GOVERNADOR IRRESPONSÁVEL DE SÃO PAULO AUTORIZOU (EM 2003) A CONSTRUIÇÃO DA USP LESTE EM TERRENO CONTAMINADO

Terreno contaminado da USP Leste: Quatro mil pessoas passam pela USP Leste diariamente. O campus foi construído em um terreno onde funcionou um aterro de lixo orgânico. Com o tempo, o material se decompõe e começa a emitir gás metano, que é tóxico e explosivo.
A Cetesb informou que o problema da contaminação se concentra no subsolo. Por esse motivo, há restrições ao uso da água subterrânea e ao contato direto com o solo nas áreas que ainda serão objeto de estudos complementares, de acordo com exigências já feitas pela companhia.
A Cetesb afirmou que emitiu um auto de advertência para a universidade no começo de agosto, exigindo o cumprimento de alguns pontos da licença de operação pra sanar o problema do vazamento de gás.


Em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, em 18 de março de 2003, o governador Geraldo Alckmin assina decreto autorizando a permissão do uso de terreno do Estado para a implantação do campus Leste da USP. A área, situada no Parque Ecológico Tietê, com aproximadamente 1.258.000 metros quadrados.
Dia 22 de março de 2003. Lançamento da pedra fundamental do campus Leste da USP, com a presença de Alckmin e Melfi.
Em 19 de maio de 2003, o reitor Adolpho Melfi entrega ao governador Geraldo Alckmin, em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, o Projeto Básico da USP Leste. O projeto inclui o sistema viário, o edifício principal, o auditório, as portarias e a torre de serviços e telecomunicações do campus na zona leste.


No início de 2004, iniciaram-se as primeiras obras no campus. Com base em estudos ambientais e de constituição física do terreno, a comissão muda os planos: as construções são feitas na gleba 1, e não na gleba 2, como determinava o projeto inicial.

No dia 15 de abril de 2004, a USP e a construtora Zalaf & Costa Engenharia Ltda. assinam contrato para a construção do bloco inicial do campus Leste.


Dia 27 de fevereiro de 2005. Inauguração do campus Leste da USP, com a presença do governador Geraldo Alckmin e do reitor Adolpho José Melfi.

Outros casos
O Shopping Center Norte, na Zona Norte de São Paulo, chegou a ser interditado por dois dias pela Prefeitura de São Paulo, em outubro de 2011, depois que a Cetesb constatou concentrações do gás acima do aceitável. A região foi utilizada durante décadas como depósito de lixo antes da construção do shopping, na década de 1980.
Perto do shopping Center Norte, o Conjunto Habitacional Zaki Narchi também apresentou problemas de concentração de gás metano.  O conjunto habitacional que tem 35 blocos residenciais fica a cerca de 300 metros do antigo lixão do Carandiru, que serviu de depósito de resíduos entre os anos 1950 e 1970. A Prefeitura determinou obras de drenagem do gás.
Postar um comentário