FIM DA LIBERDADE E DA PRIVACIDADE NOS EUA

A inauguração do Estado Policial

The Inauguration of Police State USA. Towards a Democratic Dictatorship?
EUA : A caminho de uma ditadura democrática?

Notas do Autor:
O artigo que segue [1] foi publicado em janeiro de 2012 e focaliza uma importante lei legislativa (Lei – Autorização de Defesa Nacional – “National Defense Authorization Act”  (NDAA) HR 1540).


Quase que nem notada na comprometida corrente da mídia estabelecida, a HR 1540 (assinada como lei efetiva pelo presidente Obama em 31 de dezembro de 2011) apresentou as condições  para uma anulação de um governo constitucional como ato de lei, já aqui nem se mencionando as condições para um desenvolvimento de um “Estado de Vigilância” –“Surveillance State”, o qual está sendo objeto de muito debate [näo só nacional como também internacionalmente, dadas as revelações recentes dos atos de espionagem do governo americano].    A república americana está fraturada. A tendência é para o estabelecimento de um estado totalitário, um governo militar em roupas civís.
A adoção da Lei – Autorização de Defesa Nacional (NDAA),  (HR 1540) corresponde a militarirazão da polícia, ou seja, a anulação da lei regulando a atuação independente dos municípios e regiões: “Municípios podem atuar…” – “Posse Comitatus Act”-   e assim então,  a inauguração em 2012,  dos Estados Unidos como EUA: Estado Policial.
Da mesma maneira como aconteceu na chamada República Weimar, na Alemanha de 1930, liberdades e direitos fundamentais estão agora sendo anulados abaixo do pretexto de que a democracia estaria sendo ameaçada e precisaria de ser protegida.
Grupos radicais e ou ativistas trabalhistas constituem aos olhos da administração de Obama uma ameaça ao estabelecimento econômico assim como a ordem política nacional americana [tem-se calafrios em lembrar-se do DOPS – Departamento de Ordem Pública e Social dos tempos da ditadura brasileira?]  A mídia sempre comprometida está agora sendo cúmplice da morte do governo constitucional americano.
Todos os componentes de um  Estado Policial nos EUA  já se encontram nos seus devidos lugares. Esses componentes  incluem:
Assassinatos extrajudiciais de supostos  terroristas, o que  incluiria cidadãos americanos. Isso está em alarmante violação da Quinta Lei da constituição americana, que afirma que  “Nenhuma pessoa deverá  ter…. sua vida tomada… sem os devidos processos judiciais. “No person shall be deprived of life without due process of law.” [observe-se que nos Estados Unidos a pena de morte ainda faz parte do sistema jurídico,  mas aqui não se trata de penas de morte mas sim de assassinatos premeditados,  sem os devidos processos legais, os quais poderiam ou não levar a uma pena de morte, em cada caso específico].
Prisão indefinida sem julgamentos de cidadãos americanos, isso é nominadamente a anulação do sistema de “Habeas Corpus”.
O estabelecimento de “Campos de Concentração” – “Internment Camps” [literalmente Campos de Internamento] em bases militares americanas abaixo da legislação adoptada em 2009.
Abaixo da “Lei de Estabelecimento de Centros Nacionais de Emergência” – “National Emergency Center Establishment Act”  (HR 645) os “Campos de Internamento” poderão ser usados para “acomodar outras necessidades apropriadas, como determinadas pela Secretaria da SegurançaNacional – Secretary of Homeland Security.”
Os Campos de Internamento da FEMA fazem parte da chamada “Continuidade de Governo” – “Continuity of Government”, COG na sigla inglesa, o qual seria ativado no caso de lei marcial, ou seja, lei de guerra, estado de sítio, ou de emergência. Esses campos de internamento tem como propósito o “proteger o governo” contra seus cidadãos, encarcerando os oposicionistas assim como os ativistas políticos que desafiassem a legitimidade da políticas de segurança nacional, da política econômica ou o programa de ação militar [como por ex. guerras] do governo.

Michel Chossudovsky, 12 de Junho de 2013
Continuação .

Postar um comentário