PEQUIM: 1o. ENCONTRO DO FÓRUM CHINA-COMUNIDADE DOS ESTADOS DA AMÉRICA LATINA E DO CARIBE

China e 30 países latino-americanos reunem-se em Pequim


Governantes chineses e de 30 países latino-americanos vão se reunir quinta (8) e sexta-feira em Pequim, no primeiro encontro ministerial do Forum China-Comunidade dos Estados da América Latina e do Caribe (Celac), criado recentemente.


"Até agora, 30 dos 33 membros da Celac e 20 ministros dos Negócios Estrangeiros já confirmaram participação", relatou um alto funcionário do governo chinês. A sessão de abertura terá também a presença dos presidentes da China, Costa Rica, do Equador e da Venezuela.

Criado no verão passado, o novo forum é considerado "uma plataforma intergovernamental de cooperação politica, econômica e comercial".

"A China e os países da Celac encontram-se em fase semelhante de seu processo de desenvolvimento e partilham muitos interesses", disse Zhu Qingqiao, diretor do departamento do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês encarregado dos Assuntos da América Latina e do Caribe.

Alguns países vão enviar também ministros de outras pastas, principalmente do Comércio, Turismo e da Ciência, acrescentou.

"As nossas relações vão entrar em uma nova era e ascender a um patamar mais alto", afirmou Zhu Qingqiao.

Segundo ele, a China já é o segundo parceiro comercial da América Latina e do Caribe e, para alguns países da região, entre eles o Brasil, é o primeiro.

Pelas contas chineses, nos primeiros 11 meses de 2014, o comércio entre a China e a região cresceu 1,3% em relação ao mesmo período do ano anterior, somando US$ 241,9 milhões.

Maduro chega à China para ampliar relações comerciais. Após a queda do preço do petróleo, Maduro deverá consolidar forte apoio financeiro da China.


O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, reúne-se com empresários chineses de diversos setores, em seu primeiro dia de viagem oficial à China.
Maduro, que chegou nesta madrugada em Pequim, depois de uma escala em Moscou, iniciou logo de manhã vários contatos em reuniões separadas com empresários, informaram fontes da delegação venezuelana. 
Das reuniões, com a presença dos principais integrantes da equipe econômica, participa ainda o presidente do Banco da China, revelou a ministra da Comunicação e Informação, Jacqueline Faría, em sua conta no Twitter.
Além de um encontro com o presidente Xi Jinping, Nicolás Maduro participa do Fórum China- Comunidade de Estados Latino-Americanos e do Caribe.
Destacando a visita como “muito importante”, o presidente venezuelano garante que está na China para “trabalhar em vários projetos”, em áreas tão diversas como a financeira, energética, tecnológica ou educativa, tudo para promover um “desenvolvimento integral”.
A Venezuela produz cerca de 3 milhões de barris de petróleo diariamente, dos quais 2,5 milhões são exportados para a China e os Estados Unidos, mas enfrenta, assim como outros países produtores, a queda do preço do petróleo.
Postar um comentário