POLICIA DE ALCKIMIN TRANSFORMA PRAÇA DA PAZ EM CAMPO DE GUERRA NO JD PERY, NA ZONA NORTE DE SÃO PAULO



Ônibus e veículos foram queimados em protesto contra a violência Policial



A violenta repressão da Policia Tucana provocou indignação entre os moradores da Comunidade do Flamengo, no Jd. Pery.
O Protesto era pacifico ate a chegada dos policiais de Alkimin com suas bombas de gaz lacrimogêneo e suas balas de borracha, habitualmente utilizadas para impedir a população da periferia de realizar seus manifestos.











Bem ao contrario do tratamento dispensado ao coxinhas na Paulista, os Policiais chegaram atirando e espancando trabalhadores, como fossem todos bandidos na consecução de um crime. 

Na verdade, o único crime que comete esses cidadãos do Pery,  é o de serem pobres. E, claro, o de não saberem se colocar no Lugar que os Tucanos acreditam ser o lugar deles. Afinal, são gente sem direitos. Gente que não tem cachorrinho e facebook, para postar as imagens do new look a partir do passeio de gala na Av, Paulista. Aquele passeio que chamam de protesto, realizado com metro gratuito e com flashes e chamadas elogiosas pela Televisão. 

E por isso, alias, como sempre, as emissoras do PIG, com seus Datenas de plantão,  editaram suas matérias, para dar a impressão ao publico, que o uso da força brutal dos repressores se justificava para reprimir um protesto violento.





Os Calunialistas, vassalos desses grandes veículos de mídia, faziam alusão ao protesto, enquanto mostravam um ônibus em chamas. Mas, deve-se alertar que o veiculo foi queimado justamente depois de o exercito de Alckimin lançar-se insidiosamente contra a população.




O Pery pedia Paz. Queria apenas cobrar os seus direitos. Contudo, para a elite Tucana isso e um atentado contra os seus valores atrasados e mesquinhos e o braço armado dessa Tucanalha esta sempre pronto para malhar os trabalhadores.





O estudante Tiago Dias Siqueira Sousa, de 14 anos, foi atropelado por um caminhão por volta das 21h da última quarta-feira, na Estrada Santa Inês, segundo boletim de ocorrência registrado no 72º Distrito Policial. Nove pessoas, incluindo o motorista do caminhão, ficaram feridas e foram socorridas.
De acordo com o boletim, o caminhão fazia uma curva quando perdeu os freios, atropelou várias pessoas e bateu em um trailer e no portão de uma casa. O caso foi registrado como homicídio culposo na direção de veículo automotor, lesão corporal culposa na direção de veículo automotor, atropelamento, choque e localização/apreensão de veículo, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública.
A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou que o tráfego de caminhões é proibido no local no horário em que ocorreu o atropelamento. A circulação de caminhões na Avenida Santa Inês é proibida de segunda a sexta-feira, das 5h às 9h e das 17h às 22h, e aos sábados, das 10h às 14h. Segundo a CET, no local, existe sinalização de que é proibido o tráfego de caminhões.
 “A Avenida Santa Inês, próximo ao número 4.500, entre a Estrada do Guarau e a Rua Condessa Amália Matarazzo, está sinalizada com placa de regulamentação de velocidade de 40 km/h a 150 metros do local do acidente, no sentido interior-capital", informa nota divulgada pela CET.
De acordo com a companhia, em abril deste ano, a Avenida Santa Inês foi sinalizada com pintura de solo do tipo dupla amarela. “O trecho mencionado está sinalizado com cones e placas de advertência das obras do Rodoanel, obrigando os usuários a trafegar em velocidade reduzida no local.”


















Postar um comentário