PERDEMOS UMA IMPORTANTE REFERÊNCIA INTELECTUAL - O COMPANHEIRO LUIZ GUSHIKEN


Bancário e sindicalista em de São Paulo, Gushiken foi fundador do PT e um dos organizadores da CUT.
Filho de imigrantes japoneses, de família humilde e numerosa – sete filhos – nasceu em 1950, na cidade de Oswaldo Cruz, no interior de São Paulo.
Ao chegar em São Paulo, no final da década de 60, Gushiken ingressou na escola de administração de empresas da Fundação Getúlio Vargas. Também estudou filosofia na USP.
Com 19, ingressou no BANESPA, banco do estado de São Paulo. A essa altura, já estava imerso na luta sindical e contra a ditadura.
Na USP, fizera parte da corrente Liberdade e Luta (LIBELU – organização Trotskista) e da Organização Socialista Internacionalista.

A Libelu era formada por estudantes universitários e secundaristas, fundamental para a reorganização do movimento estudantil no fim dos anos 70. “Os ingressantes da OSI na USP resolveram criar uma chapa para disputar o Diretório Central dos Estudantes, que foi chamada de Liberdade e Luta, Libelu. Daí nasceu a corrente”, resgata Marcus Sokol, integrante do PT. “Os integrantes da OSI tiveram um papel importante no movimento estudantil, na reorganização da UNE (União Nacional dos Estudantes), na luta pelas liberdades democráticas. A Libelu era uma tendência que atraía milhares de estudantes. Centenas deles entraram na OSI”, calcula. Para muitos, a Libelu era somente a porta de entrada, uma espécie de vestibular para se entrar na OSI. O militante podia fazer parte da Libelu, mas nem sempre tinha o reconhecimento da organização, e nem todos os estudantes conseguiam ou queriam entrar para a OSI. Primeiro era preciso passar confiança para os observadores que estavam sempre em meio ao movimento. Depois, o “candidato” era convidado a ingressar nos Grupos de Estudos Revolucionários (GER), um curso no qual se estudava livros clássicos do comunismo e do trotskismo, como o Minha Vida, de Trotsky.

Durante as décadas de 70 e 80, fez parte da direção do sindicato dos Bancários de São Paulo.
Funcionário do antigo Banespa, Gushiken presidiu a entidade entre 1985 e 1986, quando se elegeu deputado federal constituinte
Ele presidiu o Sindicato em 1985 e atuou ativamente contra a ditadura militar e em defesa da categoria bancária. Funcionário do antigo Banespa, hoje controlado pelo Santander, sucedeu Augusto Campos na direção do Sindicato no processo de redemocratização do país.
“Para bem exercer o poder é preciso ao mesmo tempo gostar de exercê-lo e igualmente ter desprendimento em relação a ele”, dizia Gushiken. E poucos exerceram com tanto talento e humildade. Ele esteve à frente da maior greve nacional dos bancários, defendendo os trabalhadores por melhores condições de trabalho e salários mais justos conquistando vitórias importantes para a categoria, como o tíquete-refeição e o auxílio-creche/babá, até hoje um direito assegurado na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Gushiken também participou de a criação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do Partido dos Trabalhadores (PT).
Sua força, ética e competência serão sempre lembrados por nossa militância. Com sua morte, o Brasil e toda a nossa geração perdem uma referência intelectual.
Fonte: Diretoria do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região
Luiz Gushiken foi um militante político brilhante, um conselheiro, um companheiro e um grande amigo.
Um homem íntegro que dedicou sua vida à construção de um Brasil mais justo e solidário.
No Sindicato dos Bancários de São Paulo, no Partido dos Trabalhadores, na Assembleia Constituinte, no governo e em todos os espaços em que atuou, sempre defendeu a democracia, a classe trabalhadora e um mundo com mais harmonia e justiça social.
Nunca esqueceremos a contribuição generosa de Gushiken para a construção desse Brasil  que sonhamos juntos e que sem ele não seria possível.
Neste momento de dor, queremos nos juntar e prestar nossa solidariedade aos seus familiares, amigos e todos aqueles que, como nós, só podem agradecer a Deus ter convivido com uma pessoa tão iluminada quanto Luiz Gushiken.
Nossos mais sinceros sentimentos.

Gushiken participou de todas as campanhas presidências do ex-presidente Lula.

Foi deputado federal por três legislaturas (inclusive na Assembleia Constituinte de 1987) de 1987 a 1999 , e coordenador das campanhas presidenciais de Lula em 1989 e 1998
Foi chefe da Secretaria de Comunicação da presidência da República.


Dirceu ressalta a importância de Gushiken na chegada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao poder - Gushiken “foi o melhor entre nós e será sempre o melhor”  era um “homem muito digno”.  

— Era o único que dizia para o Lula o que precisava ser dito nas horas difíceis. [...] É um dos principais responsáveis pela chegada do Lula ao poder. [...] Morreu feliz porque viu que tudo o que ele sonhou aconteceu. Ele lutou até o final por isso.
Postar um comentário