Cubanos convocam apoio em Tuitaço no Panamá

Panamá, 8 abril (Prensa Latina)
 
Milhares de internautas apoiam hoje o tuitaço convocado pelos cubanos que participam nos foros paralelos a Cúpula das Américas no Panamá, que se propõe a respaldar a luta dos povos da região pela sua soberania.
 
Na última hora a hastag #NuestraAmericaIndependiente, fixada na convocação, foi repetida mais de quatro mil vezes na rede social Twitter. Homens, mulheres, organizações, meios de comunicação e instituições de diversos países de América Latina fazem-se eco da mensagem, que procura também recusar a presença na cúpula de terroristas e mercenários pagos para difamar Cuba, por parte de inimigos históricos da Revolução.
 
"Hoje mas que nunca sentimos a #NuestraAmericaIndependiente livre de todo jugo que queira oprimir nossa liberdade", indicou um internauta, e outro recordou que "#Nuestraamericaindependiente.derecho à vida é o primeiro direito humano em #Cuba".
 
Ante a presença nos foros dos mercenários, denunciada ontem pela delegação cubana, um usuário da rede social publicou: "#NuestraAmericaIndependiente Dizem que no #Panamá existem cubanos que falam mau de seu país. Manda-os #EEUU com selo de #SuciedadCivil".
 
Outra mensagem indicou que "O império chega à cúpula do #Panamá com uns quantos crimes a mais, mas #NuestraAmericaIndependiente lhe dá uma lição". Também comentaram: "#NuestraAmericaIndependiente:Somos um Continente livre e damos-nos os governos que nós elegemos.
 
A era medieval ficou para atrás faz séculos". Uma nota do site Cubadebate assinalou que a etiqueta se converteu esta manhã em trending topic (tendência ou tema do momento) na Venezuela e na cidade de Caracas. Segundo a convocação cubana, a mobilização procura respaldar a Cúpula dos Povos, que se realiza há 10 anos como alternativa dos homens e mulheres da região frente a Cúpula das Américas, que organiza os Estados Unidos com o auspicio da Organização dos Estados Americanos.
Nesta ocasião a Cúpula dos Povos acontecerá na Universidade do Panamá, e são esperadas cerca de duas mil pessoas. O encontro se pronunciará sobre assuntos como o bloqueio econômico dos Estados Unidos contra Cuba, a independência de Porto Rico e o decreto norte-americano em que declara Venezuela uma ameaça para sua segurança nacional. Escrito por Camila Carduz miércoles, 08 de abril de 2015
Postar um comentário