A TRÊS PRIORIDADES DO PT EM 2013: REGULAÇÃO DA MIDIA, REFORMA POLITICA E DESMASCARAR A FARSA DO MENSALÃO


A regulamentação da Imprensa não é censura e nem ameaça à liberdade de imprensa.


Importante, de extraordinária relevância a entrevista em que o presidente nacional do PT, deputado Rui Falcão (SP) detalhou a correspondentes estrangeiros no Brasil as prioridades da luta política do nosso partido para o ano que vem, dentre estas, a questão da regulamentação da mídia.

O partido faz muito bem em eleger esta regulação como uma das principais metas a serem conquistadas em 2013, ao lado da reforma política tão imprescindível ao país e da luta para desconstituir a farsa do mensalão.
É bom que o Rui tenha falado a correspondentes estrangeiros, porque sabemos que a mídia nacional fará de tudo para ignorar a questão da regulamentação. À exceção dos momentos em que virá com o noticiário enviezado de sempre, para dizer que regulamentação é censura e ameaça à liberdade de imprensa.

À luta pela regulação, reforma política e fim da farsa do mensalão

O PT não tem e não pode ter nenhuma ilusão de que a mídia mudará e será diferente agora ou em 2013 quando ela tratar do assunto. Vamos à batalha, então.

O partido vai se posicionar, defender, tomar iniciativas, ocupar todas as tribunas que lhe forem possíveis, manter o assunto em evidência e priorizá-lo, mas como bem destacou o presidente nacional do PT aos correspondentes estrangeiros "quem pode regulamentar os meios de comunicação não é o partido, é o Congresso."

"Esperamos que o governo envie um projeto de marco regulatório no país" completou Rui. Ele lembrou ser fundamental a regulamentação dos artigos da Constituição que tratam da programação (mídia eletrônica) e da propriedade das empresas no setor de comunicação.
"Não pensamos em expropriar ninguém"
"Naturalmente há que se ter um tempo para uma transição. Nós não pensamos em expropriar ninguém", tranquilizou o dirigente petista."Acho incompatível quem concede se beneficiar da concessão", considerou Rui, ao responder questionamento dos correspondentes sobre o fato de no Brasil um grande número de parlamentares e suas famílias terem concessão de rádio e TV (o Congresso homologa as concessões encaminhadas pelo Ministério das Comunicações).

Rui insistiu que a regulamentação defendida pelo partido não tem nada a ver com censura, como a grande e velha mídia costuma e vai querer continuar confundindo. "Não é censura, nada a ver. É ampliar a liberdade de expressão, não restringi-la", concluiu.

Já que falo dessa entrevista do presidente nacional do partido, convido vocês a lerem, também, o artigo que ele publicou na Folha de S.Paulo no fim de semana (sábado) com o título O PT cresce e consolida seu projeto nacional.
O BALANÇO DO SEGUNDO TURNO
As comemorações da vitória do PT, neste segundo turno, a edição cinco mil do informativo PT na Câmara e a visita do prefeito eleito de São Paulo, Fernando Haddad à presidenta Dilma Rousseff foram temas que marcaram o PT nesta semana.
O ministro da educação, Aloízio Mercadante, disse que a vitória do PT na capital paulista foi uma vitória do projeto de nação do PT. Já o líder petista na Câmara, Jilmar Tatto, destacou que agora é hora de pensar no futuro e começar a projetar a reeleição da presidenta Dilma.

O secretario nacional de comunicação do PT, deputado André Vargas, ressaltou a importância do Boletim como instrumento de informação para militantes e para formar opinião junto a imprensa nacional.

Nesta edição do TVPT vários parlamentares destacaram a volta do recesso e as pautas que deverão ser debatidas nas próximas semanas. Entre os assuntos em discussão está o Orçamento da União para 2013 que prevê um aumento de 8,9% nos investimentos do governo. A informação foi da ministra do planejamento, Miriam Belchior, que apresentou, em audiência pública, os parâmetros que vão nortear a formação do orçamento.
Hosa Freitas e Fabrícia Neves - Portal do PT
Postar um comentário