LUIZ GONZAGA - O GONZAGÃO - O REI DO BAIÃO, RECEBE O RECONHECIMENTO DO BRASIL NO SEU CENTENÁRIO


Luiz Gonzaga do Nascimento - (Exu, 13 de dezembro de 1912 — Recife, 2 de agosto de 1989)
Um compositor popular brasileiro

O Rei do Baião
Foi uma das mais completas, importantes e inventivas figuras da música popular brasileira. Cantando acompanhado de sua sanfona, zabumba e triângulo, levou a alegria das festas juninas e dos forrós pé-de-serra, bem como a pobreza, as tristezas e as injustiças de sua árida terra, o sertão nordestino, para o resto do país, numa época em que a maioria das pessoas desconhecia o baião, o xote e o xaxado. Admirado por grandes músicos, como Dorival Caymmi, Gilberto Gil, Raul Seixas, Caetano Veloso, entre outros, o genial instrumentista e sofisticado inventor de melodia e harmonias,[3] ganhou notoriedade com as antológicas canções "Baião" (1946), "Asa Branca" (1947), "Siridó" (1948), "Juazeiro" (1948), "Qui Nem Jiló" (1949) e "Baião de Dois" (1950).

Cerimônia da Ordem do Mérito Cultural no Palácio do Planalto
Intelectuais, artistas e instituições foram homenageados hoje (5) com medalhas da Ordem do Mérito Cultural (OMC), no Palácio do Planalto. O principal homenageado foi o compositor popular e instrumentista Luiz Gonzaga, o ‘rei do baião’, que completaria neste ano 100 anos de idade.
A presidenta Dilma Rousseff e a ministra da Cultura, Marta Suplicy, entregaram as insígnias da 18ª edição da OMC aos 41 premiados com a maior condecoração da cultura brasileira. O presidente do Senado, José Sarney, e o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, participaram da cerimônia.
A presidenta lembrou que “alguns dos agraciados não estão mais no nosso convívio, mas deixaram o legado que nos marca para sempre” E completou: “a cultura tem a característica de ser atemporal ao mesmo tempo em que reflete o tempo histórico mais do que qualquer outra manifestação da atividade humana”.
Entre os agraciados na edição 2012 do maior prêmio da cultura nacional estão artistas conhecidos como Elba Ramalho, Alceu Valença, Fafá de Belém e Regina Casé, o apresentador Silvio Santos e o autor de novelas Aguinaldo Silva. A apresentadora Hebe Camargo e o escritor Jorge Amado foram premiados in memoriam.
A dificuldade de selecionar nomes em um país com tantos talentos é grande. Creio que contemplamos alguns que já são consagrados pela população e outros notáveis pela atuação em seus segmentos”, destacou a ministra Marta Suplicy.
À noite, a presidenta ofereceu um jantar no Palácio da Alvorada (residência oficial) aos premiados.
Relação dos agraciados com a OMC 2012:
Classe Grã-Cruz – José Sarney; Jorge Amado (in memoriam); Abelardo da Hora; Mazzaropi (in memoriam); Dener Pamplona de Abreu (in memoriam); Hebe Camargo (in memoriam); Herivelto Martins (in memoriam); D. Ifigênia ( in memoriam); Mário Schenberg (in memoriam); Orlando Orfei; Paulo Goulart; Plínio Marcos (in memoriam); e Autran Dourado (in memoriam). Classe Comendador – Aguinaldo Silva; Alceu Valença; Almir Suruí; Carlos Alberto Cerqueira Lemos; Elba Ramalho; Fafá de Belém; Ismail Xavier; Marieta Severo; Milton Guran; Raquel Trindade; Rose Marie Muraro e Silvio Santos. Classe Cavaleiro – Anna Muylaert; Breno Silveira; Cleodes Maria Piazza Julio Ribeiro; Felipe Schaedler; os Irmãos Campana; Isay Weinfeld; Martha Medeiros; Miguel Chikaoka e Regina Casé. Sem Grau de Classe – Bloco Afro Olodum; Museu de Valores do Banco Central do Brasil; Edisca; Fundarte; Museu Histórico Nacional; Movimento Gay de Minas e Orquestra Popular da Bomba do Hemetério.
Texto: Lúcia Pinheiro (Ascom/MinC)
Foto: Bruno Spada
Postar um comentário