QUEM NOMEOU WASHINGTON COMO ÁRBITRO DO BEM E DO MAU PARA OPINAR SOBRE DIREITOS HUMANOS EM OUTROS PAÍSES?


O presidente equatoriano, Rafael Coreia, criticou a dupla moral na política dos Estados Unidos e perguntou quem nomeou Washington árbitro do bem e do mau para opinar sobre direitos humanos em outros países. 





Em seu recente relatório à cidadania, Correa destacou que o sistema eleitoral dos Estados Unidos é absolutamente imperfeito, e tudo está construído para perpetuar o mesmo esquema bi partidista. 

Como muito sintomático criticou a rejeição do Senado dos Estados Unidos em 16 de abril passado à proposta dos dois principais partidos para ampliar a verificação de antecedentes de civis na compra de armas, projeto apoiado pelo Presidente Barack Obama. Com essa resolução, disse Correa, fica demonstrando que os políticos do Senado responderam ao capital e não a seus mandantes, que apoiavam a proposta depois da comoção que causou o massacre de 20 crianças de uma escola em dezembro de 2012. 
O projeto apoiado pelo mandatário estadunidense não passou da Câmera Alta por 54 votos a favor e 46 contra, quando se requeria uma maioria de 60 sobre 100. 
Nessa decisão, comentou, quatro democratas somaram-se aos senadores republicanos, para frear a iniciativa, ato criticado por Obama ao considerar que votaram por medo a que a Associação Nacional do Rifle suprima seu apoio financeiro a esse partido. 


Estados Unidos é o maior consumidor e exportador de armas no mundo, seguido do Reino Unido cuja principal exportação são as armas. “Por trás disto, está o imenso poder dos fabricantes de armas”, disse Correa. Por outra parte, o Chefe de Estado equatoriano declarou  que o Governo vai continuar lutando contra a mentira ao referir aos relatórios de Transparência Internacional e da Relatoria para a Liberdade de Expressão da CIDH, o que qualificou como um “ INDEFENSÁVEL”. 
Equador conseguiu grandes avanços em matéria dos direitos da comunicação para uma verdadeira liberdade de imprensa, e a democratização da comunicação é um fato, afirmou o governo no domingo em um comunicado. 
Em 2007 existiam 1.178 meios de comunicação privados, 86 públicos e nem um só comunitário; enquanto hoje existem 1.315 meios privados, 327 meios públicos e 20 meios comunitários. 
A Secretaria de Comunicação de Equador comemora neste 3 de maio no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa e, recalcou, soma-se à mesma no afã de conscientizar nacionalmente e internacionalmente a importância e o direito de uma verdadeira liberdade de expressão para todos.
Postar um comentário