China investirá US$ 250 bilhões na América Latina, no prazo de dez anos

O governo chinês vai investir US $ 250 bilhões em países da América Latina e do Caribe nos próximos 10 anos, em uma tentativa de reforçar a sua presença em uma região dominada por os EUA.

Os volumes do comércio bilateral entre a China e os países da região poderia chegar a US $ 500 bilhões, disse o presidente chinês, Xi Jinping, no primeiro fórum ministerial da China e da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e do Caribe (CELAC).
"Eu acredito que esta reunião vai conseguir resultados frutíferos, dar ao mundo um sinal positivo sobre o aprofundamento da cooperação entre a China e América Latina e têm um impacto importante e de grande alcance na promoção da cooperação Sul-Sul e prosperidade para o mundo", disse ele.
Os países são esperados para adotar um plano de cinco anos para a cooperação abrangente durante a cúpula de dois dias realizada em Pequim.
Os planos para a realização de um fórum China-CELAC foram anunciadas durante a visita de Xi para a região em 2014, momento em que os países concordaram na cooperação de investimentos em projetos nos domínios da energia, desenvolvimento de infra-estrutura, inovação e agricultura.
China está interessada em recursos naturais da região e quer comprar petróleo na Venezuela, o cobre do Chile e Peru, a soja na Argentina e do Brasil. Os países latino-americanos em troca receberão bilhões de dólares em investimentos chineses e linhas de crédito de longo prazo.
Xi Jinping e o presidente venezuelano Nicolas Maduro acertaram acordo sobre o desenvolvimento de projetos conjuntos, totalizando mais de US $ 20 bilhões, enquanto o Equador recebeu um empréstimo de 7530 milhões dólar da China.
CELAC é um bloco de 33 países criada em dezembro de 2011, em Caracas, Venezuela. Ele inclui todos os países sul-americanos, alguns países do Caribe e México.
Postar um comentário