Pixels ZN

100 ANOS DA REVOLUÇÃO RUSSA

Os companheiros do Partido Comunista do Brasil realizou no dia 30 de Março, em S. Paulo, um Seminário para assinalar «100 anos da Revolução Russa e 95 anos do PCdoB», para o qual convidou o PCP e o PC de Cuba.

O Seminário teve lugar no Teatro da Universidade de S. Paulo e contou com a presença de muitas centenas de companheiros que seguiram atentamente as contribuições dos diferentes intervenientes sobre os temas «Legado e lições da Revolução Russa», «Tendências da crise do capitalismo» e «A nova luta pelo socialismo no século XXI».

Intervindo no início dos trabalhos, a presidente do PCdoB, Luciana Santos considerou que «passados cem anos ainda é profundamente fecundo o estudo do que foi a Revolução Russa e da experiência de construção do socialismo na URSS», pelo que celebrar o centenário da Revolução Russa «é resgatar a memória de grandes conquistas dos trabalhadores e da sua luta para edificar a primeira experiência histórica de uma alternativa viável ao capitalismo» e «é pensar na contribuição dos comunistas para a formação do Brasil moderno e para as lutas pela soberania, desenvolvimento e progresso social». Evocando as inúmeras conquistas do socialismo, citou Álvaro Cunhal – «o século XX é o século do nascimento do socialismo» – e afirmou que «o tempo futuro é do socialismo», salientando que o programa do PCdoB coonsidera que a luta com o PT «é rumo à transição para o socialismo».

Luciana Santos, abordando a situação no país após o golpe que afastou uma presidente eleita e que pretende impor medidas contra os direitos dos trabalhadores e do povo e de submissão ao estrangeiro, valorizou a realização do Seminário e o «intercâmbio de ideias» que considerou uma «exigência da atualidade».

Os contributos dos diferentes intervenientes sobre a importância e o impato mundial da Revolução de Outubro, sobre as suas conquistas e realizações e o papel da URSS no plano internacional foram de valorização, debruçando-se em particular sobre diferentes fases da construção do socialismo e os problemas que colocaram. As causas das derrotas do socialismo foram uma questão presente bem como as suas repercussões a nível mundial. A abordagem da crise estrutural do capitalismo assentou na problemática da financeirização da economia que se projecta no plano geopolítico e em pretensões hegemónicas.


No transcorrer do seminário foi lançado o livro: Governos Lula e Dilma: o Ciclo Golpeado - contexto internacional, realizações, lições e perspectivas (vários autores), todos títulos da Fundação Maurício Grabois em parceria com a Editora Anita Garibaldi.
Postar um comentário