20/06 - Dia Mundial do Refugiado




Perseguição política, religiosa ou racial. Perseguição por ter uma nacionalidade ou por pertencer a um grupo social. Grave e generalizada violação de direitos humanos. Os nossos países não nos protegeram contra isso, e tivemos que buscar refúgio em outras terras. Em todo o mundo somos mais de 50 milhões de homens, mulheres e crianças, de todos os continentes. Neste momento das nossas vidas, precisamos contar com a solidariedade de outras pessoas como nós, como você.




O Brasil ratificou a Convenção de Genebra de 1951 e criou uma lei nacional sobre o Estatuto dos Refugiados (Lei 9474/1997).
O país, assim, nos recebe e nos dá proteção legal. Dos brasileiros, recebemos todo o resto!
Não deixamos nossos países por desejo, mas aqui queremos estar entre os brasileiros, compartilhando tudo o que temos e o que somos.O Brasil registra um número recorde de estrangeiros que chegam ao país fugindo de guerras e perseguições

No momento em que o Brasil registra um número recorde de estrangeiros que chegam ao país fugindo de guerras e perseguições, o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e seus parceiros organizaram diversos eventos para marcar o Dia Mundial do Refugiado, celebrado neste sábado (20).

Sobre o assunto o Revista Brasil entrevistou o porta-voz do Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), Fernando Godinho.

Segundo Fernando, “este ano o dia mundial do refugiado é especialmente importante por que o relatório global divulgado pela Acnur mostra um número recorde de pessoas deslocadas em todo o mundo por conflito, fugindo de guerras e perseguições. Uma situação muito preocupante. São quase 600 milhões de pessoas que se encontram fora de suas casas.”

Nesta sexta-feira (19), no Rio de Janeiro, dezenas de refugiados participam de evento no Cristo Redentor. No sábado (20), em São Paulo, será lançada a 2ª Copa dos Refugiados.



Postar um comentário