UMA MULHER DE HONRA CONTRA UM SENADO PODRE

Brazil’s Dilma Rousseff, a Woman of Honor, Confronts Senate of Scoundrels


Dilma Rousseff entrou para o Senado e calmamente olhou para seus acusadores. Ela saiu com a cabeça erguida após exortar aqueles senadores para votar com sua consciência.
A maioria dos políticos presentes provavelmente não tem a menor ideia do que significa consciência; eles não são mais do que meninos de recado dos corruptos. Mas o inconsciente coletivo brasileiro - Jung vem para o resgate - será marcado.
A presidente Dilma Rousseff, em um discurso detalhado, ocasionalmente emocional, defendeu-se com honra e dignidade das acusações que ela cometeu um "crime de responsabilidade". Ela não estava realmente enfrentando uma fossa política, mas que o "Anjo da História", tão amado por Walter Benjamin, vai julgá-la novamente gentilmente. 
Enquanto isso, não é o final até que o político desonesto cante.
Enquanto escrevo, Rousseff está a caminho de ser retirada da presidência da 8ª maior  economia do mundo por um bando de políticos covardes-golpistas-sem vergonha. 
Seu único medo, ela disse, era a "morte da democracia". O impeachment de Dilma significa na prática que a votação democrática em uma das maiores democracias do mundo será completamente cancelada por um golpe parlamentar remoto-controlado por interesses oligárquicos. Este processo não é, e nunca foi, sobre a justiça; trata-se de sujo jogo político.

Não há um argumento técnico-burocrata que seja capaz de provar a Presidente deve ser acusada por causa de manobras Orçamento do Estado que não deu um único centavo para seus bolsos, ou em detrimento do Tesouro - e isso em um país surpreendentemente infestado de corrupção.

Se tivéssemos que confiar em uma única formulação para explicar esta charada para um público global esta deve ser: A atual mídia corporativa/industrias /big business/banqueiros que é a ferramenta usada pelos oligarcas brasileiros para esmagar o objetivo distribuição da riqueza que precedeu, através presidente Lula, a crise global do capitalismo de 2008 provocado pelo EUA.

As presidências de Lula e, subsequente, Dilma havia adotado um modelo muito a chinesa "win-win". Havia uma espécie de pacto não escrito entre as classes sociais: Os ricos ficaram ainda mais ricos, enquanto os pobres ficam um pouco menos pobres.

Mas, então, a crise atingiu os membros do BRICS  e Brasil com uma vingança. Não havia um plano B - para além da a exportação de mercadorias; o boom acabou e traidores (PMDB, Marta Suplicy, etc) e conspiradores na oposição viram uma abertura para recuperar o poder sobre as rodas da investigação de corrupção altamente seletiva a "Car Wash Operation". E, no entanto, sendo esta a terra de Kafka, a unidade de impeachment parlamentar contra Dilma é na verdade uma manobra de diversão concebida para "domesticar" a Car Wash, assim ela não teria que atingir a políticos de direita controlada pelos oligarcas.

Os abutres e seu plano mestre
Emir Sader, um dos maiores sociólogos do Brasil, resumiu que está por virUm grande conflito social e politico; a militarização e repressão policial; o fim do contrato social; a nação reduzida a um mero vassalo dos EUA; um governo ilegítimo não eleito; um governo sem autonomia, soberania e geopoliticamente marginalizado.
Um governo durante todo o tempo sendo "liderado" pelo o presidente Michel Temer, um covarde corrupto medíocre que nem sequer têm a coragem de comparecer à cerimônia final, dos Jogos Olímpicos, porque ele sabia que seria vaiado e chutado para fora de um Maracanã lotado.

Bem-vindo ao pós-golpe Brasil: Uma terra impotente em crise permanente, com governantes ilegítimos, governo corrupto , a recessão econômica e desemprego. 
Como Sader observou, "tudo de positivo que o Brasil construiu este século será jogado fora por um golpe."
Temer o Usurpador nunca poderia aspirar a grandeza de Shakespeare, como uma figura trágica.
Ele já foi conectado a quase US $ 3 milhões em propinas. O seu atual ministro das Relações Exteriores, o desprezível José Serra, um boneco manipulado pela Chevron, foi acusado de receber mais de US $ 6 milhões, inclusive no exterior.  Contudo ainda mais graves acusações que têm como alvo os partidos políticos de direita ainda mais severas - devastação total estendida para pelo menos metade do Congresso - até que eles foram magicamente "desqualificado" por vazamentos intencionais.
Aí está a dificuldade: na atual configuração kafkiana, apenas os "vermelhos" - como no Partido dos Trabalhadores - pode ser criminalizado. A maioria dessas falcatruas contará com pelo menos quatro documentários atualmente em produção sobre a triste saga.

Imediatamente após o impeachment de Dilma, o Senado planeja lançar o que, literalmente, equivale a uma festa fiscal - com base em salários aumentados para ministros do Supremo Tribunal; esses salários regulam a remuneração de todos serviço público brasileiro. Lembre-se que Dilma está sendo acusado de "irresponsabilidade fiscal". Muitos patifes-urubus irão dividir o espólio da uma democracia morta.

O que importa é que o aproveitador número 1 do impeachment será a Deusa do mercado. Que também inclui Grandes Negócios, grande mídia (um monopólio de cinco famílias) e, claro, Exceptionalistan. O seu mandato é claro. A presidência é apenas um detalhe. O que eles precisam controlar é o Ministério das Finanças e o Banco Central.

As suas políticas estão prontas para serem implementadas: esmagar o estado assistencialista brasileiro incipiente; manter as taxas de juros na estratosfera; impor um "ajuste fiscal"; e permitir o fluxo livre de capital. Coisas como esta só realmente acontece em ditaduras certificados.

Agora eles têm o poder, a ideologia neoliberal e todas as alianças políticas necessárias para conseguir isso.  Adicione a isso uma ofensiva ininterrupta contra o Partido dos Trabalhadores como um meio para contra-atacar as acusações contra Temer, o Usurpador e seu medíocre Chancellor, Serra.

Então o que é vem agora? O altamente fragmentado, congresso hiper-conservador irá colocar as carroças em círculo contra qualquer selvagem ataque que ameace seus privilégios. O procurador-Geral dificilmente terá a ousadia de realmente investigar Temer, o Usurpador, e outros políticos, apesar de existir e terem encontrado provas graves de corrupção contra todos eles, o escudo impenetrável político-policial-jurídico-mediatico protegendo a galáxia canalha é surpreendente. Os brasileiros estão profundamente enterrados no território controlado pela proteção do  crime organizado.
Acordos em bastidores, sem escala, estão em andamento enquanto falamos. A única certeza à frente é o assassinato dos direitos democráticos e constitucionais e a destruição de programas sociais.

Como já descrito, o plano mestre à frente é vicioso, diretamente do desastre da cartilha do capitalismo; vendendo as reservas de petróleo do pré-sal para interesses estrangeiros, como no corporativo dos Estados Unidos; vendendo o nativo desenvolvimento industrial brasileiro via privatização incondicional; abandonando a defesa do know-how de engenharia brasileira; cortes severos sobre educação, saúde, ciência e tecnologia. Ao mesmo tempo, haverá "flexibilização" dos direitos dos trabalhadores, como em atacá-los em todas as frentes; um ataque regressivo a aposentadorias e pensões; e sabotagem Mercosul - o mercado comum sul-americano - para o benefício de subordinação vassala aos interesses dos EUA.

No final, Rousseff vai sair com a cabeça erguida.
Quanto ao Anjo da História, a sua espada vai cortar as cabeças dos canalhas, sem misericórdia.
Postar um comentário