FRIEDRICH HANDEL SOB REGÊNCIA DA DEMOCRACIA: FORA TEMER!


FORA TEMER!



Em um de “ato-concerto” épico, músicos tocam no vão do Palácio Capanema – sede do antigo Ministério da Cultura (Minc) no Rio de Janeiro. 

Músicos entoaram a Carmina Burana, de Carl Orff, pela saída do presidente golpista interino Michel Temer.

 O momento foi filmado por vários dos presentes, e a Internet rapidamente começou a viralizá-lo, inclusive em meios de comunicação internacionais. 
Momento de Luta! Verdadeira jornada de protestos e ocupações pela cultural no país, com grande repercussão no no exterior.

Cultura reafirma resistência com seis prédios ocupados

Uma onda de ocupações sacode o Brasil. Desde quinta-feira (13) artistas de diversas localidades se mobilizam na ocupação de espaços e aparelhos culturais como forma de resistência.
Se você acha que esse movimento se estabelece apenas contra a fusão do Ministério da Cultura e do Ministério da Educação está enganado: os artistas brasileiros assumem a vanguarda da resistência contra o governo ilegítimo do interino Michel Temer e sua corja de golpistas.
FUNARTE em São Paulo ocupada. Foto: Mídia NINJA
FUNARTE em São Paulo ocupada. Foto: Mídia NINJA
Maiores perseguidos durante os anos da ditadura no país, artistas, produtores culturais e movimentos sociais estão dispostos a ocupar todos os espaços que forem necessários e resistir a esse governo que teve como uma de suas primeiras medidas a extinção do Ministério da Cultura, demonstrando estar disposto a combater o setor cultural, assim como seus antecessores militares durante o golpe de 64.
A movimentação teve início na quarta-feira (12) quando ativistas culturais estenderam faixas em frente à sede do IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em Curitiba, anunciando a ocupação que teria início no dia seguinte. Na sexta-feira (13) vários grupos artísticos se reuniram ao movimento que já reuniu cerca de 3 mil agentes culturais. O recado, no vídeo manifesto abaixo é claro: não reconhecemos a extinção do Ministério da Cultura porque não reconhecemos o governo ilegítimo de Michel Temer.
Ocupação em Curitiba (PR).
Ocupação em Curitiba (PR).
Menos de 48 horas foram necessárias para que o grito dos artistas curitibanos de “ocupar e resistir” ecoasse pelo resto do Brasil. Dia 15 de maio, domingo, foi a vez da resistência se organizar na cidade de Belo Horizonte. Após uma assembleia, artistas e militantes de movimentos sociais decidiram dar início a luta na capital mineira e ocupar a sede da FUNART – Fundação Nacional de Artes, e reforçar a resistência contra o golpe praticado por Michel Temer. Assim como a capital paranaense, a ocupação não tem data para acabar.
Ocupação na FUNARTE em Belo Horizonte (MG). Foto: Mídia NINJA
Ocupação na FUNARTE em Belo Horizonte (MG). Foto: Mídia NINJA
No dia seguinte (16) foi a vez do Rio de Janeiro. Ativistas de mais de 100 coletivos da cidade ocuparam pacificamente o prédio que abriga a sede nacional da Fundação Nacional de Arte (Funarte) e da representação regional do Ministério da Cultura, Palácio Gustavo Capanema, no Centro do Rio, e engrossaram o coro: “Não negociamos com este governo”.
Ocupação no Palácio Gustavo Capanema no Rio de Janeiro (RJ). Foto: Mídia NINJA
Ocupação no Palácio Gustavo Capanema no Rio de Janeiro (RJ). Foto: Mídia NINJA
Ocupação no IPHAN em Fortaleza (CE). Foto: Luiz Alves
Ocupação no IPHAN em Fortaleza (CE). Foto: Luiz Alves
Nas ocupações, atividades artísticas como saraus e shows são revezadas com debates políticos que buscam ouvir as perspectivas de diferentes setores artísticos como teatro, dança, música e cinema, que separados geograficamente, mas unidos no mesmo ideal entoam o mesmo discurso: não nos manifestamos pela volta do MinC, nosso desejo é o afastamento desse governo ilegítimo que o extinguiu.
Na manhã desta terça (17) as ocupações espontâneas continuaram a se multiplicar. Desta vez trabalhadoras e trabalhadores de diferentes linguagens culturais do Ceará ocuparam a sede do IPHAN, em Fortaleza, para pedir a saída dos golpistas do poder.
Seguindo a mesma onda, foi a vez de Salvador, na Bahia, onde fazedores de cultura ocuparam o escritório regional do Ministério da Cultura aos gritos de Fora Temer e prometem não deixar o prédio até a sua saída.
Ocupação na regional MinC em Salvador (BA).
Ocupação na regional MinC em Salvador (BA).
Além de Curitiba, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Fortaleza e Salvador, acaba de ser ocupada, neste momento, o prédio da FUNARTE de São Paulo, capital. O movimento é espontâneo e está apenas começando, mas por enquanto, ele reproduz um sentimento comum entre artistas, produtores, mulheres, negros, LGBTs, movimentos sociais e uma grande parcela da sociedade que tem tomado as ruas: FORA TEMER!
FUNARTE em São Paulo ocupada. Foto: Mídia NINJA
FUNARTE em São Paulo ocupada. Foto: Mídia NINJA
FUNARTE em São Paulo ocupada. Foto: Mídia NINJA
FUNARTE em São Paulo ocupada. Foto: Mídia NINJA
FUNARTE em São Paulo ocupada. Foto: Mídia NINJA
Postar um comentário