MACBETH; É O MORO FARISEU, TRAIDOR E GOLPISTA NOS BRAÇOS DE VERDI

MORO NÃO VAI GOSTAR!
Giuseppe Verdi convida o povo brasileiro a encenar a Opera da Cidadania

A Obra do escultor ítalo-brasileiro, Amadeo Zani, é um monumento erigido em homenagem a Giuseppe Verdi, que ocupa o Vale do Anhangabaú, desde 1921. E certamente, nunca sonharam, nem o escultor e nem o Compositor que, quase um seculo depois, essa estatua acomodaria o fariseu, traidor e também Golpista, Juiz Sergio Moro. Mas, a ironia do destino, não poderia ter reservado melhor lugar para o Juiz assistir ao desfile da Democracia, tingida do Vermelho da luta e de todas as cores que arco iris do povo brasileiro permite invocar na defesa de sua Constituição Cidadã. 
Giuseppe Verdi foi um dos compositores mais influentes do século XIX. Apesar de sua obra prima ser considerada a famosa Aída, Verdi conheceu o sucesso inicial quando trouxe para os palcos a peça teatral Macbeth, de William Shakespeare.

Nesse contexto, o Juiz Fariseu Sergio Moro não poderia estar melhor acomodado para acompanhar de perto a grande manifestação de cidadania promovida no Vale do Anhangabaú, contra o Golpe para o qual tanto tem colaborado. Tal qual o militar ganancioso de Shakespeare, Moro Fariseu tem usado impropriamente a toga negra, sua espada, e seu cargo de general da leis, tentando golpear Lula, sonhando com o trono de Dilma.
O Fim de Macbeth é trágico. O Golpista não acredita no que vê, quando a impossível previsão das Bruxas espantosamente se consuma. E ele perplexo, assiste a invasão de um bosque em seu castelo e sua própria morte promovida por um não nascido de um ventre feminino.
Moro não sabe, mas a Primavera da Democracia esta por invadir a sua fortaleza judicial e Lula, já não é mais somente o menino de Caetés, o Filho da Sra. Eurídice Ferreira de Melo, a Dona Lindu. Ele é o FILHO DO BRASIL!




Macbeth e seu amigo Banquo eram generais do exército da Escócia. Enquanto cavalgavam, ouviram vozes. Tratava-se de três bruxas que profetizaram que Macbeth ganharia o cargo General de Cawdor – o de mais alta confiança do Rei, e posteriormente, seria coroado Rei da Escócia.

Somente poderia tornar-se rei os filhos ou, na ausência destes, o general de Cawdor. Tendo isso em vista, Macbeth sabia que para essa profecia tornar-se realidade, seria necessário atravessar a hierarquia de algumas pessoas, mas principalmente do filho do Rei, o jovem Malcom. Além disso, seu amigo Banquo, que já o avisara que essa ambição traria a ele muitas consequências, era a principal testemunha profecia das bruxas e desconfiaria de qualquer atitude de Macbeth.
Após vencerem uma batalha contra a Noruega, os generais foram procurados por mensageiros de Duncan, naquele momento, Rei da Escócia, que informam a eles que o Rei quer parabenizar Macbeth pela vitória contra a Noruega e que irá torná-lo general de Cawdor.
Com a primeira parte da profecia já realizada, Macbeth acredita mais ainda nas bruxas de que logo seria coroado Rei. Resolve então contar os ocorridos para sua esposa, que exercia forte influência sobre ele e decidem cometer uma série de assassinatos, começando pelo amigo Banquo. 
A sua esposa então, começa a tramar a morte do Rei Duncan para logo tornar-se rainha. Organiza uma festa em sua casa com o pretexto de que todos assistissem à morte de um traidor do Rei. A festa acontece e o homem é enforcado. Quando todos os hóspedes vão dormir, a esposa de Macbeth dá orientações a seu esposo de como tudo deveria ser feito. Começa então servindo vinho aos camareiros que fazem a guarda do Rei, e isso os faz dormir mais profundamente. A caminho do quarto onde o Rei dormia, Macbeth começa a ter visões de um punhal, o que estranha. Ele então entra no quarto e mata o Rei com o punhal. Logo em seguida, Macbeth começa a ter outras visões, a ouvir vozes, mas logo acha que tudo aquilo era só imaginação. Sua esposa coloca o punhal usado nas mãos de um dos camareiros com o objetivo de incriminá-los. Ao amanhecer, os mensageiros do Rei chegam para acordá-lo e deparam-se com o Rei morto. Aos gritos, todos acordam e Macbeth, encenando desespero, mata os camareiros do Rei na frente de todos, dizendo que aqueles eram os perigosos assassinos.
O filho do Rei, Malcom e seu companheiro, o nobre Macduff, fogem para a Inglaterra, com medo de serem incriminados pelo assassinato.
Macbeth que já era general de Cawdor, e na ausência de filhos do Rei, é então coroado Rei da Escócia. Porém, já na festa de seu reinado, o fantasma do Rei Duncan e de Banquo aparecem para ele. Sua esposa, agora chamada de Lady Macbeth, que antes poderia ser condiderada uma mulher tímida, recatada e de bem, após revelar sua ganância, egoísmo e poder de persuadir o esposo, também passa a ter delírios e crises de sonambulismo. Em uma dessas crises, Lady Macbeth, inconscientemente revela ao médico e à sua camareira que a observavam, que tem culpa nos assassinatos. Faz repetidamente o gesto de lavar as imaginárias manchas de sangue das mãos e isso também a denuncia. Posteriormente, Lady Macbeth comete suicídio.
Macbeth, ignora a morte da esposa, argumentando que ela teria que morrer "em uma melhor hora." Cansado de ter visões, Macbeth vai consultar novamente as bruxas. Numa segunda profecia, as bruxas dizem que ele só seria derrotado se um “bosque chegasse ao castelo”, e que ele não precisaria preocupar-se, pois “nenhum homem nascido de mulher” poderia matá-lo, porém avisa-o para tomar cuidado com Macduff, o nobre que fugiu com Malcom, filho do Rei.
Ambas as profecias pareciam impossíveis: que um bosque chegasse ao castelo e que existisse de um homem que não houvesse nascido de mulher, assim, Macbeth sentia-se seguro mas, por precaução , manda matar a esposa e todos os filhos de Macduff. 
Mensageiros procuram Macduff na Inglaterra, e quando contam a ele a tragédia com sua família, Macduff decide voltar para a Escócia, mas para guerrear contra Macbeth.
Com a ajuda de 10.000 homens do exército inglês, aproximam-se então do castelo. Os soldados ingleses, para se camuflarem, seguravam troncos e ramos de árvores e isso, sendo visto de longe, parecia um bosque ou uma montanha em movimento, cumprindo-se então a primeira parte da segunda profecia das bruxas.
Começa então a guerra entre os exércitos e o duelo entre Macbeth e Macduff. Durante a luta, Macbeth diz ao oponente que está seguro porque nenhum homem nascido de mulher poderia matá-lo, mas Macduff revela a ele que não nasceu, e sim, foi tirado prematuramente do ventre da mãe por cesariana. Macduff então mata Macbeth e tira-lhe a cabeça. Assim, em grande festa, Malcom, filho do Rei Duncan é então coroado e consagrado Rei da Escócia.
Postar um comentário