Julian Assange, mais conhecido como o fundador do site do "Wikileaks.org", está concorrendo a uma vaga no Senado, na Austrália.


Julian Assange corre para o Senado
australiano ao abrigo do novo Partido
Assange fundador Wikileaks revelou recentemente sua intenção de concorrer a uma cadeira no Senado em 2013 na eleição federal australiana. Assange diz que sua nova meta para um partido político ganhou rapidamente algum impulso e que tem muito apoio em sua terra natal, a Austrália.

A cadeira de Assange no Senado será disputada sob a sigla de um novo partido político, dele próprio, apropriadamente chamado de; "Wikileaks Party".
Atualmente Assange é procurado na Suecia em conexão com o suposto estupro de duas mulheres, enquanto ele estava  visitando o país para uma conferência. Alguns legisladores federais dos Estados Unidos estão pedindo a sua extradição para esse País e estão dizendo que ele é culpado de espionagem internacional.

Assange diz ter pelo menos os 500 cidadãos australianos necessários para inscrever o novo partido Wikileaks. Ele sente que um novo partido seria bom para um governo aberto, que ele prevê para todos os australianos. Muitos adeptos desse tipo de governo, aberto, acreditam na grande necessidade dele hoje em dia, pois percebem um movimento crescente de operações irregulares do governo, como escutas ilegais e outra formas de espionar seus próprios cidadãos. Assange sente que a privacidade pessoal está em jogo todo o mundo, e é o seu objetivo de fazer as pessoas o seu direito à privacidade.
Assange ganhou muita notoriedade por seu polêmico site Wikileaks, que divulgou milhares de documentos secretos de governos e de negócios, e-mails e outros registros secretos. A maioria do material é coletado anonimamente, mas tem havido denunciantes capturados, como nos EUA, o ex-soldado do exército, Bradley Manning , que está atualmente em julgamento por entregar a Wikileaks uma grande quantidade de material de inteligência classificada proibido pelo governo

Wikileaks é creditado com a descoberta e divulgação de milhares de e-mails particulares de funcionários do governo sírio, chamando de "Os Arquivos da Síria". "O material é embaraçoso para a Síria, mas também é embaraçoso para os adversários da Síria", diz Assange.

"Ela nos ajuda não apenas para criticar um grupo ou outro, mas para entender seus interesses, ações e pensamentos. É somente através deste entendimento  do conflito que podemos ter esperança de resolvê-lo."
Assange esta na Inglaterra sobre pedido de extradição para a Suécia. Ele lutava contra sua prisão, mas em junho de 2012 violou sua liberdade condicional e se mudou para a embaixada equatoriana em Londres, onde pediu asilo político, temendo por uma deportação para os EUA. Essa deportação significava que ele poderia ser condenado à morte.O governo equatoriano aceitou o pedido de Assange de asilo político e afirmou que ele poderia permanecer na embaixada pelo tempo que quisesse.

Assange diz que as acusações de estupro contra ele são totalmente falsas, e é uma maneira de os EUA conseguir extraditá-lo para esse País. Ele pediu que os EUA acabar com a caça às bruxas contra ele e que "a guerra da Administração dos EUA contra os denunciantes deve acabar."
Postar um comentário