O plano de Serra para a Petrobras: privatizar



Brasília, 23 mar (Prensa Latina) A oposição de 61 por cento dos brasileiros à privatização de Petrobras, segundo uma pesquisa de Datafolha, constitui hoje uma resposta a uma proposta do senador opositor José Serra de vender parte da empresa estatal. A sondagem difundida pela Folha de São Paulo revela que a maioria dos cidadãos se opõe a qualquer tentativa de privatizar a Petrobras, a maior companhia pública do país.

De acordo com essa pesquisa, entre os simpatizantes do Partido dos Trabalhadores (PT, no governo), 67 por cento disse não à venda da petroleira, enquanto entre a oposição, 56 por cento refutou também esta proposta.

A divulgação desta pesquisa ocorre após o senador tucano Serra (PSDB), apresentar um projeto de lei, na qual pede a privatização de poços petroleiros na zona de pré-sal, em águas profundas do oceano Atlântico e onde se localiza a maior reserva de petróleo do Brasil.

 O senador José Serra (PSDB-SP) concedeu uma entrevista em 27/02/2015 que apresentou a proposta polêmica para a Petrobras: o fatiamento da companhia, que seria dividida em várias áreas, que ficariam sob o comando de uma holding. Depois disso, alguns ativos seriam vendidos, ou seja, privatizados.

 
“A Petrobras deveria ser dividida em empresas autônomas (e) uma holding. Aí, (em) cada caso, ou você vende, ou você abre o capital. O Banco do Brasil fez isso com alguma coisa na área de seguro. Deu certo. Eu não teria nenhum problema de desfazer, ou conceder, ou associar a Petrobras em áreas diversas, que ela não tem que estar”, disse ele.
 
Segundo o tucano, a empresa deve manter seu foco em produção e exploração, mas defendeu a abertura do setor a empresas privadas, nacionais e internacionais, com a retomada do modelo de concessões. Ele disse ser a favor de “abrir para mais produção, sob controle”, no sistema de concessões.
 
 
Postar um comentário