TRIBUNAL DE CONTAS DEMONSTRA A VANTAGEM DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA DA SAÚDE SOBRE AS OSS TUCANAS

 O RELATÓRIO DO TCE COMPROVA
CLIQUE AQUI PARA INTEGRA DO DOCUMENTO
ADMINISTRAÇÃO DIRETA DA SAÚDE
TEM MELHOR DESEMPENHO E CUSTA MENOS
 As tabelas abaixo são de estudo promovido pelo Tribunal de Contas do Estado feito com Objetivo de comparar o desempenho e custos das OSS - Organizações Sociais de Saúde e as estruturas de Saúde da AD - Administração Direta.
Os resultados deixam absolutamente claro a vantagem dos serviços prestados pelos Hospitais da Rede Pública sobre aqueles conveniados. Além da melhor qualidade também concorre para a superioridade da estrutura do Estado seu padrão de qualidade muito acima dos privatizatizados.

É O ESTADO QUEM CUIDA DO CIDADÃO
PROCEDIMENTOS DE ALTA COMPLEXIDADE SOBRAM PARA A ESTRUTURA PUBLICA

O ESTADO É MUITO MAIS
EFICIENTE TECNICAMENTE

MAIS PARTOS, MAIS EXAMES
INTERNAÇÕES, PACIENTES E CIRURGIAS MAIS COMPLEXAS
DESEMPENHO DO ESTADO É SUPERIOR
MÉDICOS MAIS TEMPO NOS HOSPITAIS
CUSTO DAS OSS É QUASE O DOBRO DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA
 

GESTÃO HOSPITALAR
1. A capacidade hospitalar instalada(leitos existentes) dos hospitais das OSS é maior.
2. Os hospitais da AD possuem quantidade maior de equipamentos de diagnóstico por imagem, cuja composição apresenta maior quantidade de raio X e ultrassom, mas, apesar não consistir em padrão, nenhum dispõe de equipamento de ressonância magnética.
3. Os hospitais das OSS possuem quantidade maior de equipamentos por métodos ópticos.
4. Tantos os hospitais da AD como das OSS possuem a mesma quantidade de tomógrafos computadorizados.
5. O quadro da categoria “assistência social” é maior nos hospitais da AD.
6. O valor/hora proveniente das medianas de salários das categorias “nutricionista”, “auxiliar de enfermagem” e “coordenador médico” é maior para os hospitais da AD.
7. O valor/hora proveniente das medianas de salários da categoria de “Diretor Técnico/Médico” é maior para os hospitais das OSS.
8. A taxa de rotatividade das categorias “enfermeiro”, “médico cirurgião-geral” e “médico-pediatra” é maior nos hospitais da AD.
9. Os hospitais das OSS possuem mais serviços especializados terceirizados.

CONTROLE DO SUS
10. Tanto os hospitais da AD como das OSS não possuem produção ambulatorial bloqueada(APAC e/ou BPAi), contudo possuem produção hospitalar pendente de análise pelo componente estadual do SNA-SUS(AIH bloqueadas).
11. Tanto para os hospitais da AD como para os das OSS, o nº de AIH auditadas in loco(por prontuários) está aquém do necessário(bloqueado).
12. Tanto a Comissão de Avaliação da Execução dos Contratos de Gestão como a Comissão Técnica de Acompanhamento e Avaliação do Contrato Programa não realizam auditoria in loco dos procedimentos registrados nos sistemas SIA e SIH.

INDICADORES
13. Nos contratos programa, constam metas quantificadas para: nº de cirurgias(internação), taxa de ocupação, média de permanência, taxa de mortalidade e taxa de cesárea.
14. Nos contratos de gestão, as metas de SADT externo são maiores.
15. Indicador de Recursos Humanos: as relações enfermeiro/leito e médico/leito são maiores nos hospitais da AD.
16. Indicador de Qualidade: a taxa de mortalidade geral é menor nos hospitais da AD.
17. Indicador de Desempenho: a taxa de ocupação geral dos hospitais das OSS são maiores, contudo em alguns exercícios são maiores que 85%.
18. Indicador de Eficiência Técnica: a relação altas/leitos clínica-médica é maior para os hospitais da AD.
19. Indicador de Produtividade: o número de pacientes-dia e taxa de cirurgia/saída são maiores nos hospitais das OSS, enquanto o total parto/sala é maior nos hospitais da AD.

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO ECONÔMICO
20. Tanto os hospitais da AD como os das OSS apresentam maior receita econômica advinda da realização de procedimentos de média complexidade.
21. A receita econômica em procedimentos de média complexidade é maior nos hospitais das OSS.
22. Tanto os hospitais da AD como os das OSS apresentam prejuízo econômico, contudo, computados os gastos tributários, é menor para os da AD.
Postar um comentário