CHAVES REELEITO! A OPOSIÇÃO VENEZUELANA TOMOU OUTRA LAMBADA DE CHAVES

Venezuela's Chavez re-elected to extend socialist rule
A VITORIA DO POVO!
A VITORIA DA DEMOCRACIA!

(Reuters) - O socialista, presidente da Venezuela, Hugo Chávez foi reeleito nesse domingo, anulando completamente a melhor opção da oposição em derrubar a ele em 14 anos e consolidando-se como uma figura dominante na história latino-americana moderna. -- Chavez de 58 anos de idade, teve 54,42% dos votos, com 90 por cento dos votos apurados nos resultados oficiais, para 44,97% para o candidato perdedor da oposição Henrique Capriles.

Grande vitória de Chávez serve para ampliar seu governo do Estado-membro da OPEP de duas décadas, embora ele ainda se recupera de um câncer.  Defensores jubilantes foram às ruas de Caracas para celebrar a vitória de um homem que tem quase status messiânico entre os pobres da Venezuela, e agradou também os aliados de esquerda em torno da região - de Cuba para a Bolívia - que contam com a sua generosidade socialista de óleo-financiado .

"Estou comemorando com meu coração alegre", disse Maria Reina, de 62 anos, apoiante Chávez, que vive na favela onde o presidente deu o seu voto. "Chávez é a esperança do povo e da América Latina."  



O clima era de trevas na sede de campanha de Capriles, onde simpatizantes da oposição se consovam em lágrimas. A oposição agora terá de tentar se reagrupar rapidamente para as eleições estaduais em dezembro.  Desde que assumiu o poder em 1999, o soldado exuberante tornou-se um marco global do "anti-imperialismo", alegremente mordendo o governo dos EUA, enquanto aumenta a amizade com os líderes do Irã e Belarus a quem o capitalismo do oeste ve com desconfiança.
Em casa, o herdeiro do herói da independência Simon Bolívar, Chávez já injetou bilhões de receitas do petróleo em programas de combate à pobreza, e habilmente usou suas raízes humildes para construir uma estreita ligação e beneficiar as massas.   Embora essa ligação assegura sua reeleição, a participação grande da oposição do voto reflete uma injeção de dólares americano em publicidade para o fracasso de Chávez.
A atenção agora vai mudar os planos de Chávez para um novo mandato de seis anos à frente do maior exportador de petróleo da América do Sul. O governo gastava muito, provavelmente garantir um crescimento saudável, de 4 a 5 por cento este ano, mas potencialmente abrindo caminho para uma suposta queda econômica em 2013.


No passado, Chávez aproveitou a eleição ganha para avançar com reformas sociais radicais, e há especulações de seu gosto por nacionalizações pode se voltar para alguns cantos intocadas como as indústrias de alimentos, bancárias e saúde da Venezuela.


Postar um comentário