#SERRAROJAS ESTÁ NÚ! #SERRAROJAS ESTÁ NÚ!

El Rey esta Nu! El Rey esta nu!
Era uma vez um Rei tão vaidoso de sua pessoa que só pensava nele e não cuidava de seu Povo.
Certo dia procurou dois famosos tecelões do reino e encomendou-lhes uma Roupa. Exigiu algo especial para o desfile anual.
Os homens amendrotados, receosos de não conseguir cumprir a tarefa, exigiram alta soma em dinheiro para executar o trabalho. Tinham esperança de que o Rei não aceitasse o valor disparatado da pedida. Contudo, o Monarca aprovou a pedida e sem regatear pagou-lhes imediatamente a metade da fortuna solicitada.
O tempo passou e os tecelões não conseguiam criar uma roupa que lhes parecesse digna da vontade real. No entanto, não podiam colocar suas cabeças em risco confessando o fracasso e porisso, quando os ministros do Rei vieram saber do andamento dos trabalhos, eles inventaram uma estória absurda.
Disseram que teciam a Roupa do Rei com finos fios mágicos cuja magnífica beleza somente era visível aos homens inteligentes. Os espertos tecelões inventaram as explicações fingindo bordar alguma coisa. Então, ergueram as mãos vazias a frente dos olhos dos Ministros perguntando o que achavam da Roupa do Rei.
Os auxiliares reais se entreolharam e, como cada um imaginava o outro enxergando a vestimenta, decidiu não acusar-se Tolo por não conseguir mirar o pano. Afinal, somente os mais inteligentes viam e negar sua existência seria confessar a burrice. Dessa forma, cada ministro disse ao outro estar diante da mais bela vestimenta real que já testemunhara na vida.
Assim se passaram os meses; os tecelões fingindo tear algo, os Ministros fingido impressionados com os cortes apresentados pelas mãos completamente vazias dos profissionais, o Povo informado sobre as propriedades especiais do tecido da Roupa do Rei e o próprio esperando ansioso para saber se seria capaz de ver o traje ou não.
Quando chegou o grande dia os costureiros apareceram cedo ao Palácio. Em frente ao Rei, eles abriram a caixa e dela tiraram absolutamente nada. Ergueram as mãos como se segurassem os panos bem bordados e costurados questionando se a excelência aprovara a Roupa.
O Rei observando que os Ministros, os soldados, os empregados e toda corte enxergava a vestimenta
Não podia confessar-se o Único Idiota do Reino e por isso, confirmou o esplendor da roupa que admirava, pelo que foi aplaudido pelos súditos.
Quando o Rei deixou o palácio seguido por um imenso Cortejo ele estava Pelado. No entanto, o povo, informado das magia que constituía o pano , fazia questão que o Soberano ouvisse os elogios feitos a sua elegância. Ninguém queria denunciar-se Burro. E foi nesse exato instante que um garotinho desgarrou-se da segurança de sua e pos-se a seguir ao passeata gritando:
- El Rey esta Nu! El Rey esta nu!
A CAGADA FOI GERAL A FARSA DO ZÉ ROJAS FOI MONTADA NA HORA
Ninguem me tira da Cabeça que essa estoria foi de improviso. A Campanha estando perdida vale a Máxima: Perdido por um... Tudo indica que algum Jênio da Campanha do Zé teve a grande idéia de montar a farsa da Agressão ao saber que haviam captado imagens de algo atinigindo a Careca do Candidato. (O Vice, Indio Merendeiro, é qualificado para ter esse tipo de idéia. Se não foi ele, foi alguem ligado a ele...) Esse assessor, Debil Mental, ligou para o #SerraRojas, outra anta de pai e mãe, que aceitou ser a Estrela Principal desse circo de lona furadissima. 

Entretanto, somente mais tarde, na Ilha de Edição, tiveram a certeza de não haver possibilidade de tranformar a Bolinha de Papel numa Bobina pesada e contundente. Tambem não podiam correr o risco de celulares independentes apresentarem a Bolinha de Papel verdadeira, caso manipulassem a imagem naquele ponto. Então, a Globo  resolveu empurrar a figura do Zé Rojas com as mãos na cabeça e vaticinou que aquela era a prova cabal da agressão. Não contava que o SBT tomasse outro caminho. O OVINI. A Tv do Silvio, simplesmente transformou a Bolinha de papel num Objeto Voador Não Identificado esperando o proximo capitulo. Foi nessa batida que decidiu-se pelo segundo evento, conforme explicaria um renomado especialista versado em coisas envolvendo desde Bolinha de papel até confetes e Serpentinas. E foi dessa forma que se deu essa Puta Cagada Homerica na Campanha do Zé Quero ser Presidente de qualquer Jeito.

A BIZARRA SEQUENCIA DE UM IMPROVISO MALFEITO
A Coisa foi tão malfeita que depois de receber o chamado avisando sobre as imagens o Zé  começou, discretamente, passar do dedo na cabeça.
Depois ele pensa: Pô! Onde será que bateu essa coisa que eles tem gravado lá? De repente tô passando o Dedo aqui e foi no outro lado. Movido por essa duvida #SerraRojas resolve cobrir todas as possibilidades.
Pareceu mesmo que a coisa estava dominada, mas o Palhaço não queria correr o risco de fazer esse circo todo e a imagem mostrar o objeto atingindo outro local de sua cabeça que não aquele coberto por sua dor. Dessa forma, nosso ator assegura cobertura total da area de pouso para garantir que a aterrisagem do evento Bolinha em sua careca fosse mostrada de acordo com a reação obvia de se levar a mão a um ferimento. 
Essa atuação possibilitaria aos "Amigos" selecionarem fotos devidamente coerentes entre a queda do objeto e sua proteção manual. Portanto, na concepção dele, as materias carregadas de emoção e desprezo pelos violentos vermelhos estavam prontas e era só espalhar pelo mundo.
Contudo, esses malditos internautas, como sempre, aliás, começaram questionar  a falta de imagens do objeto Bobina arrebentando a careca do Zé. E lá veio o Médico e sua mão boba apontando para o PSICOPARIETAL... Como fez questão de repetir para a Patuleia.
Como o Homem de Branco com sua fala dificil pareceu não ter surtido o efeito esperado, lançaram mão do video estilo ET.
É aquela imagem que em geral utilizam para comprovar a existencia de ETs. São sempre desfocadas e disformes.
Olha o Durex aí Gente! Bem no Ccuruco!
 Agora existia a Imagem. Uma prova irretocavel da agressão. Mas, a Mulher de Cesar não pode apenas ser Séria, ela tem de parecer Séria... Nesse momento, sairam de cena o Wilham e a Mulher dele e entrou o especialista: Ele veio com sua mão Boba demonstrando como EVENTO FITA quase matou o Zé.
 
Então esse é o Samba do Crioulo Doido em que o Zé se meteu. Nós devemos aguardar pacientes que eles cheguem a um acordo sobre o lugar que a Coisa pegou.... Até lá Dilma já foi eleita e o Brasil vai seguir mudando.
Bendita Pseudo Fita Durex!
Colaborou com o Blog da ZN: Douglas Badi
 Professor desmoraliza fita adesiva do JN

O Conversa Afiada republica e-mail que recebeu de Stanley Burburinho, o reparador de iniquidades, quadro a quadro:
José Antonio Meira da Rocha. Professor de Jornalismo Gráfico da Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Educação Superior Norte-RS (UFSM/CESNORS), campus de Frederico Westphalen, Rio Grande do Sul, Brasil.
Toda a produção jornalística pode ser digitalizada. Tudo o que é publicado está à mercê de chatos que salvam, gravam, colecionam, digitalizam com plaquinhas de 120 reais. Como eu, que gosto de gravar TV na minha Pixelview PlayTV Pro.
Por isso, hoje, é inconcebível que a grande imprensa, sofrendo há muito com as mudanças provocadas pela digitalização, tente enganar seu digitalizado público com armações grotescas como esta aprontada pelo Jornal Nacional de 2010-10-22, com ajuda da Folha.com e do repórter Ítalo Nogueira.
Será que a velha mídia não se dá conta que qualquer pessoa pode gravar TV e passar quadro-a-quadro? E que, fazendo isto, a pessoa pode ver que não há nenhum rolo de fita crepe sendo atirado contra o candidato José Serra? Que o detalhe salientado em zoom numa extensa matéria de 7 minutos não passava de um artifact de compressão de vídeo sobreposto à cabeça de alguém ao fundo? Que não se vê no vídeo quadro-a-quadro nenhum objeto indo ou vindo à cabeça do candidato?
E a Globo ainda vai procurar a opinião de um “especialista” de reputação duvidosa…
Tudo pode ser digitalizado, menos a credibilidade de um veículo jornalístico. E este único ativo que sobra à velha mídia, ela joga fora…
Veja a sequência no Conversa Afiada e tente encontrar o rolo de fita voando em direção à cabeça do candidato.

Farsa em 6 Partes:
Vídeo comprova que Globo e Serra mentiram
Um vídeo postado nesta sexta-feira (22) no YouTube comprova que o Jornal Nacional, da TV Globo, manipulou imagens, na noite de quinta-feira, para “denunciar” um atentado — que não houve — ao candidato do PDSB à Presidência, José Serra. De autoria de Marcelo Zelic, Farsa em 6 Partes — #serrarojas & globomente tem 7 minutos e revela didaticamente como a Globo fraudou a matéria sobre o não-atentado — que teve trechos exibidos até na propaganda eleitoral tucana.

Portal Vermelho Brasil
Por André Cintra

Segundo o Jornal Nacional, Serra teria sido atingido por um rolo de fita crepe na tarde de quarta-feira, durante passeata no calçadão de Campo Grande (RJ). Mas a imagem que teria revelado o suposto choque do rolo na cabeça do tucano foi adulterada, conforme demonstra, didaticamente, o vídeo de Zelic.
“Através deste vídeo e somente com as informações editadas pela Globo, SBT e Folha de SP através do UOL, é possível ver de forma clara a manipulação realizada com intuito comprobatório. Será um serviço à nação que o jornalista publique a íntegra sem edição ou corte de seu registro, para que os brasileiros e brasileiras saibam a verdade”, escreveu Marcelo Zelic, que também repudiou Serra: “Não é assim que um político conquistará a Presidência da República. Chega de mentira.”
Na quinta-feira, o blog do deputado federal Brizola Neto (PDT-RJ) já havia registrado que a Globo estava envolvida na armação de Campo Grande. Ao chegar ao Hospital Samaritano, no Rio — após ser atingido por uma bolinha de papel e iniciar uma patética encenação —, Serra cobrou a presença da emissora da família Marinho. Conforme o relato de Brizola Neto, o tucano viu que não havia veículo nenhum da grande mídia à porta do hospital para sustentar o embuste.
Irritado, o candidato do PSDB “voltou e um telefonema foi disparado para a TV Globo, exigindo a presença de um repórter e cinegrafista. Às pressas, foi mandado o repórter Helder Duarte, que, como pode ser visto no vídeo postado no Jornal da Globo, segurava o único microfone na entrevista onde Serra fala de suas ‘convicções democráticas’”. Para azar da armação, o médico Jacob Kligerman — que lhe fez até ressonância magnética — foi a público para informar que não encontrou lesão alguma

Bendito 2º. turno.
Desnudou #Serrojas,  #globomente e a Bláblárina
O caráter do #Serrojas a olho nu (do navegante Marcus)
O #Serrojas tinha razão: bendito 2º. turno.
Se a Dilma tivesse vencido no 1º. turno, os resultados teriam sido:
- O Lula sozinho ganhou a eleição;
- A Dilma vai comer pela mão do PT;
- A Bláblárina é um jenio;
- O #Serrojas é o que sempre foi: um perdedor.
- A #globomente e o PiG (*) tentam, tentam, mas não chegam lá.
Quando a Dilma ganhar no 2º. turno, o resultado será:
- O Lula não ganhou sozinho;
- A Dilma também ganhou;
- A Dilma impôs a questão da privatização e do pré-sal e definiu a moldura ideológica em que a eleição se travou.
- A Dilma não vai comer pela mão do PT, porque ela fez mais no 2º. turno do que o PT (**);
- A Bláblárina esgotou seus 15’: vai voltar para Alagoas (Alagoas, revisor, por favor !) no jatinho da Natura e vai ficar por lá;
- O #Serrojas, além de perdedor, exibiu sua imensa falta de caráter: foi preciso e ele passou com o trator por cima do que passava na frente, inclusive da mulher, quando empunhou a bandeira calhorda – segundo o Ciro – do aborto;
- A #globomente e o PiG (*) se afundaram, se enlamearam no Golpe e só podem ser neutralizados por uma rigorosa Ley de Medios.
- E o pré-sal é nosso !
O 2º. turno tornou a Ley de Medios uma questão de sobrevivência – para a Dilma e para a democracia brasileira.
Não dá mais para empurrar com a barriga, como fez o Governo Lula.
A Ley de Medios tem, também, de meter o dedo nessa relação promíscua que existe entra o Datafalha, o Globope e os candidatos conservadores.
O #Serrojas fala grosso com a Vox e a Sensus, mas fala fininho com o Datafalha e o Globope.
Claro !
A Ley de Medios tem que definir o “direito de resposta”.
O Vitor Cardeal tem que ter o direito de se defender no jn.
A Ley de Medios deveria incorporar os princípios contidos na ADIN por Omissão com que o professor Fábio Comparato entrou no Supremo Tribunal Federal, para obrigar o Congresso a legislar sobre Comunicação.
Clique aqui para ler a inicial do professor Comparato.
O problema não só a sobrevivência do Governo Dilma.
É a sobrevivência da democracia brasileira, que, neste segundo turno, se tornou refém de uma imprensa medíocre e golpista.
Como a de nenhum outro país do mundo (civilizado).
Postar um comentário