CENTRO RIO+: UM LEGADO HISTÓRICO DO BRASIL SUSTENTÁVEL PARA O MUNDO!




Rio será sede de novo Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável



 Como um dos legados da Rio+20, o Brasil anunciou hoje a criação do Centro Rio+ em parceria com o PNUD, sociedade civil, universidades e empresariado


Como um legado concreto da Conferência, o governo brasileiro anunciou hoje (22) a criação do Centro Rio+, Centro Mundial de Desenvolvimento Sustentável, em uma cerimônia com a ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira e a Administradora do PNUD Helen Clark.
“Para nós é muito importante ter um legado na cidade do Rio de Janeiro depois da Rio+20. Nossas universidades, diversos setores da sociedade, a comunidade empresarial e todos aqui querem trabalhar duro para este legado”, disse a Ministra Izabella Teixeira, acrescentando que já foram garantidos US$ 5 milhões para as operações do Centro. 

O Centro Rio+ é um esforço colaborativo de parceiros incluindo o governo brasileiro, o governo do estado do Rio de Janeiro, a cidade do Rio, o PNUD, outras agências da ONU, bem como representantes nacionais e internacionais de universidades, empresas e sociedade civil. 
Helen Clark, Administradora do PNUD, saudou a parceria. "A presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, disse que não só é possível crescer, incluir e proteger ao mesmo tempo, mas também que o desenvolvimento verdadeiramente sustentável exige que isto seja feito. No PNUD, acreditamos na mesma coisa", disse a Administradora.

"Governos, setor privado e atores da sociedade civil serão capazes de utilizar este centro para aprender com as experiências dos outros, identificar pessoas e parceiros com experiências fundamentais, antecipar o planejamento e desenhar programas e políticas. O PNUD pode contribuir com sua extensa rede de experiências e especialização. Temos uma longa história de apoio ao desenvolvimento de capacidades, e um papel estabelecido como agente imparcial que pode conectar iniciativas de desenvolvimento sustentável e dar a elas ganho de escala", observou Helen.

O Centro Rio+ vai facilitar a pesquisa e o intercâmbio de conhecimentos, além de promover o debate internacional sobre desenvolvimento sustentável. Além disso, o Centro Rio+ vai reunir um amplo consórcio internacional de parceiros, constituído por órgãos governamentais, organizações não governamentais, universidades nacionais e internacionais, grupos de reflexão e empresariado.Para seu lançamento, o Centro Rio+ conta com o apoio inicial de quase 25 instituições brasileiras e internacionais, o que demonstra o sucesso alcançado pela iniciativa, bem como a natureza inclusiva e participativa de sua concepção.
Luciano Coutinho, presidente Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social afirmou que "o BNDES se junta ao governo brasileiro no apoio ao Centro Rio+ e felicita o PNUD e outras instituições parceiras nesta iniciativa importante, fruto da Rio+20.”
“Ele vai criar um espaço único para discussão de ideias inovadoras e ações para a construção de um mundo sustentável", disse o presidente da instituição. De acordo com o anúncio oficial do Ministério das Relações Exteriores, o Centro Rio+ "nasce com a missão de ser um centro de referência para a promoção de um dos debates que definem este século: a integração entre as dimensões econômica, social e ambiental do desenvolvimento sustentável”.

O objetivo da criação do Centro Rio+ é audacioso e busca desenvolver ativamente mecanismos novos e inovadores para envolver a participação dos governos locais, da sociedade civil, de empresas e universidades em troca de conhecimentos e discussões em torno do assunto.

Desde o início de seu funcionamento, o Centro Rio+ dará continuidade às discussões iniciadas pelos Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável (www.riodialogues.com). Os Diálogos foram lançados pelo governo brasileiro, com o apoio do PNUD, no período que antecedeu a Rio+20 como uma forma de garantir a participação ativa da sociedade civil e de especialistas em todo o mundo.

O novo centro terá como base o sucesso da parceria existente entre o governo brasileiro e o PNUD: o Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG), criado em 2004, em Brasília. Desde sua fundação, o IPC-IG tem desempenhado um papel fundamental no diálogo entre países do Sul no âmbito de políticas de proteção e inclusão social, inovação, desenvolvimento, bem como questões rurais e de desenvolvimento sustentável em geral.

O Centro Rio+ será inicialmente hospedado pelo Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia (COPPE / UFRJ), da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no Campus da Ilha do Fundão. A cidade do Rio de Janeiro manifestou a vontade de proporcionar um espaço para a futura instalação da sede do Centro Rio+.

A criação do Centro Rio+ recebeu inicialmente apoio das seguintes instituições:

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD)
Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA)
Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG)
Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (UN-HABITAT)
Organização Internacional do Trabalho (OIT)
Instituto de Estudos Avançados, Universidade das Nações Unidas (UNU-IAS)
Centro Regional de Especialização em Educação para o Desenvolvimento Sustentável (RCE)
Governo da República Federativa do Brasil
Governo do Estado do Rio de Janeiro
Cidade do Rio de Janeiro
Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP)
Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)
Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE)
Instituto Global para Tecnologias Verdes e Emprego (GIGTech, COPPE / UFRJ)
Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília (UNB-CDS)
Rede de Tecnologia e Inovação do Rio de Janeiro (REDETEC)
Rede de Informação Tecnológica Latino-americana (RITLA / UNESCO)
Confederação Nacional da Indústria (CNI)
Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae)
Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS)
Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS)
BVRio (Bolsa Verde do Rio de Janeiro)
Reverurbano
Fundação Pró-Natura
Postar um comentário