APOIO E SOLIDARIEDADE DE ESQUIVEL A LULA, A DILMA E A DEMOCRACIA BRASILEIRA

O lutador pelos direitos humanos se faz presente no BrasilDepois de orientar o Lula a pedir asilo politico (20/04), o Nobel da Paz, hoje (28/04) em Brasilia, diz que impeachment de Dilma é golpe de Estado

Pede ao Senado Federal para repudiar o Golpe!


Prêmio Nobel da Paz orienta Lula a pedir Asilo Político

Em carta orienta Lula ir em uma embaixada e pedir asilo Politico"O  Golpe que está em curso!" O ganhado do Prêmio Nobel da Paz, Adolfo Pérez, comparou o Golpe que está em curso no Brasil   com a do Paraguai de 2012, que culminou com o impeachment do ex-presidente Fernando Lugo.

“São golpes brando”, no Brasil trataria de um Golpe judicial e Midiático e nós, na América Latina, já temos experiência suficiente para saber que as forças armadas não são necessárias para derrubar um governo”. O impeachment de Lugo aconteceu em 24 horas e considerou-se ele constitucional. A Comissão Interamericana de Direitos Humanos questionou o processo e também o Mercosul se posicionou contra o golpe e interrompeu o Paraguai do bloco.

No caso brasileiro se trataria de um golpe do Judiciário que está intervindo sobre o Executivo de maneira excessiva e com o suporte dos meios de comunicação.

Questionado sobre os indícios de corrupção que envolvem o ex-presidente Lula, Esquivel alegou que “evidentemente, midiático e criticou o juiz Sergio Moro  ao divulgar o grampo telefônico, alegando que o ato dele abre percurso para golpe. 

“Convulsionar a sociedade brasileira em cima de inverdades, técnicas escusas e práticas criticáveis viola princípios e garantias constitucionais e os direitos dos cidadãos. E abrem precedentes gravíssimos. Os golpes iniciam assim. “Ele pôs em perigo a segurança e harmonia social no Brasil”.

Nesta semana, ele publicou uma carta de apoio a Lula e Dilma em que alega que a questão brasileira atual não é de luta contra a corrupção, mas de disputa que tentam derrubar a esquerda.

Segundo Esquivel, sua teoria poderia ser comprovada pelo envolvimento de quase todos os políticos nos escândalos de corrupção. Esses políticos não estariam sendo investigados pelo poder Judiciário.




Esquivel recebeu o prêmio Nobel da Paz em 1980 por sua luta pacífica pela democracia e pelos direitos humanos durante as ditaduras militares da América Latina.



APOIO E SOLIDARIEDADE  DE ESQUIVEL

A presidenta Dilma Rousseff recebeu hoje (28) o apoio de Adolfo Pérez Esquivel, que veio prestar “solidariedade e apoio para que não se interrompa o processo constitucional democrático. Adolfo Pérez salientou que o golpe do Judiciário com o suporte dos meios de comunicação, o conhecido "golpe brando" é um dano não apenas para o povo brasileiro como para toda a América Latina.

“Seria um retrocesso muito grave para o continente. Sou um sobrevivente da época da ditadura [militar na Argentina]. Nos custou muito fortalecer as instituições democráticas. Aqui se está atacando as instituições democráticas”, afirmou Esquivel.

Segundo o nobel da paz, Adolfo Pérez, um eventual governo de Michel Temer poderia ser questionado no Mercosul e na União de Nações Sul-Americanas (Unasul), que poderiam não reconhecer uma administração que surja de um “golpe de estado.”

“Está muito claro que o que se está preparando aqui é um golpe de estado encoberto, o que nós chamamos de um golpe brando”, afirmou Esquivel, após o encontro no Palácio do Planalto.

Ele comparou o processo de impeachment de Dilma ao que ocorreu em Honduras e no Paraguai com as destituições dos presidentes Manuel Zelaya, em 2009, e Fernando Lugo, em 2012. 

“Agora, a mesma metodologia, que não necessita das Forças Armadas, está sendo utilizada aqui no Brasil. A metodologia é a mesma, não há variação com o golpe de estado nesses países. Países que querem mudar as coisas com políticas sociais são alvo dessa política de tratar de interromper o processo democrático.”


Postar um comentário