IMORTALIDADE - O IMUTAVEL SONHO CAPITALISTA



IMMORTALITY por William S. Burroughs

O coronel olha para a multidão. . . besuntado, bem arrumado, ele usa a expressão satisfeita de alguém que acaba de vender a uma pobre viúva um fraudulento pomar de pêssego.

"Queridos amigos, estamos aqui para vender a única coisa que vale a pena comprar ou vender e isso é imortalidade. Agora aqui é a solução mais simples e já está a caminho. Basta substituir os componentes desgastados e manter a velha sucata na estrada por tempo indeterminado. "

Conforme técnicas de transplante são aperfeiçoadas e refinadas, o antigo sonho da imortalidade está agora ao alcance da humanidade.

Mas quem deve decidir no meio de um milhão de candidatos para o mesmo coração? Simplesmente não existem bastante partes para sair vendendo.

"É necessário, uma vez por ano, uma tonelada de trabalho para economizar 20 por cento, queridos amigos!"

Grandes executivos usam um coração por mês, somente em suas habituais rotinas. 

Os senhores da guerra, pagando seus soldados em fígados e rins e órgãos genitais. 
Regiões inteiras depopuladas.  Enormes cidades hospitalares cobrem a terra!
Os seus palácios hospitalares com ar-condicionado dos ricos, irradiam copias mal formadas para hospitais de campanha e barracas funcionando a céu aberto. Os pobres estão a aumentar em bandos de gentalha. Eles estão atacando depósitos do governo onde as preciosas partes são armazenados. 

Todo mundo que pode pagar tem cães e guardas para protegerem-se de bandos errantes de caçadores de partes, como os temíveis Médicos Selvagem, que operam uns aos outros depois da batalha, cortando as trêmulas mornas partes dos mortos e moribundos. Os homens Cata-&-Corta se arremessam de entradas no meio de um grupo e cortam fora um rim com alguns especializados movimentos de seus bisturis de quatro polegadas.

As pessoas perderam toda a vergonha.

Aqui temos um homem que vendeu último rim de sua filha para comprar uma virilha novinha - ele aparece na televisão para pedir doações para comprar para a pequenina, Sally, um rim artificial e dar lhe o seu último Natal. 
Nos seu braço está uma loira curvilínea conhecida, aparentemente, como Bubbles. Ela o chama de Long John. Agora.., isso não é lindinho? 

Um mercado negro florescente em partes cresce nas evisceradas cidades devastadas pelos tumultos por partes.  Em terríveis favelas, cenas de Brueghel e Bosch são reencenadas: massas disformes com podres tecidos cicatrizados cheios de vermes, apoiados em muletas e bengalas, ou em cadeiras de rodas e carrinhos de mão.
Cirurgiões, brutos-como-açougueiros, operaram sem anestesia em tendas ao ar livre rodeados por suas sangrentas facas  e serras.   Os pobres esperam por partes em filas com seus genitais enfermos, um pulmão com câncer, um fígado cirrótico.
Eles rastejam em direção as cabines de operação segurando a sua frente as coisas sem nome em garrafas que eles acham que são partes utilizáveis.
Vigaristas sem vergonha que tomam controle da operação e predam em centenas de desavisados.


E aqui está o Sr. Rich Parts. Ele tem 300 anos de idade. Ele ainda está sujeito à morte acidental, e só de pensar nisso ele é lançado em paroxismos de terror idiota. Por dias, ele se esconde em seu reforçado abrigo subterrâneo, a 200 pés de profundidade, contruido em rocha sólida, com alimentos para 50 anos.

Uma viagem de uma cidade para outra requer meses de triagem e verificação planos computadorizados  e rotas alternativas para evitar a possibilidade de um acidente.

Sua covardia idiota não conhece limites.

E lá, ele se senta, olhando como um vaso de Chimu com uma espessa camada roxa suave de tecido cicatricial. Encerrada nele como se ele esivesse numa armadura. Seus movimentos são lentos e hidráulicos. Ele leva 10 minutos para se sentar. Esta camada pelicular fica mais grossa e mais grossa até chegar no osso. Os médicos têm que operar com ferramentas eléctricas. Então aqui nós deixamos Sr. Rich Parts e as suas pitorescas partes de pessoas, um monumento, uma montanha de tecido cicatricial.

Como L. Ron Hubbard, fundador da Cientologia, disse: "O direito mais direito de um homem poderia ser, deveria ser, viver infinitamente pro lixo." Eu escrevi "pro lixo" por "prolixo" e
o deslize é significativo para os meios pelos quais a imortalidade é conseguida na ficção científica, que em breve será um fato científico. Eles são realmente infinitamente podre, o mais errado de errado que um homem pode ser, vampírico ou pior.



Técnicas de transplante melhorando, abre a questão de saber se o próprio ego poderia ser transplantado de um corpo para outro, e a outra questão é saber exatamente onde esta entidade reside. Aqui é o Sr. Hart, um trilionário dedicado à sua imortalidade pessoal.

Onde está essa coisa chamada Mr. Hart?

Precisamente onde, no sistema nervoso humano, é este baba ovo da temerosa morte, cancerígeno... Onde esta coisa temente da morte reside?

A ciência apresenta apenas uma tentativa de resposta: o "eu" parece estar localizado no mesencéfalo no topo da cabeça. 
Ele pensa, "Entãonão poderíamos simplesmente arrancá-lo fora de um jovem saudável, joga-lo no lixo (de onde ele nunca deveria ter saido), e colocar como sucedâneo, mimmmmm?”

Assim, ele começa a procurar um neurocirurgião, um omeleteiro, e ele quer o melhor de todos. Quando se trata de um trabalho rápido e  rasteiro, o velho  Doc Zeit está no topo da lista. Ele pode fazer transplantes no meio da rua.
Mr. Hart encarna o espírito competidor, aquisitivo, com a  mentalidade de sucesso  que formulou capitalismo americano. A extensão lógica desse grotesco espírito é criminal.
"O sucesso é a sua própria justificação. Aquele que for bem-sucedido merece ser bem sucedido; ele está certo".
A operação é um sucesso.
Os medicos  discretamente se afastam. Quando o homem acordar em um novo corpo bonito, ele pode - enlouquecer. Não vale a pena ser uma testemunha. Mr. Hart se levanta e estica luxuosamente em seu novo corpo.
Ele passa as mãos sobre o jovem massa muscular onde sua barriga costumava ser. Tudo o que resta do doador, uma meleca de matéria cinzenta, está em um prato. Mr. Hart coloca as mãos nos quadris e se inclina sobre o meleca"E quão errado você pode estar?"  MORTO
Ele cospe nele e ele cospe feio.
As convulsões finais de um universo baseado em fatores quantitativos, como o dinheiro, bagulho e no tempo, parece estar próximo. O tempo se aproxima quando nenhuma quantidade de dinheiro vai comprar nada e o próprio tempo vai acabar.
Esta é uma parábola de vampirismo enlouquecida. 
Mas todos os projetos vampíricos para a imortalidade estão errados, não só do ponto de vista ético. Eles são em última análise, impraticável.
No "Vapiros do espaço", de Colin Wilson, fala de vampiros  benignosTire um pouco, deixe um pouco. Mas eles sempre tiravam mais, do que eles deixavam pela natureza básica do processo vampírico do consumo imperceptível, mas inexorável.
O vampiro converte qualidade do sangue vivo, vitalidade, juventude, talento em quantidade de alimento e tempo para si mesmo. Ele comete a mais básica traição do espírito, reduzindo todos os sonhos humanos em merda. E esse é o errado mais errada que um homem pode ser.

A imortalidade pessoal em um corpo físico é impossível, uma vez que um corpo físico existe no tempo e tempo é o que termina. Quando alguém diz que quer viver para sempre, ele se esquece de que sempre é uma palavra temporal. 
Todos os projetos tridimensionais de imortalidade, no mínimo, são desaconselháveis, uma vez que sempre mergulha o aspirante mais profundamente no tempo.  O conceito cansativo de imortalidade pessoal está baseado na ilusão de alguma essência imutável preciosa: o velho ganancioso mimmmmm para sempre. Mas, como falariam os budistas, não há nenhum mimmm, nenhum ego imutável.
O que nós pensamos ser o nosso ego é a reação defensiva, assim como os sintomas de uma doença - febre, inchaço, suor. Eles são as reações do corpo a um organismo invasor.
Nosso querido EGO, resultante das ervas daninhas apodrecida da luxúria e do medo e raiva, não tem mais continuidade que um suor de febre.
Não há ego; só um processo mudança tão irreal quanto as cidades dos Mata-Chulé do pé que se dissolvem na chuva.
Um momento de introspecção demonstra que não somos os mesmos que éramos há um ano ou há uma semana. "Seja lá o que se apossou de mim para fazer isso?"
Um passo em direção à imortalidade racional é quebrar o conceito de um separado eu pessoal e, portanto, inexoravelmente mortal, ego.
Isso abre muitas portas.
O seu espírito poderia residir em um série de corpos, e não como alguns parasita hediondo drenando o hospedeiro, mas como um útil visitante.
"Roger the Lodger . . . Não ocupa muito espaço... Mostra um ou dois truques. . . Nunca ultrapa o tempo de boas-vindas."

Tire cinqüenta fotos da mesma pessoa por uma hora. Alguns delas ficarão tão diferentes do sujeito, a ponto dele ser irreconhecível. E algumas delas vão parecer com outra pessoa.
"Olha, ele parece exatamente como Khrushchev com um dente de ouro pulando para fora".


A ilusão de uma identidade separada, inviolável limita suas percepções e limita a você no momento. Você vive em outras pessoas e outras pessoas vivem em você "visitando", podemos chamá-lo -e é claro que é sempre muito mais fácil com Clone de alguém.
Quando eu ouvi pela primeira vez sobre a clonagem, eu pensei: Po, que conceito frutífero. Por quê alguém poderia estar em uma centena de lugares diferentes ao mesmo tempo e experimentar tudo o que os outros clones fazem. Estou espantado com o clamor contra essa coisa boa não só pelos homens do clero, mas também de cientistas, os próprios cientistas cujas pacientes pesquisas trouxeram clonagem ao nosso alcance.

O próprio pensamento de um clone perturba estes senhores. 
Como o gado à beira do extouro, eles batem o casco no chão mugindo apreensivamente. "Abnegação é um fato essencial da vida. O pensamento de um humano não altruísta é aterrorizante. 

"Aterrorizante para quem?"

Fale por si mesmo, você, velho tímido bestial, encolhido eternamente em seu banheiro. Muitos Cientistas  parecem ser ignorantes dos conceitos espirituais mais rudimentares.
Eles tendem a ser suspeitosos, eriçados, o tipo de pessoa paranóica com egos enormes que eles carregam como uma vítima elefantíase com seus testículos dilatados em um carrinho de mão, aterrorizados, sem dúvida, que algum esgueiro estudante ingrato-de-um-clone vai entrar sorrateiramente em seu próprio cérebro e roubar o seu trabalho de gênio. 
Ah, a injustiça disso traz lágrimas aos seus olhos quando ele espia ansiosamente através de seus óculos bifocais.

A clonagem não é a forma frenética do ego. Pelo contrário, a clonagem é o fim de o ego
Pela primeira vez, o espírito do homem será capaz de separar-se da máquina humana, para vê-lo e usá-lo como uma máquina. Ele já não é identificado com a máquina especial "mim". O organismo humano tornou-se um artefato que ele pode usar como um avião, um barco, ou uma cápsula espacial.
O poeta John Giorno se perguntava se talvez um clone de um clone de um clone poderia ser apenas a eliminação progressiva de ruído até branco, como cópias de cópias xerox. Como Conde Korzybski costumava dizer: "Eu não sei, vamos ver."
Mas finalmente, eu postulo: a verdadeira imortalidade só pode ser encontrada no espaço.
A exploração espacial é a única meta vale a pena lutar.
Depois das colinas e bem mais longe. Você vai reconhecer os seus inimigos como aqueles que tentam bloquear seu caminho.
Monopolistas vampíricos iriam mantê-lo dentro do cronograma como seus rebanhos.
"É uma coisa boa que vacas não voam", dizem, com uma risada má.
O mal, o inteligente deus escravo.

O ingênuo, o confuso e o estúpido representam uma ameaça igual devido ao obstrutivo potencial de seus vastos números. Eu fiz um deslize interessante
na minha página de recados. Um recorte de um notícia do jornal "Boulder Camera".  A imagem de uma velha, uma caveira com dentes postiços sorrindo.  Ela está falando pela União das Mulheres da Temperança Cristã

"Nós nos opomos ao ABUSO INFANTIL, INTEMPERANÇA, e IMOR[a]TALIDADE.

O caminho para a imortalidade está no espaço, e o cristianismo está enterrado sob montes de escória de dogma morto, orações chorosas; e orações vazias que devem se opor a imortalidade no espaço como a falsificação sempre teme e odeia a coisa real. 
Islamismo ressurgente. . . cristãos renascidos. . . credos desgastados. . . excesso de bobagem. . . mit 'raus "! 

Imortalidade é futuro prolongado , e o futuro de qualquer artefato encontra-se na direção do aumento da capacidade de flexibilidade para a mudança e, finalmente mutação. 
Imortalidade pode ser vista como um subproduto da função: "brilhar em uso."

A mutação envolve mudanças que são literalmente inimaginável a partir da perspectiva dos futuros mutantes. 
As criaturas de sangue frio, criaturas não sonhantes, que viviam no comparativamente sem peso, no meio aquático, não podiam conceber ar para respirar, ou sonhar, ou experimentar a força da gravidade como um fato básico da vida. Haverá novos medos, como o medo de cair, novos prazeres, e novas necessidades. Há vantagens distintas para se viver em um favorável meio como a água. A mutação não é uma questão de escolhas lógicas. Os mutantes humanos devem dar um passo para o desconhecido, um passo que nenhum ser humano deu antes.

"Nós fomos os primeiros de todos que saltaram para aquele mar silêncioso."

Postar um comentário