INGLATERRA VETA PHOTOSHOP. PARA O BEM DAS ELEIÇÕES, BRASIL DEVE SEGUIR O EXEMPLO

SERRA VEM AÍ!
E O BICHO VAI PEGAR!
 
 
Ninguém sabe o que eles podem fazer com o photoshop nas mãos!
Inglaterra volta a vetar
 propaganda de cosméticos

Rachel Weisz é a nova imagem
Autoridades britânicas novamente proíbem a propaganda de L'Oréal; o rosto da atriz Rachel Weisz aparece muito retocado por photoshop.
E parece que a L'Oreal não aprende mesmo. Mais uma vez carregou a mão no uso do photoshop e fez muitos retoques. A empresa foi advertida pela Autoridade da Advertising Standards do Reino Unido, que acompanha de perto a marca francesa reincidente.
Após a remoção há alguns meses de duas campanhas onde houve o efeito exagerado de transformações sobre a pele da atriz Julia Roberts e Christy Turlington modelo, novamente as autoridades vetam anúncio dos cremes da L'Oreal.
O anúncio é uma foto em preto e branco que se espalhou pelas revistas. Nele a pele da Inglesa atriz Rachel Weisz aparece muito exuberante para ser real.
"Foi uma obra de pós-produção para que rosto de Weisz parecesseo mais suave. Tanto é assim que enganosamente exagera os efeitos do produto ", disse um porta-voz do orgão regulador de publicidade.
Mesmo estando  sob estreita vigilância da autoridade britânica, a L'Oréa insiste em distorcer suas imagens, embora  já tenha sido obrigada retirar várias de suas campanhas do ar, continua a exagerar na pós-produção.
Essa controvérsia já deixou a marca L'Oréal sem ter rostos conhecidos em seus anúncios, tais como: Scarlett Johansson, Gong Li, Beyonce e Claudia Schiffer.

Em 2007, Penelope Cruz esteve no centro de igual controvérsia quando o mesmo órgão informou que o fabricante francês tinha usado cílios postiços para promover uma mascara. L'Oreal reconheceu que tinha adicionado "alguns cílios postiços" aos olhos da Cruz, mas se queixou de que "a autoridade não deve aceitar essas práticas na qualidade de trapaça".


Desta vez, o parlamentar liberal-democrata Jo Swinson, que identificou a imagem de Rachel Weisz, tomou posição: 
"A indústria da beleza tem que parar de enganar os consumidores com imagens enganosas", disse ele.
"Deveria haver muito mais  diversidade na  publicidade; mais cores, mais de peles, idades diferentes,  varias formas ... As imagens podem ser muito sedutoras, sem serem falsas", disse o legislador.
Swinson é o mesmo do ano passado alertou sobre os efeitos de maquiagem exagerada e Roberts Turlington.
O parlamento é o promotor da Campanha da  Auto-Estima, que visa a neutralizar os efeitos negativos da propaganda  e "fornecer um ponto de sanidade mental" para o bombardeio de celebridades e pessoas bonitas que a televisão e revistas enviam diariamente para o público britânico.
Por seu turno, a L'Oréal é defendida através de seus porta-vozes, que também observaram que a empresa "não acha que exagerou o efeito e que vai continuar usando-o para este produto," disse que a empresa está "chateada" com a repercussão do caso.



Já existe uma fórmula matemática para determinar o grau de retoque em fotos

Pesquisadores desenvolveram uma escala que estabelece o quanto uma imagem foi digitalmente manipulada. Agora só falta a Lei para obrigar a publicação da intensidade do manuseio em cada foto, para evitar as bolinhas de papel atiradas pela publicidade contra o publico desinformado.

Postar um comentário