SOLIDARIEDADE COM CUBA

XIX Convenção de Solidariedade com Cuba
São Paulo

Por Alejandro Gomez / Prensa Latina
Mais de 500 participantes da XIX Convenção de Solidariedade com Cuba em São Paulo reafirmaram seu apoio à Revolução e expressaram o compromisso de aumentar as ações em favor da ilha.
A Carta de São Paulo, um documento que serve como uma declaração final da reunião realizada no Memorial da América Latina, uma das melhores obras do famoso arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, exalta o crescimento da solidariedade com Cuba, neste vasto país sul-americano.

"No entanto, diante das ameaças dos EUA, os partidários da Revolução Cubana devem estar cada vez mais organizados em sua defesa e nesse sentido, nossas campanhas de informação e protestos de rua devem se mover".
Os amigos brasileiros na ilha caribenha concordaram em intensificar as ações para a libertação de cinco lutadores antiterroristas cubanos Gerardo Hernández, Antonio Guerrero, Fernando González e René González, Ramón Labañino, presos injustamente nos EUA por quase 13 anos.
Além disso, continuar a luta pelo fim do Bloqueio criminoso nos âmbitos econômico, financeiro e comercial promovido por mais de meio século por Washington contra Cuba, em uma vã tentativa de derrotar o povo cubano que, ao contrário, resiste e mantém viva a revolução e seu espírito internacionalista.
Dadas as mentiras e distorções da imprensa de direita do Brasil sobre a realidade cubana, os amigos brasileiros na ilha apontam também para a necessidade de trabalhar para romper o bloqueio da mídia.
Para melhorar e aperfeiçoar este trabalho no Brasil, os participantes da XIX Convenção salientaram a importância de enviar uma delegação para o Encontro Continental de Solidariedade com Cuba, a ser realizada no México, 6-9 de Outubro deste ano.

Também chamou a atenção para a necessidade de acompanhar de perto a posição de apoio do Brasil na Comunidade dos Estados da América Latina e Caribe, a ser criada em 5 e 6 de julho em Caracas, Venezuela, como parte do bicentenário da independência de vários países da região.
  Os delegados impuseram para si a tarefa de reforçar a divulgação e colaboração nos objetivos de atualização do modelo económico cubano e no aperfeiçoamento do socialismo em Cuba, teses amplamente discutidas e aprovadas pelo povo no Sexto Congresso do Partido Comunista de Cuba.
O encontro, organizado pelo Movimento Paulista de Solidariedade com Cuba, recebeu representantes de 16 dos 27 estados brasileiros, bem como uma delegação cubana liderada pelo presidente do Instituto Cubano de Amizade com os Povos, Kenia Serrano.
Magali Llort, MP e mãe de Fernando Gonzalez, um dos cinco combatentes cubanos contra o terrorismo, Zuleika Romay, presidente do Instituto Cubano do Livro, coronel aposentado José Ramon Herrera, professor de Relações Internacionais do Instituto de Nidia Maria e Alfonso jornalista Rosa Miriam Elizalde, Cubadebate coordenador site.
A Convenção XIX terminou formalmente no domingo no Memorial da Resistência, um ato de gratidão para com Cuba para hospedagem brasileiros perseguidos políticos durante a ditadura militar (1964-1985).
Postar um comentário