PAULO PIMENTA EM CERIMÔNIA A MIRANDA, NA VENEZUELA, DENUNCIA GOLPE CONTRA O MERCOSUL




Caracas, 14 de julho de 2016.- "Direita mercenária quer dar um golpe não só no Brasil, mas também no Mercosul e na Venezuela" denunciou Paulo Pimenta

Em cerimônia solene para honrar a memória do Generalíssimo Francisco de Miranda, no 200º aniversário sua partida física, 
Paulo Pimenta denuncia:

Golpistas de Brasil quieren derrocar a Venezuela en Mercosur

Paulo Pimenta relatou que o ex-presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso e o atual Ministro das Relações Exteriores e golpista José Serra foram ao Uruguai pedir ao presidente deste país, Tabaré Vasquez, para não entregar a presidência pro-tempore do Mercosul para a Venezuela, (A Presidência Rotativa Pro-tempore do Mercosul é a representação jurídico-político máxima pro tempore do Mercado Comum do Sul (Mercosul/Mercosur).
"Essa direita neoliberal mercenária e seu representante político brasileiro José Serra querem dar um golpe não só no Brasil, mas também no Mercosul e na Venezuela" denunciou Paulo Pimenta
Presidente Nicolas Maduro , saudou o importante relato de Paulo Pimenta, lembrando que a Venezuela está sendo duramente perseguida por essa mesma inquisição imperial.
"A direita e a oligarquia da América Latina, em uma espécie de Tríplice Aliança, tem a intenção de sequestrar e desaparecer com a Venezuela e com Mercosul . Porem somos unidos no Mercosul. Os povos do Mercosul vão defender os direitos da República Bolivariana da Venezuela ", previu o chefe de Estado venezuelano.



A POLÍTICA GOLPISTA DE PMDB-TEMER/PSDB-SERRA, QUE É UM CÂNCER PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL BRASILEIRO, OBJETIVA TAMBÉM PREJUDICAR O MERCOSUL
 
Essa Direita Neoliberal entreguista propõe medidas que apavoram: privatização e desnacionalização da Petrobras, do pré-sal, do BB, da CEF e do BNDES, desmantelamento dos programas sociais, arrocho salarial e eliminação de direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, política externa totalmente submissa aos EUA, abandono do processo de integração da América Latina e dos BRICS. 



Postar um comentário