EVO MORALES SALIENTA A IMPORTANCIA DA REVOLUCIONÁRIA CUBA, A MÃE DO MUNDO ANTI-IMPERIALISTAS

    A revolução cubana é a mãe do mundo anti-imperialistas, disse o presidente Evo Morales, presente na comemoração de 60 º aniversário dos ataques aos quartéis Moncada e Carlos Manuel de Céspedes.
       O estadista disse  que Cuba  é sempre uma forte inspiração de luta contra o capitalismo e o imperialismo, porque há 60 anos começou em Cuba o inicio da libertação do  povo latino. A luz brilha a esperança e confiança nos homens que deram as suas vidas aos princípios da nossa causa.

      Evo ressaltou que Fidel Castro e Hugo Chávez são comandantes de forças libertárias em todo o mundo e, hoje, com o povo cubano recebe esta honra, e a crença de que o capitalismo e o imperialismo não são solução para a humanidade.  
    Cuba, Mãe do Mundo revoluções anti-imperialistas
    Morales salientou que o povo cubano é digno e humano e apesar de estar bloqueado continua sendo o farol de esperança para os povos do mundo e as gerações futuras.    Morales elogiou a solidariedade de Cuba com as pessoas e a vida.    Especialmente lembrou que, quando ele foi em 2005, na ilha, em um ato com Fidel e Chávez, o líder histórico da Revolução Cubana falou da operação na vista livre de 100 mil latino-americanos, e hoje a realidade é que só na Bolívia foram beneficiadas 700 mil pessoas com o Milagre, que dá a grandeza da visão ao líder cubano.   
    Evo afirmou que seus primeiros anos de mandato como presidente da Bolívia foram possíveis graças a solidariedade de Cuba e Venezuela, referindo-se a uma conversa com Fidel sobre seus medos de possíveis bloqueios e sabotagens dos Estados Unidos contra o seu país se vencesse a presidência, este apontou para Cuba, uma ilha sem recursos financeiros, resiste a esses ataques. 
    Também argumentou que a Bolívia com ricos recursos naturais, não está sozinho, porque ele podia contar com Cuba, Venezuela de Chávez, e da solidariedade de Nestor Kirchner da Argentina, e José Inácio Lula da Silva, no Brasil.  
    Proveito de nossos recursos se vencermos a batalha dos povos do mundo na luta contra o imperialismo, pela soberania, destacou, em outra parte de seu discurso.  
    Hoje, apontou Morales, não temos medo de continuar a luta contra o capitalismo e o imperialismo, e em nome de seu povo expressa respeito e admiração pela Revolução Cubana.    A certeza é que vamos continuar trabalhando incansavelmente como um justo reconhecimento de libertadores da América, antes e agora.
    Postar um comentário