Rafael Correa destaca importância dos vínculos China-América Latina



Beijing * O presidente equatoriano Rafael Correa destacou a importância da integração da América Latina e Caribe e a aproximação com a China para "alcançar a tão merecida segunda e definitiva independência de nossos povos".


Durante uma concorrida palestra na Universidade Tsinghua intitulada "A nova economia equatoriana: um exemplo de porque o neoliberalismo é a via equivocada", o presidente expressou que a história demonstra que para conseguir justiça se requer a gestão coletiva.

Essa gestão coletiva, esclareceu, deve contar com uma adequada e importante intervenção do Estado "sobretudo para a correta distribuição do conhecimento e das capacidades".

Correa chegou no domingo a Beijing, na primeira visita de um presidente equatoriano à China, e foi recebido oficialmente hoje no Grande Palácio do Povo por seu anfitrião, o presidente Xi Jinping, com quem sustentou conversas oficiais e participou da assinatura de acordos de cooperação.

Ante cerca de 400 alunos e convidados nesta prestigiada universidade chinesa, o presidente explicou as excelentes relações que unem o Equador com este país asiático, vínculos que acabam de ser elevados a uma associação estratégica integral.

A julgamento do chefe de Estado sul-americano, os esforços individuais de cada país serão insuficientes "se não potencializarmos nossas ações de marcos institucionais mais ambiciosos, com escalas mais amplas, com mais integração entre países irmãos...".

Assegurou que como testemunham as conquistas atingidas pela economia equatoriana "somente a mudança do poder político em função das grandes maiorias pode garantir a supremacia do ser humano sobre o capital e da sociedade sobre os mercados".

Falou da aspiração de alcançar o grande viver, um anseio dos povos originários de viver sem opulência, mas sem miséria, em harmonia com a natureza. Este é um preceito que se aproxima muito do que persegue a China de conseguir uma sociedade moderadamente confortável, comentou.

O Presidente afirmou que para isso é necessário trabalhar em conjunto e "por isso é um sinal de esperança este primeiro foro entre China e a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), que será inaugurada amanhã nesta capital.

Correa insistiu que o grande desafio da humanidade é o problema político, a supremacia dos seres humanos sobre o capital, a supremacia das grandes maiorias sobre umas poucas elites. O problema básico do desenvolvimento é sobretudo político, destacou.

Para isso, o presidente do Equador sublinhou que é importante mudar essas relações de poder.

(Prensa Latina)

Postar um comentário