FHC FUMOU MUITA MACONHA!

PT e militância devem responder
a ataques tucanos


Ex-presidente usou imagem em rede social para caçoar da presidenta Dilma Rouseff, mas teve as mazelas de seu governo lembradas pelos internautas

O senso de humor do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) costuma colocá-lo em situações constrangedoras. Na quinta-feira (26), o tucano resolveu ironizar discurso da presidenta Dilma Rousseff que atribuiu parte da culpa pelas irregularidades na Petrobras à falta de investigações na gestão tucana.  Ele posou com uma cédula de R$ 2 e um cartaz com os dizeres “Foi FHC”, referindo-se à criação do Plano Real, que ocorreu, na verdade, no governo de Itamar Franco. Mas o tiro saiu pela culatra e o tucano mais uma vez virou piada nas redes.
Para o vice-presidente Nacional do PT e coordenador de Mídias Sociais do partido, Alberto Cantalice, quando atacado, o PT e a militância devem responder e relembrar à população os escândalos de corrupção, em nível nacional e regional, que por muitos anos não eram investigados.
“Mesmo com a blindagem da grande mídia em torno de nomes como FHC e outros tucanos, nós estamos conseguindo, juntamente com blogs e mídias alternativas, desnudar esses figurões e relembrar as mazelas que eles foram responsáveis”, defende Cantalice.
Não há como esquecer a tentativa frustrada do governo tucano de sucatear e vender a baixíssimos preços a Petrobras. Foi FHC que, na época, tentou-se até mesmo mudar o nome da empresa para Petrobrax no esforço de torna-la mais atrativa para o mercado internacional e a petrolífera teve um prejuízo estimado em US$ 50 bilhões.
Ao ver a brincadeira do tucano, dezenas de brasileiros também lembraram que foi o governo FHC conhecido por engavetar as investigações de corrupção. Prova é que  entre os três últimos presidentes do Brasil, o tucano foi o que menos combateu a corrupção, segundo pesquisa Vox Populi realizada no final de 2014.
Foi durante dos mandatos de FHC também que então procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, recebeu a fama “engavetador-geral da República”.
Foi FHC também que institucionalizou no Brasil uma onda de privatizações, entre elas, a mineradora Vale do Rio Doce, vendida a preços irrisórios.
Poucos conseguem esquecer ainda do episódio em que o ex-presidente chamou os aposentados de “vagabundos”, quando defendeu mudanças no fator previdenciário, em 1999, ou quando deixou o País diante de um Apagão elétrico em 2001.
Por Flávia Umpierre, da Agência PT de Notícias
Postar um comentário