A SEMENTE QUE LULA PLANTOU FLORESCE NO DESERTO!

UAE wants to build with the BRICS  
EMIRADOS ARABES + BRICS
UMA PARCERIA BILIONARIA
Emb. Al_Usaimi entrega placa ao Presidente Lula
Nações Brics - o agrupamento de rápido crescimento composto pelo Brasil, Rússia, Índia, China e, recentemente adicionada, a África do Sul - são uma força econômica a ser considerada. Goldman Sachs espera que as Brics virem ser responsáveis ​​por cerca de 40 por cento do PIB global em 2050 e tornaram-se quatro dos cinco principais economias.

Elas estão prestes a se tornar a mais importante fonte de crescimento global no futuro, um grupo de analistas acredita. Eles representam mais de um quarto das terras do planeta, mais de 41 por cento de sua população, quase 25 por cento do PIB mundial e quase metade de todas as reservas cambiais estrangeiras e ouro.
Os Emirados Árabes Unidos já tem laços comerciais historicamente fortes com a Índia e a China, mas está a procura de fortalecer as relações econômicas com o restante do bloco dos países do Bric, para benefício mútuo de ambos, dizem os especialistas.
"O potencial para benefício econômico mútuo entre os Brics e os Emirados Árabes Unidos não se perdeu no governo dos Emirados. Ele foi construindo pontes comerciais com os países do Brics nos últimos anos, marcadas por visitas oficiais à China em 2008,  à  Rússia e Brasil em 2009 e  à Índia em 2010 ", disse Rashid Al Jumairi, pesquisador do Conselho de Desenvolvimento Econômico de  Abu Dhabi.
O comércio entre os Emirados Árabes Unidos e os países do Bric cresceu 18 por cento entre 2005-09, de acordo com o Ministério de Comércio Exterior dos EAU. Em 2009, o comércio entre os Emirados Árabes Unidos e os países do Bric alcançou cerca de US $44 bilhões (Dh  $161.5 bilhões), representando cerca de 25 por cento do comércio dos Emirados Árabes Unidos com o mundo.
BRASIL
Visita do Ministro dos Negócios Estrangeiros dos Emirados Árabes Unidos
Com um alto-perfil da missão comercial brasileira, incluindo o ministro do comércio e representantes de 47 empresas, chegou recentemente nos Emirados Árabes Unidos para explorar oportunidades de comércio e investimento. Os setores prioritários que exigem investimentos são alimentação, construção e bebidas, agronegócio,máquinas, infra-estrutura e mercado imobiliário.
A visita concluiu com empresas assinando acordos no valor de 65,3 milhões dólares (Dh  $239.79 milhões). "A expansão do mercado é crucial para o Brasil para manter seu desempenho bom comércioexterior e cada vez mais exige contato permanente com mercados não tradicionais", disse Fernando Pimentel, Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil.
Os Emirados Árabes Unidos foi o destino mais importante para 30 produtos brasileiros, tendo 0,8 por cento de suas exportações no ano passado, disse ele. Comércio no primeiro trimestre entre Brasil e Emirados Árabes Unidos foi inclinado em favor do Brasil. As exportações brasileiras para os Emirados Árabes Unidos chegou a 611 milhões dólares, colocando os Emirados Árabes Unidos como  segundo lugar em destino das exportações  brasileira no mundo árabe depois da Arábia Saudita, que comprou  o valor 701 milhões dólares das mercadorias brasileiras. As principais exportações do Brasil incluía carne bovina, açúcar e frango, minérios, cereais e óleos vegetais.


As exportações brasileiras para os Emirados Árabes Unidos totalizou 2,17 bilhões de dólares e as importações atingiram $ 478,7 milhões de  dólares no ano passado. As suas principais exportações incluíram 483,49 milhões dólares em açúcar de cana e sacarose, 353,66 milhões dólares em cana-de-açúcar em bruto, 300,47 milhões dólares em minério de ferro, de acordo com dados divulgados pelo governo brasileiro. 


Os principais produtos importados incluídas265,78 milhões dólares em querosene combustível de aviação,59,71 milhões dólares em enxofre e 54,34 milhões dólares empropano liquefeito.
Brasil, uma das irmãs do Bric e maior economia da América Latina, faz uma oferta comercial convincente: Ultrapassou a Grã-Bretanhapara se tornar sexta maior economia do mundo no ano passado após um longo caminho de reformas econômicas iniciadas pelo ex-presidente Lula.
O PIB estimado no ano passado foi de US $ 2,5 trilhões, de acordo com o "CIA World Factbook". Quebrou também um recorde nacional quando arrecadou US $ 60 bilhões em investimento estrangeiro direto nos primeiros 11 meses do ano passado.
Com uma população de aproximadamente 205 milhões e uma classe média crescente com a melhoria do poder de compra, o Brasil é um mercado consumidor importante.
Entre acordos recentes entre os EAU e o Brasil, o operador portos, DP World, fez uma parceria com a empresa brasileira Odebrecht para adquirir uma participação na Embraport, o maior terminal portuário privado brasileiro multi-modal na cidade de Santos.
O porto de Santos é o maior porto de contentores do Brasil e o maior da América do Sul, com 90 por cento da sua carga destinada para o mercado local de São Paulo.
Laços comerciais do Brasil com os Emirados Árabes Unidos voltam desde 2004, quando as duas nações assinaram um acordo histórico bilateral de aviação.
Postar um comentário