PEDALADA FISCAL EM SÃO PAULO! PEDALA GERALDO, PEDALA!


A PEDALA FISCAL DO GERALDO, PROTEGIDA PELO SILENCIO DA MÍDIA,  INCIDE DIRETAMENTE NO BOLSO DO TRABALHADOR QUE É EXATAMENTE QUEM A TUCANALHA GOSTA DE VER PAGAR O PATO

Quem se programou para utilizar os créditos da Nota Fiscal Paulista para pagar o IPVA no começo do ano ou receber o dinheiro ainda em 2015 é melhor refazer os planos, pois a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo fez modificações no programa com o intuito de segurar os gastos e adiar esses desembolsos para 2016. Essa é uma espécie de pedalada fiscal paulista – guardar o dinheiro de despesas em caixa para protelar pagamentos e fechar as contas de um ano com saldo maior, o chamado superávit – publicada no Diário Oficial.
No primeiro semestre deste ano houve queda real de 4% na arrecadação de Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias (ICMS), principal fonte de arrecadação dos estados brasileiros. A arrecadação anual do tributo no âmbito da Fazenda estadual é de R$ 140 bilhões.



Alckmin “pedala” Nota Fiscal Paulista, tira crédito de contribuintes, mas “não vem ao caso”

Curioso o escândalo seletivo praticado por nossa mídia.

Pouco destaque teve o fato de o Governador Geraldo Alkmin ter “pedalado” a devolução de créditos do programa Nota Fiscal Paulista.

No início do mês, baixou normas para que que a devolução dos valores do programa, que serviam para pagar impostos estaduais seja adiada em seis meses, caindo apenas no exercício de 2016.

Assim mesmo, apenas dois terços do que receberiam antes: o terço restante será objeto de um “sorteio”, para o qual os  portadores de créditos terão de se inscrever.

Tudo, claro, para garantir o “superavit fiscal” que mostra a inexcedível capacidade tucana de bem gerir as finanças públicas.

Só que, neste caso, não há manobra contábil, simplesmente, há efeitos e dos dolorosos.

Hospitais de câncer e entidades sem fins lucrativos arrecadam recursos há anos por meio de doação de notas pelos contribuintes e em 2014 entidades receberam R$ 10,8 milhões, ficarão a ver navios este ano,  publica hoje o IG.

Mas Alckmin sabe que isso, como a falta de água crônica a que condenou os paulistanos, não será cobrado dele.

Nossa mídia inquisitorial é assim: a um lado, vende indulgências, a outro manda à fogueira.

Em matéria de pedaladas, em São Paulo, só há culpa nas ciclovias do Haddad.


Blog do Tijolaço
Postar um comentário