A PRESIDENTA DILMA DÁ O PONTAPÉ SIMBÓLICO NO GRAMADO - A ARENA FONTE NOVA EM SALVADOR ESTÁ PRONTA E É LINDA!


DILMA ROUSSEFF INAUGURA FONTE NOVA E DESTACA CRIATIVIDADE DO POVO BAIANO
Durante cerimônia na manhã desta sexta (05.04), presidenta falou dos aspectos de sustentabilidade do espaço e resumiu com a palavra “orgulho” a sensação diante do estádio pronto. 

A Arena Fonte Nova, em Salvador, foi oficialmente entregue na manhã desta sexta-feira (05.04).  Depois de percorrer o estádio para conhecer as instalações, a presidenta Dilma Rousseff foi ao centro do campo, tirou os sapatos e chutou uma bola pela primeira vez no estádio. Em seu pronunciamento, a presidenta ressaltou a criatividade do povo baiano, espelhada na abertura da ferradura presente no estádio.
“A ferradura dá atitude, uma cara especial ao estádio. Mostra uma das características maiores desse povo, que é a criatividade. Esse estádio tem um momento especial, quando a gente se vira para a fonte do Tororó, onde fui beber água, e lá estão os orixás. Um estádio que se volta para o sincretismo da nossa cultura”, disse a presidenta, após descerrar a placa oficial de inauguração.

Ela enfatizou os aspectos sustentáveis da arena e resumiu na palavra “orgulho”  o impacto diante do novo estádio. Durante o evento, Dilma recebeu um flor de metal  feita por Lucimar de Freitas - primeira mulher que integrou o grupo de trabalhadores da arena - com material proveniente da demolição do antigo estádio.

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, fez um paralelo entre as características de Salvador e dos soteropolitanos com a nova arena. “Salvador tem o estádio com a sua personalidade, com a sua história, com a sua identidade. Acompanhei desde o primeiro momento o esforço para a reconstrução da Fonte Nova à altura da história, da dignidade e da paixão dos torcedores e da grandeza do futebol da Bahia”, disse.
Alguns jogadores que fizeram história na Arena Fonte Nova participaram do evento: Osni Lopes, ex-atacante de Bahia e Vitória e um dos maiores goleadores da antiga Fonte Nova, e Bobô, ex-Bahia. Osni e José Eduardo, este último atleta do Bahia e do Vitória na década de 1970, receberam da  presidenta Dilma e de Jaques Wagner os certificados de conclusão do curso de qualificação para ex-atletas, organizado pelo governo do estado com o objetivo de capacitá-los com noções de turismo, empreendedorismo, meio ambiente e línguas estrangeiras. A primeira turma teve 27 ex-atletas.

Passado, presente e futuro

A difícil decisão de demolir a antiga Fonte Nova foi relembrada pelo governador da Bahia Jaques Wagner. Ele explicou que a escolha do novo projeto levou em conta a manutenção da abertura da ferradura.
“Em 1950, o então governador Octavio Mangabeira (que dá nome ao complexo esportivo-cultural da Fonte Nova) quis construir o estádio para trazer a Salvador a Copa daquele ano. Não ficou pronto, mas a história correu e agora temos o prazer de receber a Copa das Confederações e a Copa de 2014. Além dos jogos, por aqui vão passar os melhores espetáculos mundiais, inserindo Salvador no circuito internacional de espetáculos”, disse o governador.

Investimento em mobilidade

Durante a cerimônia, Jaques Wagner e a presidenta Dilma anunciaram o investimento de R$ 1 bilhão em recursos do PAC para o projeto de vias estruturantes de Salvador, que inclui dois corredores com faixas exclusivas para ônibus. “É uma obra fundamental para os trabalhadores e moradores, professores,  comerciantes, para todos os que moram  na capital. Vamos investir R$ 1 bilhão e vamos interconectar ônibus e metrô.  Depois de12 anos, esse projeto do metrô chega a um bom resultado”, disse a presidenta.
“Conseguimos superar o impasse. Neste dia histórico, a prefeitura e o governo chegaram a um entendimento e a cidade finalmente terá um metrô” disse o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto.
Também estiveram presentes na cerimônia o secretário executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes,  os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, dos Transportes, César Borges, das Cidades, Agnaldo Ribeiro, da Comunicação Social, Helena Chagas,  a ministra da secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, entre outras autoridades.

Rivalidade

Cerca de dois mil operários que trabalharam na construção da arena também acompanharam a cerimônia. Momentos antes dos discursos, um pequeno grupo levantou uma bandeira do Bahia Esporte Clube. As manifestações dos companheiros foram automáticas: uns dando gritos de apoio ao time e outros vaiando. São cenas antecipadas do próximo capítulo da história da Fonte Nova: o jogo inaugural, no próximo domingo (07.04),  às 16h, com o clássico entre Bahia e Vitória, os dois principais times da capital.
Antes, a programação cultural terá Ivete Sangalo, Cláudia Leitte, torcedoras fanáticas de Vitória e Bahia, respectivamente, entre outros artistas baianos. O grupo Olodum vai executar o hino nacional e o hino baiano.



Postar um comentário