IMPUNIDADE CONTINUA NO PARAGUAI

Depois do golpe paraguaio

Foi detido o jornalista que investiga alegadas torturas perpetradas pela polícia paraguaia

A prisão de Paulo López ocorreu domingo, 14, à sua chegada a Assunção proveniente da Argentina, alertou o Sindicato dos Jornalistas do Paraguai (SPP), que recorda que López já havia sido colocado sob custódia, no início deste ano, após ter desvendado as detenções arbitrárias realizadas pelas autoridades, na sequência das quais, aliás, apresentou queixa junto do Ministério Público com o apoio do SPP.

De acordo com Santiago Ortiz, secretário-geral do Sindicato de Jornalistas do Paraguai (SPP , na sigla em espanhol), praticamente não houve “investigações sobre o processo de López” e ele deve se convocado no próximo dia 23 de dezembro para reconhecer os policiais denunciados.

O líder sindical afirma que o jornalista agora deve passar por penas alternativas, incluindo a proibição de deixar o país e a obrigatoriedade de comunicar à autoridades todas as suas movimentações.
Postar um comentário