Uruguaios decidem eleições neste domingo

Vitória do ex-presidente Tabaré Vázquez é vista como certa. 

A dúvida entre todos os analistas uruguaios é quanto à diferença que o socialista conseguirá em relação a seu oponente, Luis Lacalle Pou, do Partido Nacional.

Uruguaios decidem eleições neste domingo PABLO PORCIUNCULA/AFP
O discurso do candidato governista à presidência uruguaia no fechamento da campanha deu uma senha para o futuro dos uruguaios: as conquistas sociais festejadas no governo do popularíssimo José Pepe Mujica serão mantidas durante o do ex-presidente Tabaré Vázquez, 74 anos, favorito nas eleições deste domingo. A palavra de ordem entre os apoiadores de Tabaré é a de que os avanços não são de um indivíduo, mas da Frente Ampla (a coalizão de centro-esquerda da qual ele e Mujica fazem parte). Mais: são do povo uruguaio.
Mujica e Tabaré costumam divergir dentro da Frente Ampla. Uma das divergências se dá em relação às liberdades individuais. O candidato, de formação socialista e forte base teórica, é um médico oncologista que se contrapõe a medidas como a legalização do aborto até a 12ª semana e a regulação para produção e venda da maconha pelo Estado. Assessores da Frente Ampla, porém, asseguram: o máximo que Tabaré poderá mudar nesses dois avanços civis é o de tirar das farmácias o ambiente para o varejo da Cannabis sativa.
– Isso não é problema. O importante é que o alto cultivo e a produção para fins medicinais está em estágio avançado e não retrocederão – diz Julio Rey, da federação de cultivadores de Cannabis.

Postar um comentário