O mundo com Cuba: 188 votos para a resolução contra o bloqueio


A Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou uma resolução que condena veementemente o bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto mais de 50 anos pelos Estados Unidos contra Cuba.

A resolução teve 188 votos a favor, dois votos contra e três abstenções.

Entre os 188 países e blocos que votaram não ao bloqueio econômico, comercial e financeiro estão o Movimento dos Países Não-Alinhados, do Grupo dos 77 e China, a comunidade latino-americana, a Comunidade de Estados Latino-Americanos e do Caribe (CELAC), bem como os membros o Mercado Comum do Sul (Mercosul) e a Comunidade do Caribe.

Todos concordaram que esta política dos EUA é " imoral e injustificada " e insistiu que ela viola a Carta das Nações Unidas. Além disso, eles concordaram que o bloqueio dos Estados Unidos viola os direitos de justiça e direitos humanos, o que retarda o crescimento econômico e o desenvolvimento social na nação caribenha.



O ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, disse que o projeto de resolução pede o fim do bloqueio norte-americano. " Cuba nunca vai desistir de sua soberania ou o caminho livremente escolhido pelo povo (...), não vai desistir de buscar uma ordem diferente constitucional " , disse em seu discurso.


" Convidamos o Governo dos Estados Unidos a manter um relacionamento amigável com bases recíprocas, de igualdade soberana, respeitar a Carta das Nações Unidas e do diálogo, especialmente respeitosa. Viver de maneira civilizada dentro de nossas diferenças " .

Como representante os EUA, isolado da ONU, rejeitou novamente a resolução. " A economia de Cuba não funcionam desenvolver até abrirem seus monopólios à concorrência privada " , justificou o representante da nação americana.

Antes da cúpula, Venezuela, Bolívia, Rússia, Vietnã, Argélia, Jamaica, República Popular Democrática da Coreia, África do Sul, El Salvador, Moçambique, Tuvalu, Namíbia, Trinidad e Tobago, Dominica, Guiana, Antígua e Barbuda, Sri Lanka, Gabão Gana, Peru, Tanzânia, Gâmbia e Chade, São Vicente e Granadinas, Burkina Faso, St. Kitts e Nevis, Ilhas Seicheles, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Síria, Laos e Vanuatu, entre outros, disseram não ao bloqueio comercial, vigente.

CHINA VOTA A FAVOR PARA ACABAR COM EMBARGO DOS EUA CONTRA CUBA

China votos a favor para acabar com embargo dos EUA contra Cuba
China votou a favor de uma resolução adotada pela Assembléia Geral das Nações Unidas (AGNU), 
China votou a favor de uma resolução adotada pela Assembléia Geral das Nações Unidas (AGNU), na terça-feira, pedindo para acabar com o embargo imposto pelos Estados Unidos contra Cuba.

"Como a maioria dos outros países, a China espera que os Estados Unidos, de acordo com os propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas e as resoluções pertinentes da Assembléia Geral, irá pôr fim o mais rápido possível para o bloqueio contra Cuba", disse Wang Min, representante permanente adjunto da China à ONU.

Wang fez as declarações na sessão 69 da Assembleia Geral da ONU sobre o tema da agenda da necessidade de acabar com o embargo econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos da América contra Cuba.

A Assembleia Geral da ONU aprovou uma resolução não vinculativa sobre o embargo década de cinco para o 23º ano consecutivo, com 188 votos a favor e três abstenções. 
Apenas os Estados Unidos e Israel votaram contra.

Wang observou ao longo dos anos essas resoluções não foram implementadas de forma eficaz e ao bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos contra Cuba não foi levantada.

"Esta não é apenas uma violação dos propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas e as resoluções pertinentes da Assembléia Geral, mas também uma fonte de enormes prejuízos econômicos e financeiros para Cuba", disse ele.


Wang destacou que o embargo e as sanções contra Cuba são "mais razoável do que nunca", já que a recuperação da economia mundial é fraca e que a comunidade internacional está severamente desafiada por uma série de crises nos domínios da alimentação, energia e alterações climáticas neste momento.


Postar um comentário