Senador Suplicy denuncia estupro no Pinheirinho, mas a TV Senado edita vídeo e a denuncia desaparece do discurso

As atrocidades cometidas
no Pinheirinho não podem ficar impunes

A Manchete acima foi o mote do Discurso do Senador Eduardo Suplicy do PT na tribuna do Senado, hoje. Contudo, sua voz não esta ecoando nas ondas da rede virtual como de fato o sempre corajoso e correto Companheiro Suplicy a fez soar no plenário do Poder legislativo contra os abusos e a boa vontade tucana do Senador Aloísio Nunes para com aqueles responsáveis pela invasão ao Pinheirinho. E tais acontecimentos poderão ou não poderão ser conferidos mais adiante devido a uma edição promovida nos videos apresentados no site da TV Senado, conforme registramos mais a frente.
Os três videos abaixo foram retirados do site da TV Senado às vinte e três horas da Sexta- Feira, em 3 de Fevereiro de 2012. O fato é que tais videos foram editados. Não temos informação de que seja procedimento normal na TV Senado se fazerem edições nos discursos dos Senadores. Em todo caso, esta edição em particular é muito interessante; porque corta duas partes importantes do discurso de Suplicy e principalmente a parte  final que é em realidade o ponto mais importante da fala do representante Paulista.
SENADOR TUCANO TENTA DESQUALIFICAR TESTEMUNHA
O primeiro corte apaga uma intervenção do Senador Tucano Aloísio Nunes Ferreira, onde ele tenta desqualificar uma das pessoas envolvidas nos episódios relatados por Suplicy. A retirada desta parte se dá na passagem de um para outro vídeo, por isso o espectador não percebe qualquer descontinuidade na fala do Senador Petista durante qualquer uma das divisões. 
ESTUPRO PROMOVIDO PELA ROTA
O Segundo corte acontece no final, quando Suplicy revela que apesar de haver prazo de quinze dias, combinado com o Juiz e o administrador da massa falida da empresa dona do terreno, através de documento assinado, a Justiça de São Paulo se aproveitou do Sábado para tomar a decisão da invasão que foi executada sem estar consignada no Diário Oficial, em claro descumprimento com o que o fora acordado dias antes.
Na sequencia, ele se emociona ao ler o depoimento de duas garotas estupradas por soldados da Rota cujo irmão provavelmente sofrera empalamento com um cabo de vassoura, enquanto o pai era mantido preso num quarto sob mira de armas. Apesar de tomado pela emoção Suplicy agiliza a leitura do documento e conta como se dirigiu ao Palácio dos Bandeirantes assim que foi surpreendido, na manhã de Domingo, com a noticia da invasão. Ele fala de toda sua atuação para garantir dignidade de tratamento a População do Pinheiro,  junto ao Governador Alkimim. Suplicy desenvolve sua fala até o Senador Aloísio Nunes, que seria o próximo orador, em atitude incomum no Senado,  subir à tribuna e se colocar atras dele para apressar o termino de seu discurso.
EDIÇÃO PROVIDENCIAL
O fato é que não se pode acusar de ante mão a pessoa responsável pela edição de estar promovendo qualquer atitude de má fé. Coincidências acontecem... 
Talvez seja pratica comum na TV Senado editar-se desta forma e por infelicidade se cortou o mais importante da fala do Senador que era a denuncia de estrupo. Porém, a verdade é que o erro na mão foi providencial para aqueles que promoveram as atrocidades no Pinheirinho e para aqueles criticam a versão do PT sobre a reintegração de posse e acreditam que a Policia agiu com muita cautela nesse caso, leia-se, Senador Aloísio Ferreira - PSDB.
PARTE I
 r
PARTE II
PARTE III

A DENUNCIA ESTA DOCUMENTADA
Abaixo o documento lavrado no Ministério Público de São Paulo, ex-moradoras denunciaram que foram obrigadas a praticar sexo oral em policiais, entre outras brutalidades.
Clique aqui para ler a Integra

Postar um comentário