PAULISTAS ENFRENTARÃO A MAIOR SEQUIDÃO DA HISTÓRIA POR IRRESPONSABILIDADE DO GOVERNO DO PSDB



Com a contínua queda do volume hídrico de São Paulo por falta de investimentos do governo do PSDB de Geraldo Alckmin, o nível de água do Sistema Cantareira atinge o dramático nível de 9,3 da segunda cota do volume morto.

Em 16 de maio de 2014 a SABESP passou a utilizar o chamado Volume Morto , adicionando 18,5% ao nível do Sistema Cantareira, que na época estava em 8,2%. Com isso o volume total do sistema passou a 26,7%. Em 24 de outubro de 2014 a SABESP incorporou a segunda cota do Volume Morto, adicionando mais 10,7% ao sistema, fazendo o nível subir de 2,9% para 13,6%. 

Previsão dos especialistas - Estiagem Prolongada ( Aproximadamente 3 anos)


Mas a situação não é tão incomum. Maria Assunção Silva Dias, pesquisadora de Ciências Atmosféricas da USP, diz que São Paulo já viveu períodos graves de escassez. “Não é nem preciso falar em mudanças climáticas. Existe a variabilidade normal do clima", afirma Dias. "Desde 1930, tivemos vários anos de precipitação bem abaixo da média, alguns deles seguidos. Se aconteceu no passado, pode acontecer de novo. Não é surpresa."
Entre 2009 e 2013, São Paulo viveu a situação contrária, com chuvas até 30% acima da média. Era natural, diz a especialista, que em seguida viesse um período de seca. "Tinha-se a ideia de que havia autossuficiência de água em São Paulo, mas não é verdade”, afirma Dias. “A crise expôs a fragilidade do sistema, que opera no limite. Bastaram três meses de pouca chuva para ver que ele não se sustenta.

A maior crise hídrica de São Paulo não expõe somente a fragilidade do sistema de abastecimento de água. Expõe a irresponsabilidade do governo mercenário de São Paulo!



Postar um comentário