O RELATÓRIO DO COMITÊ DA ONU SOBRE O CONFLITO NA SÍRIA FOI TENDENCIOSO E PARCIAL

O relatório do Comitê Internacional da ONU foi tendencioso, parcial e com base apenas em depoimentos de fontes hostis ao governo.


O representante permanente da Síria no Conselho de Direitos Humanos em Genebra, Faisal Hamwi, rejeitou o documento e esclareceu que deturparam os fatos sobre a situação interna, apoiada por declarações de fugitivos da lei ou contrária à mídia Síria.


Hamwi salientou que apresentou à Comissão e ao Escritório do Alto Comissariado mais de 250 documentos e relatórios que refutavam as alegações daqueles que insistem em atacar a Síria e derramar o sangue de seu povo. No entanto, a agência continuou a ignorar todos os documentos, escolhendo a politização. Por que a Comissão não teve a coragem de se referir explicitamente aos autores, liderado por os EUA e seus aliados na região: Qatar, Turquia e Arábia Saudita, disse ele.

Há uma coincidência entre as posições da Arábia Saudita e da rede terrorista Al Qaeda, que se comprometem simultaneamente por uma chamada jihad (guerra santa) na Síria, disse ele.


Postar um comentário