PORTUGAL NÃO PODE CONTINUAR ERRANDO SOB O RISCO DE SE TORNAR UM BRASIL NA EUROPA

Primeiro-ministro demissionário José Socrates
Lisboa, 24 mar (Lusa) -- A Fitch cortou hoje o 'rating' de Portugal em dois níveis, de A+ para A-, devido às dificuldades na implementação de medidas e de financiamento após o chumbo do PEC no Parlamento e da demissão do primeiro-ministro.
"Este corte reflete o agravamento dos riscos para a implementação de políticas e financiamento orçamentario à luz do insucesso do Parlamento português para aprovar novas medidas de consolidação orçamentario e da demissão do primeiro-ministro no dia 23 de março [quarta-feira]", explica o diretor do grupo de análise de dívida soberana da Fitch, responsável por Portugal, Douglas Renwick.
A agência de 'rating' relembra que a 23 de dezembro, quando efetuou o último corte de 'rating' sobre Portugal, poderiam ser necessárias medidas adicionais de consolidação para o Governo conseguir assegurar os objetivos "ambiciosos" para o déficit orçamentario este ano, de 4,6 por cento do PIB.
PORTUGAL CORRE O RISCO
DE SE TORNAR UM BRASIL NA EUROPA
CASO CONTINUE ENVEREDANDO POR ESSE CAMINHO IRRESPONSÁVEL E NÃO SE ENDIVIDE RAPIDAMENTE COM O FMI, PORTUGAL CORRE O RISCO DE SER REBAIXADO ATÉ ATINGIR A CATEGORIA DO BRASIL. PORTUGAL DEPOIS DO REBAIXAMENTO OCUPA A POSIÇÃO A- E SUA PERSPECTIVA É DE BAIXA. A CONTINUAR NESSA BATIDA LOGO ATINGIRA A POSIÇÃO BBB- CONFERIDA A ESSE POBRE PAÍS TROPICAL MAL ACABADO.
Legenda
Perspectiva Observação Tipo
Outlook_positive Watch_positive Positiva
Outlook_negative Watch_negative Negativa
Outlook_evolving Watch_evolving Indefinida
Outlook_stable
Estável


Portugal

Watch_negative A-     


Brasil       

Outlook_positive BBB-  
QUEM SE LEMBRA DO RISCO BRASIL?

Confira aqui os 
Ratings "Soberanos"
FITCH DECLARA: Eu chuto mesmo e daí?
A empresa explica que nenhuma responsabilidade tem sobre sua base de dados e portanto nenhuma responsabilidade tem sobre a informação que apresenta. No final serve apenas para o PIG atemorizar as populações dos países que não querem se endividar.

Ratings são baseados em informações obtidas diretamente de emissores, outros devedores, “underwriters” e fontes que a Fitch considere fidedignas. A Fitch não auditora ou verifica se a informação é verdadeira ou exata e também não compromete-se a auditorar ou verificar as mesmas ou efetuar qualquer tipo de diligência de investigação para checar a exatidão e a integralidade das informações. Se alguma informação fornecida estiver deturpada ou for enganosa, o rating atribuído à operação pode não ser apropriado, e a Fitch não assume qualquer responsabilidade pelo risco. A atribuição de rating a um emissor ou a uma emissão não deve ser vista como garantia da exatidão ou integridade da informação utilizada para esta avaliação ou os resultados obtidos a partir do uso da mesma.
Os ratings da Fitch não constituem recomendação de compra, venda ou manutenção de um título. O rating não traduz a adequação do preço de mercado de um título ou deste em relação à carteira de um determinado investidor. Tampouco reflete o grau de isenção onde há de incidência de tributação sobre o pagamento de qualquer título.
Os ratings de crédito não tratam diretamente de outro risco que não seja o de crédito. Em particular, não contemplam riscos de perdas em investimentos ocasionados por mudanças em taxas de juros e outras considerações de mercado.
Ratings constituem uma opinião quanto à capacidade de um emissor ou de uma emissão de títulos em honrar, no prazo esperado, seus compromissos financeiros, tais como pagamento de juros, de dividendos preferenciais e de pagamento de principal. Ratings não são fatos, portanto, não podem ser descritos como “exatos” ou “inexatos”.
A Fitch Ratings não tem um relacionamento fiduciário com qualquer emissor, assinante ou qualquer outro ente. Assim como, não há intenção de criar e nem nada deve ser interpretado como se tivesse sido criada uma relação fiduciária entre a Fitch e as classificações de qualquer emissor ou investidor que utilize seus ratings.
Os ratings podem ser mudados, qualificados, descontinuados, colocados sob Observação ou retirados como resultado de alterações nas informações, exatidão, indisponibilidade ou falta das mesmas, ou por outras razões que a Fitch Ratings considerar suficiente.
A Fitch Ratings não faz recomendação de investimento, auditoria, atividades contábeis ou serviços atuariais e não avalia valores financeiros. O rating não deve usado como substituto de tais serviços.
A atribuição de um rating pela Fitch não constitui consentimento de uso do nome da agência para registros de relatórios, documentos de oferta de títulos e outros sob qualquer lei de registro mobiliário.
Postar um comentário