre esta mesma organização libanesa.
O comandante da Al-Qaida também refutou as alegações do Hezbollah que tanto Telavive, como Washington fomentam a rebelião contra Al Assad na Síria, qualificando-as de «infundadas», segundo o diário israelita Haaretz.
Recentemente, Telavive prometeu atacar o Líbano se o Hezbollah provocar Israel, respondendo dessa forma às ameaças do líder do grupo, Hassan Nasrallah, de criar «um inferno» em Israel e de matar milhares de israelitas.
Quanto aos E.U., a organização terrorista quase repetiu as declarações dos funcionários estadunidenses que reclamam a deposição do regime eleito de Al Assad que, segundo eles, «perdeu a sua legitimidade» e" comete crimes contra o seu povo".
O fato é que cada vez mais surgem informações que indicam que a Al- Qaida reforça a sua ajuda aos insurgentes da Síria, enquanto Washington colabora abertamente com a oposição  armada síria.


Voluntários iranianos reafirmaram a sua vontade de lutar contra a oposição síria. Essa oposição síria que é formada principalmente por mercenários e elementos fundamentalistas de vários países da região, que consciente ou inconscientemente, executam o plano de de imperialismo norte-americano na região. 

Israel e USA desejam livrar-se dos governos da Sírio e do Iran. 
Devemos sempre lembrar que USA busca o caos da Síria e ajuda a promover o regime islâmico similar ao da Arábia Saudita, com o qual Israel se sente seguro. 


Salientamos que o plano geopolítico imperialista made in USA é seguir uma rota que inclui várias regiões do Oriente Médio. 



Postar um comentário