AÉCIO - O POVO "INDIGNADO" CONHECE O SEU ESQUEMA TUCANO DE ENGAVETAR PROCESSOS DE CORRUPÇÃO!

No debate da Band, Dilma contesta Aécio "indignado" quando falaciosamente o tucano discursava sobre corrupção: “Aonde estão todos os envolvidos no caso Sivam, no Dossiê da Pasta Rosa, na compra de votos durante a reeleição? Os envolvidos no mensalão tucano mineiro? Na compra de trens e metrôs de São Paulo? Estão todos soltos”.






Compra de trens e metrôs de São Paulo 
Engavetador: Procurador Rodrigo de Grandis 

No governo da Dilma as investigações são encaminhadas à PF.

Os tucanos até pediram a cabeça do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, objetivando evitar a investigação da Polícia Federal nas denúncias de cartel no contrato de trens e Metrô em São Paulo.
O ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, falou duro naquela tarde de 26/11/2013 ao responder a cúpula do PSDB, "A época de engavetador geral já acabou. Eu me recuso ser um engavetador geral de denúncias. As denúncias que chegarem às minhas mãos serão sempre encaminhadas à PF para fazer uma investigação imparcial", disse Cardozo.

A declaração foi feita cerca de um mês depois de o procurador da República Rodrigo de Grandis ser acusado de engavetar um pedido de colaboração de procuradores suíços no caso Siemens. Segundo De Grandis, que contou que o documento foi guardado numa gaveta errada e, por isso, arquivado indevidamente, houve uma "falha administrativa" na Procuradoria de São Paulo. O pedido ficou longe do conhecimento do órgão por dois anos e oito meses.

Segundo Cardozo, cabe a ele, como ministro da Justiça, apenas solicitar a investigação, que será coordenada por um delegado de polícia. Mais cedo, os tucanos afirmaram que ele não tinha condições de chefiar as investigações. "O presidente do PSDB disse que o ministro da Justiça não tem condições de coordenar e chefiar as investigações. Quem faz isso é o delegado de polícia. Há um ligeiro equívoco jurídico, meu poder se limita a pedir investigação que é feita com absoluta autonomia", disse.

O ministro da Justiça lamentou ainda que o suposto esquema envolvendo multinacionais e governos do PSDB em São Paulo tenha se transformado em disputa política. Criticando diretamente o candidato Aécio Neves, disse:  "Acho muito ruim que investigações sejam transformadas em disputa política. Todos são iguais perante à lei".

"Se há denúncias, não importa contra quem seja, o ministro tem que pedir investigação. Senão é prevaricação", afirmou Cardozo. A denúncia apresentada pelo ministro da Justiça à PF cita os nomes do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), do secretário de Energia José Aníbal (PSDB-SP), do deputado licenciado e atual chefe da Casa Civil do governo paulista, Edson Aparecido, e do deputado federal Arnaldo Jardim (PPS), ligado a tucanos.
Postar um comentário