A CIDADE DE SÃO PAULO QUER PARTICIPAR DO PROGRAMA DE AJUSTE FISCAL (PAF) DO MINISTÉRIO DA FAZENDA


Haddad defende inclusão de capitais no Programa de Ajuste Fiscal

O Programa é restrito atualmente aos estados. Prefeito diz que o ministro da Fazenda se mostrou favorável à inclusão das capitais
O prefeito Fernando Haddad comentou, durante visita à subprefeitura da Capela do Socorro, que o ministro Guido Mantega (Fazenda) se mostrou favorável ao projeto de lei que estenderá o Programa de Ajuste Fiscal (PAF) às capitais – atualmente é restrito apenas aos estados. “Tive da parte do ministro a sinalização de que deve encaminhar uma lei estendendo o PAF para as capitais". 


"Isso é muito importante para nós porque só a negociação da dívida não seria suficiente”, comemorou o prefeito.
Haddad, que é um dos autores da proposta, citou Rio de Janeiro e Porto Alegre como outras capitais que também estão no pleito para entrar no Programa de Ajuste Fiscal. “Eu acho justo porque há muitas capitais com orçamento superior aos estados. Então não é justo você excluir uma capital. A cidade de São Paulo é maior do que mais de 20 estados, então não tem cabimento São Paulo não ter um tratamento diferenciado com relação a isso”, disse.
Ajuste Fiscal - 
O prefeito comentou, também, sobre as tratativas com o Governo Federal para renegociar a dívida de São Paulo. “Esperamos até junho aprovar a lei que troca o indexador da nossa dívida, o que então cria espaço orçamentário. Vamos abrir também espaço para voltar a tomar empréstimos. São Paulo vai poder voltar a pensar em financiar recursos, principalmente com as contrapartidas do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Então são três iniciativas: o PAC de um lado, o PAF, e a negociação do indexador. Se isso for avalizado, nós vamos ter tranqüilidade para trabalhar”.
Postar um comentário