SAUDAMOS O MILITANTE, CANTOR, COMPOSITOR E POETA SERGIO ENDRIGO: CANÇÕES PARA CORAÇÕES E MENTES

ZN À ITALIANA
EM HOMENAGEM AO COMUNISTA
SERGIO ENDRIGO 

“...anche se ho scarsa fiducia nei rappresentanti di Dio in terra, credo di avere rispettato i dieci comandamenti meno un paio….circa. Ho nominato il nome di Dio, diciamo “invano”, perché sono veneto e da noi la bestemmia è, a volte, un semplice intercalare e poi, qualche volta, ho desiderato la donna d’altri. Non ho mai fatto volontariamente del male a nessuno. Posso aver sbagliato, questo sì. Ma…. chi è perfetto?”

UM SETE DE SETEMBRO
TAMBÉM PARA LEMBRAR DE ENDRIGO
Sergio Endrigo nasceu no dia 15 de junho de 1933 na cidade de Pola, uma vila croata que fazia parte da Itália. Filho de um cantor de ópera de algum destaque, ele perdeu o pai muito cedo, sua mãe trabalhava numa fábrica de cadeados. Sua cidade, em 1947, passou a ser considerada território iugoslavo e Endrigo refugiou-se com a família em Brindisi. Expulso da escola por mau comportamento, tornou-se um errante: foi lanterninha de cinema, office-boy, agente do censo, mascate, carregador de malas em hotel.
Em 1954, Endrigo participou de um concurso de calouros no Teatro Malibran e foi contratado como cantor lírico no Lido, em Veneza. A partir daí, consolidou seu estilo romântico. Participou do Festival de San Remo em 1966 com a canção "Adesso sí" e em 1967 com "Dove credi di andare". Mas, somente em 1968 venceu o Festival de San Remo com "Canzone per te", uma composição sua e de Sergio Bardotti que teve Roberto Carlos como intérprete.
 Sergio Endrigo foi uma espécie de pioneiro ao aproximar a música italiana da brasileira. Nos anos 70, ele fez parcerias com nomes da MPB. Era verdadeiramente apaixonado pelo Rio de Janeiro onde, além de se maravilhar com as belezas naturais, conheceu a alma da cidade, tendo como companheiros Vinícius de Moraes, Toquinho e Chico Buarque de Holanda. O amor de Endrigo pelo Rio era tão transparente que Toquinho e Vinícius fizeram para ele o "Samba pra Endrigo". Além de Roberto Carlos, Endrigo gravou com Chico Buarque "A Rosa".
 Na década de 70, compôs, em parceria com Vinícius de Moraes, canções para crianças, como “La Casa” e “El Pappagallo” e em 1979, lançou um disco em português com músicas de Chico Buarque, Toquinho e Vinícius. Sergio Endrigo faleceu aos 72 anos, em 8 de setembro de 2005.


Sergio Endrigo
15 de junho, 1933 - 7 de setembro, 2005
Ele venceu como compositor o Festival de Sanremo de 1968 com a canção "Canzone per te", na voz de Roberto Carlos. Nesse mesmo ano, representou a Itália no Festival Eurovisão da Canção com a canção "Marianne".


Sergio Endrigo foi homenageado com um programa especial no Benedetta Italia, em 13/10/2005, com apresentação de Helvio Cecchin e produção-edição de Milton Oliveira.
O hotsite abaixo mostra fotos e videos do artista e letras de suas músicas.
Io che amo solo Te
C'è gente che ha avuto mille cose,
tutto il bene, tutto il male del mondo.
Io ho avuto solo te
e non ti perderò,
non ti lascerò
per cercare nuove avventure.

C'è gente che ama mille cose
e si perde per le strade del mondo.
Io che amo solo te,
io mi fermerò
e ti regalerò
quel che resta
della mia gioventù.

Io ho avuto solo te
e non ti perderò,
non ti lascerò
per cercare nuove illusioni.

C'e' gente che ama mille cose
e si perde per le strade del mondo.
Io che amo solo te,
io mi fermerò
e ti regalerò
quel che resta
della mia gioventù.



Eu que amo só voce
Sergio Endrigo (Versão Badi)


Há gente que tem muita coisa
Todo o bem e todo o mal desse mundo
Eu tenho só voce
E não vou te perder
Nem te fazer sofrer
Por qualquer nova aventura

Há gente que ama tanta coisa
E se perde pelas estradas desse mundo
Mas eu que amo só voce
Todo o meu viver
Vou te oferecer
Pelo que resta desta minha juventude

Eu tenho só voce
E não vou te perder
Nem te fazer sofrer
Para viver uma ilusão

Há gente que ama tanta coisa
E se perde pelas estradas desse mundo
Mas eu que amo só voce
Todo o meu viver
Vou te oferecer
Pelo que resta desta minha juventude

Sergio Endrigo Award 2011
I Premio de Musica Sergio Endrigo



É uma competição italiana reservada para novos compositores cujas canções têm conteúdo de alta qualidade musical e literária de espessura, como estar mais perto da veia da artistica do grande compositor musical e poeta...
Postar um comentário