LUTA CONTRA A DITADURA NO EGITO

Greve De Fome No Egito

Prisoners go on hunger strike in Egypt

Cerca de 17 mil presos egípcios estão em greve de fome contra as condições de detenção, a qual, para mais, consideram ilegal.
A denúncia foi feita sábado pela Irmandade Muçulmana (IM), organização a que pertence a maioria dos encarcerados e que tem sido perseguida pelo governo liderado pelo Marechal al-Sissi, líder de um golpe apoiado pelos EUA que, a 3 de Julho do ano passado, afastou o presidente eleito democraticamente pela maioria do povo egipcio, Mohamed Mursi, alvo de acusações de incitação à violência e alta traição.
Já depois do início da greve de fome, a Justiça egípcia ilegalizou um dos principais movimentos da revolta contra a ditadura liderada por Hosni Mubarak, deposto em 2011. De acordo com informações divulgadas pela AFP, o Movimento 6 de Abril é acusado de «difamação» e «conluio» com estruturas aliadas norteamericanas. O líder da organização, Ahmed Maher, foi condenado, em Dezembro de 2013, a três anos de reclusão por desrespeito à legislação que criminaliza os protestos de massas no país, aprovada em resposta à contestação desencadeada contra al-Sissi.
No mesmo sentido, prosseguem as condenações dos seguidores da IM. Segunda-feira, 28, o tribunal de Minia condenou à morte cerca de 700, noticiou o NY Times.
Postar um comentário